Alemanha, Brasil e ‘emergentes’ fazem mais de 60% do aumento de dormidas de estrangeiros na hotelaria portuguesa

16-08-2017 (08h38)

Brasil e Estados Unidos lideraram crescimento do número de hóspedes

A Alemanha, com mais 77,2 mil dormidas, o Brasil, com mais 68,6 mil, e o conjunto dos mercados ‘emergentes', que não fazem parte do Top13, com mais 130,2 mil, foram os ‘motores' do crescimento de dormidas no alojamento turístico português no mês de Junho.

Cálculos do PressTUR com base nos dados do INE indicam que essas três origens de turistas somaram 62,6% do aumento de dormidas no primeiro mês da época alta, com 17,5% da Alemanha, 15,6% do Brasil e 29,5 dos ‘emergentes'.

Também com ‘fatias' de dois dígitos do aumento de dormidas de turistas na hotelaria portuguesa em Junho estiveram os residentes no Reino Unido, com mais 49,5 mil, representando 11,3% do total, e Estados Unidos, com mais 45,7 mil, representando 10,4% do total.

Os dados do Instituto indicam que o alojamento turístico português, incluindo hotéis, hotéis-apartamentos, pousadas, apartamentos turísticos, aldeamentos turísticos e "outros alojamentos", somou 5,93 milhões de dormidas de 2,05 milhões de hóspedes no mês de Junho, com aumentos respectivamente em 8% e em 8,5%.

Em hóspedes, os mercados que mais contribuíram para o aumento em 160,4 mil foram o Brasil, com mais 32,1 mil (20% do aumento total), Estados Unidos, com mais 20,8 mil (13% do aumento total) e Alemanha, com mais 15,5 mil (9,7% do aumento total).

O Reino Unido manteve-se, no entanto, o maior emissor, com 233,9 mil turistas no alojamento turístico português (+1,1% que há um ano), seguindo-se Alemanha com 141,9 mil (+12,3%), França com 146 mil (-4,4%), Espanha com 139,3 mil (+6,8%), Brasil com 85,9 mil (+59,6%), Estados Unidos com 78,7 mil (+35,9%), Países Baixos com 60 mil (-0,4%), Itália com 50 mil (+13,1%), Irlanda com 45,6 mil (+14,5%), Bélgica com 27,6 mil (+0,1%), Suíça com 24,5 mil (+7,1%), Suécia com 12,4 mil (+11,1%) e conjunto dos ‘outros' com 244,5 mil (+29%).

Em dormidas, o Reino Unido também é o emissor líder e o único internacional a ultrapassar o milhão de pernoitas, com 1,13 milhões (+4,6%), seguindo-se Alemanha, com 597,8 mil (+14,8%), França com 422,9 mil (-3,9%), Espanha, com 309,6 mil (+3,8%), Países Baixos com 259,3 mil (+0,9%), Irlanda com 237,6 mil (+12,8%), Brasil com 193,3 mil (+55%), Estados unidos com 176,1 mil (+35%), Polónia com 114,6 mil (+19%), Bélgica com 97,1 mil (+0,9%), Suíça com 74 mil (+12,4%), Suécia com 44,8 mil (+12,6%) e conjunto dos ‘outros' com 613 mil (+27%).

Os mercados internacionais somaram, assim, 4,39 milhões de dormidas no alojamento turístico português no mês de Junho, com um aumento em 11,2% ou 441,1 mil, compensando o ligeiro decréscimo do mercado doméstico, que somou 1,54 milhões de pernoitas, em baixa de 0,2% ou 2,6 mil.

 

Para ler mais sobre a hotelaria portuguesa em Junho clique:

Proveitos da hotelaria portuguesa aumentam 220 milhões de euros no primeiro semestre

Hotelaria portuguesa soma mais 2,2 milhões de dormidas no primeiro semestre

 

Clique para mais notícias: Hotelaria portuguesa

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

W São Paulo abre em 2021 com assinatura de Nini Andrade Silva

16-10-2018 (14h16)

A Marriott International anunciou que vai abrir o seu primeiro hotel de luxo no Brasil em 2021, o W São Paulo, que terá a assinatura da designer portuguesa Nini Andrade Silva.

Receitas da hotelaria portuguesa crescem há 52 meses... mas abrandamento instala-se

15-10-2018 (17h00)

A hotelaria portuguesa concluiu em Agosto o 52º mês consecutivo de aumento dos proveitos, mas já sem os aumentos a dois dígitos que se sucediam desde o primeiro quadrimestre de 2014, tendo registado em Agosto o aumento mais fraco desde 2013, se excluídos os efeitos de calendário pelas alterações da data da Páscoa.

Dormidas de estrangeiros na hotelaria portuguesa caem há cinco meses consecutivos

15-10-2018 (16h53)

"Dormidas de não residentes mantêm tendência negativa", destacou o INE ao divulgar hoje os dados do turismo no alojamento turístico ‘tradicional', evidenciando assim que a quebra ocorrida em Agosto não foi uma excepção.

Lisboa espera arrecadar 36,5 milhões de euros com taxa turística em 2019

15-10-2018 (15h52)

A Câmara Municipal de Lisboa prevê arrecadar 36,5 milhões de euros com a Taxa Municipal Turística em 2019, mais do dobro do estimado em 2018, que foi de 14,4 milhões, anunciou hoje o vereador das Finanças, João Paulo Saraiva.

Número de turistas britânicos na hotelaria portuguesa cai há 11 meses consecutivos

15-10-2018 (15h21)

O turismo internacional na hotelaria portuguesa caiu mesmo em Agosto, tradicionalmente mês de ‘pico’ da actividade turística, especialmente da parte dos cinco maiores emissores europeus e designadamente do maior de todos, o Reino Unido, que regista quedas de hóspedes e dormidas há 11 meses consecutivos.