Alemanha provoca Setembro ‘no vermelho’ na hotelaria espanhola

24-10-2019 (16h12)

A hotelaria espanhola teve em Setembro a segunda quebra de dormidas este ano, com um decréscimo em 0,6%, provocado principalmente pela quebra do mercado alemão.

Dados do INE espanhol indicam que a hotelaria do país teve menos 217,2 mil dormidas este Setembro que no mês homólogo de 2018, porque teve menos 366,5 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiro devido principalmente à quebra de 591,2 mil dormidas de residentes na Alemanha.

A informação do INE indica que a hotelaria espanhola recebeu em Setembro 11,02 milhões de turistas, 56,3% deles residentes no estrangeiro, num total de 6,2 milhões, +0,7% ou mais 44,9 mil que em Setembro de 2018.

Ainda assim, teve menos 336,5 mil dormidas de turistas residentes no estrangeiro (-1,4%, ficando em 25,99 milhões), porque a sua estada média caiu 2,1%, para 4,19 noites.

Essa tendência de descida da estada média como causa principal da quebra de dormidas foi evidente em vários emissores, a começar pelo maior, o Reino Unido, de onde teve um aumento de 13 mil hóspedes (+1%, para 1,286 milhões), mas ainda assim menos 2,7 mil dormidas (-0,04%, para 7,087 milhões), porque a estada média caiu 1,1%, para 5,51 noites.

Mas onde foi mais gravosa foi na Alemanha, segundo maior emissor para a hotelaria espanhola, com 5,21 milhões de dormidas em Setembro, porque, com um decréscimo em 3,3%, para 5,78 noites, agravou a queda do número de hóspedes em 7,1% (menos 25,4 mil, para 901,1 mil), para uma quebra em 10,2% em número de dormidas.

Os dados do INE mostram que Portugal foi uma das excepções a essa tendência de decréscimo da estada média, com uma subida em 2,8%, para 3,16 noites, com a qual o aumento em 2,1% do número de hóspedes (mais 3,5 mil, para 172,5 mil) ampliou-se para uma subida em 5% do número de dormidas (mais 25,8 mil, para 545,7 mil).

Portugal foi assim um dos emissores que ajudou a contrariar a queda de dormidas de turistas residentes no estrangeiro, que teve como principais expoentes os Estados Unidos, com um aumento de 144 mil (+19,3%, para 888,7 mil), e a Irlanda, com mais 86,5 mil (+16,3%, para 617 mil), bem como o conjunto “América sem EUA”, com mais 159,4 mil (+17,8%, para 1,05 milhões).

Continua em:

Hotelaria espanhola ‘perdeu’ até Setembro 3,4 milhões de dormidas de residentes na Alemanha

 

Clique para mais notícias: Hotelaria espanhola

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Espanha

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

31º Congresso Nacional da Hotelaria começa hoje em Viana do Castelo com 450 participantes

20-11-2019 (11h56)

O 31.º Congresso Nacional de Hotelaria e Turismo, organizado pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), começa hoje em Viana do Castelo e vai reunir, segundo a nova estimativa da Associação, 450 participantes.

Vila Nova de Gaia arrecadou 1,1 milhões de euros com taxa turística desde Dezembro

19-11-2019 (10h24)

A Taxa de Cidade de Vila Nova de Gaia, conhecida como taxa turística, rendeu 1,1 milhões de euros desde a sua implementação em Dezembro de 2018, anunciou o presidente da Câmara, Eduardo Vítor Rodrigues.

Vila Galé vai construir um resort em Alagoas, diz governador do estado

19-11-2019 (00h15)

A Vila Galé vai construir um resort com 442 quartos em Alagoas, no Nordeste do Brasil, anunciou o governador do estado, Renan Filho. Contactado pelo PressTUR, o grupo hoteleiro diz apenas que está a analisar e prevê dar notícias em breve.

Vila Galé desiste de resort na Bahia criticado por estar em potencial reserva indígena

18-11-2019 (19h52)

O grupo hoteleiro português Vila Galé anunciou que vai abandonar o projecto do resort Vila Galé Costa do Cacau, na Bahia, que tem sido criticado por estar num local de potencial reserva indígena.

Alojamento local capta metade das ‘novas dormidas’ em Portugal este ano

16-11-2019 (09h48)

Os estabelecimentos de alojamento local acumulam no final de Setembro um aumento de 900,4 mil dormidas em relação aos primeiros nove meses de 2018, o que equivale a cerca de metade do aumento global de dormidas em todas as formas de alojamento turístico em Portugal, que é em 1,867 milhões.

Noticias mais lidas