Casa de Marrocos em Idanha-a-Velha vai dar lugar ao Hotel do Templo

10-10-2018 (14h53)

A Casa de Marrocos, na aldeia histórica de Idanha-a-Velha, Castelo Branco, vai dar lugar ao Hotel do Templo, segundo um projecto da Câmara de Idanha-a-Nova para levar turistas para a região, com o apoio do programa Revive.

“O que queremos é encontrar bons parceiros, um bom promotor que seja nosso parceiro a contar as histórias desta 'cidade', e que aproveite uma região perfeitamente única que é da ruralidade, que assume essa condição, num território que está a meio caminho entre Lisboa, Porto e Madrid. Estamos suficientemente perto para apanhar um avião para o mundo e o suficientemente longe para ter a tranquilidade melhor do mundo”, disse à Lusa Armindo Jacinto, presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, que esteve hoje em Lisboa a apresentar o projecto.

O concurso, que vai ser publicado brevemente no Diário da República, prevê uma concessão durante 50 anos.

É o nono projecto a ter o apoio do Revive, um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que pretende valorizar e recuperar o património sem uso, reforçando a atractividade dos destinos regionais e o desenvolvimento de várias zonas do país.

Armindo Jacinto destacou que a principal preocupação da autarquia é escolher um parceiro “que tenha sensibilidade para este projeto”, que tem exigências de sustentabilidade ambiental e pretende promover a cultura e a história da região.

“O ponto de licitação do valor anual é de 25 mil euros, o que dá uma renda por mês irrisória, mas este é só um dos pontos de ponderação, que representa 40%. Os outros aspectos, como as questões ambientais e as questões culturais, são também pontos a ponderar”, acrescentou.

O autarca salientou “não ter pressa”, porque o que interessa é encontrar o promotor certo.

No entanto, a primeira fase do concurso vai decorrer durante 60 dias, prorrogáveis por mais 60, e haverá depois uma fase final de 80 dias.

“Eu diria que no próximo ano gostaríamos de ter escolhido o promotor e que iniciasse o investimento”, realçou.

Na apresentação do projecto, na Casa de Idanha-a-Nova em Lisboa, Armindo Jacinto anunciou ainda que, a partir de Janeiro de 2019, será lançado um passaporte que, por dez euros, permitirá o acesso a seis locais de Idanha, Monsanto e Proença-a-Nova e dará a "descobrir, através de experiências inéditas, todo um território".

A Casa de Marrocos, de meados do século XX, está localizada na aldeia histórica de Idanha-a-Velha e está classificada como Monumento Nacional.

A casa pertencia a uma abastada família da região, de sobrenome Marrocos, e foi comprada pela Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

O edifício, que nunca chegou a ser concluído, está dentro de muralhas, junto da catedral da velha Egitânia e sobre parte das ruínas romanas, nomeadamente sobre parte do ‘forum’.

Apresenta um notável trabalho de pedra nas cantarias e varandas e uma galeria no primeiro piso, à semelhança das grandes casas agrícolas da Beira Baixa e do Alto Alentejo.

A sua recuperação, no âmbito do programa Revive, é considerada “uma das âncoras da recuperação do conjunto arquitectónico e arqueológico de Idanha-a-Velha”.

A aldeia, hoje com menos de cem habitantes, mantém vestígios de diversas épocas civilizacionais e foi uma cidade importante na Ibéria durante cerca de 1.300 anos.

Foi construída no século I a. C. pelos romanos, tendo sido um importante município romano, mais tarde foi sede episcopal sob domínio suevo e visigótico, ocupada pelos muçulmanos no século VIII, reconquistada pelos cristãos no século XII e doada aos Templários no século XIII.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

W São Paulo abre em 2021 com assinatura de Nini Andrade Silva

16-10-2018 (14h16)

A Marriott International anunciou que vai abrir o seu primeiro hotel de luxo no Brasil em 2021, o W São Paulo, que terá a assinatura da designer portuguesa Nini Andrade Silva.

Receitas da hotelaria portuguesa crescem há 52 meses... mas abrandamento instala-se

15-10-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa concluiu em Agosto o 52º mês consecutivo de aumento dos proveitos, mas já sem os aumentos a dois dígitos que se sucediam desde o primeiro quadrimestre de 2014, tendo registado em Agosto o aumento mais fraco desde 2013, se excluídos os efeitos de calendário pelas alterações da data da Páscoa.

Dormidas de estrangeiros na hotelaria portuguesa caem há cinco meses consecutivos

15-10-2018 (16h53)

"Dormidas de não residentes mantêm tendência negativa", destacou o INE ao divulgar hoje os dados do turismo no alojamento turístico ‘tradicional', evidenciando assim que a quebra ocorrida em Agosto não foi uma excepção.

Lisboa espera arrecadar 36,5 milhões de euros com taxa turística em 2019

15-10-2018 (15h52)

A Câmara Municipal de Lisboa prevê arrecadar 36,5 milhões de euros com a Taxa Municipal Turística em 2019, mais do dobro do estimado em 2018, que foi de 14,4 milhões, anunciou hoje o vereador das Finanças, João Paulo Saraiva.

Número de turistas britânicos na hotelaria portuguesa cai há 11 meses consecutivos

15-10-2018 (15h21)

O turismo internacional na hotelaria portuguesa caiu mesmo em Agosto, tradicionalmente mês de ‘pico’ da actividade turística, especialmente da parte dos cinco maiores emissores europeus e designadamente do maior de todos, o Reino Unido, que regista quedas de hóspedes e dormidas há 11 meses consecutivos.