Castelo de Vila Nova de Cerveira recebeu três propostas para exploração

28-08-2019 (15h55)

Três empresas portuguesas apresentaram propostas ao concurso público para a concessão para fins turísticos do castelo de Vila Nova de Cerveira, processo que deverá estar terminado até final do ano, disse hoje à Lusa o presidente da câmara.

Contactado pela Lusa, a propósito da conclusão do prazo para a apresentação do procedimento, lançado no dia 25 de Julho ao abrigo do programa Revive, Fernando Nogueira explicou que as propostas das três empresas, ligadas aos sectores de hotelaria e restauração, vão agora "ser analisadas e, posteriormente, submetidas à apreciação do júri do concurso para a elaboração do relatório preliminar".

As fases seguintes, passam pela realização de "uma audiência prévia, elaboração do relatório final e adjudicação".

"A expectativa é a de que finalmente possa haver uma solução que valorize e dignifique o Castelo de Cerveira, o ex-libris do nosso concelho. Dando seguimento aos procedimentos necessários e aos prazos estabelecidos, é expectável que o processo possa estar concluído até ao final do ano", referiu Fernando Nogueira.

Em causa está o castelo com origens no século XIII, mandado construir pelo rei Dom Dinis, classificado como monumento nacional onde até finais de 2008 funcionou a pousada com o mesmo nome. Na altura, enquanto Pousada de Portugal, integrava o grupo Pestana, que a encerrou a pretexto de obras de reabilitação.

Desde então, tanto o anterior executivo municipal como o actual têm tentado ultrapassar o impasse, face a várias manifestações de interesse de promotores privados e como forma também de travar o estado de degradação do imóvel.

O primeiro concurso para a concessão do imóvel foi lançado pelo Instituto do Turismo de Portugal, em Janeiro, a que concorreram duas empresas, mas acabou "extinto", por "razões administrativas" (clique para ler: Turismo de Portugal abre novo concurso para a concessão do Castelo de Vila Nova de Cerveira).

/empresas---negocios/turismo-de-portugal-abre-novo-concurso-para-a-concessao-do-castelo-de-vila-nova-de-cerveira-2/

Em Julho avançou nova tentativa, cujo prazo para a apresentação de propostas terminou às 23:59 de 27 de Agosto, e a que concorreram três empresas.

"Esperamos que esta notícia seja a preparação da prenda de aniversário dos 700 anos da fundação de Vila Nova de Cerveira, que se assinala a 1 de Outubro de 2021", frisou o autarca Fernando Nogueira.

O imóvel, propriedade da Direção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF), é um dos 10 edifícios incluídos no programa Revive para serem concessionados a privados, com o compromisso de que sejam recuperados, reabilitados e acessíveis ao público.

O castelo, classificado como monumento nacional, é considerado a "joia da coroa" de Vila Nova de Cerveira.

O impasse em que o processo se encontra desde 2008 levou mesmo, em 2011, no mandato do executivo anterior, à desistência de um grupo alemão interessado em criar um hotel de charme ligado às artes.

O estado de "avançada degradação" em que se encontra o imóvel levou a Assembleia Municipal a aprovar, em 2015, uma moção intitulada "Em Defesa da Clarificação do Futuro do Castelo".

O documento foi enviado ao Presidente da República, primeiro-ministro, ministra de Estado e das Finanças, secretário de Estado das Finanças, Direção Geral do Tesouro e Finanças, aos grupos parlamentares com assento na Assembleia da República, entre outras entidades.

A pousada foi inaugurada a 3 de Setembro de 1982 e possuía restaurante, bar e 29 quartos, alguns com pequenos pátios totalmente privados para os seus hóspedes.

Lançado em 2016, o Revive é um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que visa promover a recuperação e a requalificação de imóveis públicos classificados que estão sem uso, através da concessão a privados para exploração para fins turísticos.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Maioria dos maiores emissores internacionais faz menos dormidas na hotelaria portuguesa em Julho

16-09-2019 (13h30)

A hotelaria portuguesa teve este mês de Julho quebras de dormidas de nove dos 16 principais emissores internacionais, as maiores das quais de turistas residentes nos Países Baixos (menos 26,5 mil), na Alemanha (menos 22,6 mil), no Canadá (menos 21 mil) e na Bélgica (menos 15 mil).

OTA de hotéis Amoma cessa e culpa “comparadores de preços”

16-09-2019 (11h08)

A agência de reservas hoteleiras Amoma, em www.amoma.com, que no ano passado teve vendas superiores a 500 milhões de euros, anunciou que cessa actividade e não terá como assegurar o respeito pelas responsabilidades contraídas para com os clientes.

Recuperação do Hotel de Turismo da Guarda afinal vai ser com a com a Greenfield - Câmara

10-09-2019 (21h34)

O consórcio MRG Property e MRG Construction, que ganhou o concurso para a recuperação do Hotel de Turismo da Guarda, vai ceder a sua posição contratual à Greenfield SGPS, anunciou o presidente da Câmara.

RevPAR dos hotéis de Lisboa caiu forte em Julho, mas ainda foi a 2ª melhor de sempre do mês

05-09-2019 (15h49)

Os melhores hotéis da cidade de Lisboa tiveram este Julho quedas da receita média de quartos por quarto disponível (RevPAR) entre 7,5% e 8,2%, de acordo com dados do Observatório da Associação de Turismo de Lisboa, que mostram que, porém, ainda atingiram valores que são os segundos melhores de sempre para um mês de Julho desde pelo menos 2007.

GEA lança plataforma para comparar hotéis de diferentes fornecedores

05-09-2019 (11h52)

O Grupo GEA lançou uma plataforma que permite aos agentes de viagens da sua rede comparar hotéis de diferentes fornecedores, como Bedsonline, Jumbobeds, Tour 10, Welcome Beds, Veturis e W2M Pro.

Ultimas Noticias

Noticias mais lidas