Concurso para concessão do Forte da Ínsua é “formalmente lançado” hoje

05-08-2019 (09h28)

O concurso para a concessão do Forte da Ínsua, em Caminha, para fins turísticos, ao abrigo do Programa Revive, é “formalmente lançado” hoje, anunciou a Secretaria de Estado do Turismo.

O monumento, segundo informações no site do Programa Revive, tem um número estimado de 20 quartos, numa área bruta total de construção de 1.361 metros quadrados.

Trata-se de uma fortificação marítima abaluartada, com planta estrelada irregular, tendo no seu interior um convento ampliado em 1676, mas com origem franciscana do século XIV, erguido por determinação de D. João I de Portugal.

“Em volta da Praça de Armas desenvolvem-se as edificações aquarteladas e o convento, de estrutura austera, com igreja de planta longitudinal de única nave, com abóbadas de berço, sacristia e claustro”, acrescenta a descrição.

As alas do claustro são compostas por colunatas jónicas, enquanto o poço existente é um dos três únicos no mundo que se localizam no mar e são de água potável, salienta a informação.

O Forte da Ínsua localiza-se na Ínsua de Santo Isidro, na freguesia de Moledo e Cristelo, concelho de Caminha, a sul da Foz do Rio Minho.

O Programa Revive é uma iniciativa conjunta dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças com a colaboração das autarquias locais, com o objectivo de valorizar e recuperar o património sem uso, reforçar a atractividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias regiões do país.

O último concurso a ser adjudicado ao abrigo do Revive, o 8º, foi o Quartel do Carmo, na Horta (clique para ler: Quartel do Carmo na Horta deverá abrir em 2021 após investimento de 7,5 milhões de euros).

Também está em fase de conclusão o concurso relativo ao Convento do Carmo, em Moura, tendo recebido duas propostas (clique para ler: Convento do Carmo em Moura recebeu duas propostas para exploração).

Até ao momento já foram lançados 17 concursos no âmbito do Revive,  estando abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, e do Castelo de Vila Nova de Cerveira.

Os próximos concursos a serem lançados serão os relativos ao Mosteiro de Travanca (Amarante), Santuário do Cabo Espichel (Sesimbra) e Forte da Barra de Aveiro (Ílhavo).

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Trabalhadores dos hotéis da Fundação INATEL estão hoje em greve

16-08-2019 (12h43)

Os trabalhadores do sector hoteleiro da Fundação INATEL estão hoje em greve para reivindicar melhorias salariais e a um horário de trabalho de 35 horas semanais.

EUA subiram em Junho a maior mercado fora da Europa para a hotelaria portuguesa

14-08-2019 (17h00)

Os turistas residentes nos Estados Unidos foram no mês de Junho os não europeus que fizeram mais dormidas na hotelaria portuguesa, ultrapassando os brasileiros, e cotaram-se como o 5º principal emissor internacional, a seguir a Reino Unido, Alemanha, França e Espanha.

Turistas vêm mais a Portugal, mas ficam cada vez menos tempo

14-08-2019 (16h52)

O alojamento turístico português viu-se mais uma vez confrontado em Junho com um maior afluxo de turistas estrangeiros que não se traduz na mesma proporção em dormidas, porque a estada média cai desde pelo menos 2013, tendo pela primeira vez sido inferior às três noites.

Portugueses, espanhóis, brasileiros e americanos proporcionam melhor Junho de sempre em número de clientes

14-08-2019 (15h47)

A hotelaria portuguesa teve este ano um total recorde para um mês de Junho com 2,71 milhões de hóspedes alojados, graças principalmente aos aumentos de turistas residentes em Portugal, em Espanha, no Brasil e nos Estados Unidos.

Sogevinus planeia investir 30 milhões em hotel de 5-estrelas em Gaia

14-08-2019 (12h33)

O Sogevinus, que detém as marcas de vinho Barros, Burmester, Calém, Kopke e Velhotes, planeia investir 30 milhões de euros num hotel vínico de 5-estrelas com 150 quartos no centro histórico de Vila Nova de Gaia.

Noticias mais lidas