AHP faz avaliação positiva deste Governo, afirma presidente da AHP

11-11-2017 (11h47)

"Não quer dizer que estejamos de acordo em tudo, mas fazemos uma avaliação positiva" da actuação do actual Governo, diz ao PressTUR o presidente da AHP, Raul Martins, embora considere que "o Compete não foi bom para o turismo", mas porque "houve outros instrumentos que vieram ajudar".

“Também por isso nós estamos satisfeitos com a actuação do Governo. Agora, achamos que o RJET [Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos] tem que ser actualizado”, acrescentou.

 

PressTUR: Há dias o presidente da CTP dizia que o que mais pedia era que aumentassem as verbas para a promoção. O que vão fazer agora?

Raul Martins: O Orçamento de Estado é aprovado pelo Governo e o Governo retirou verbas à promoção, o que para nós é negativo. Não podemos pensar no dia de hoje, temos que pensar no dia de amanhã e nós precisamos de promoção. Há eventos que precisam de ser promovidos e que fazem promover o país.

 

PressTUR: Retirou quanto? É significativo?

Raul Martins: Não sei ao certo, mas é significativo. Pensa-se que o Governo justificará dizendo que hoje a promoção não se faz com verbas directas e faz-se através da internet e das plataformas.

 

PressTUR: O que é bastante caro. Basta ver quanto gasta uma Expedia, a Booking ou a Uber...

Raul Martins: Mas temos as regiões a fazer promoção, porque têm que pagar às low cost para as low cost virem.

 

PressTUR: O turismo, apesar do crescimento e de todos os discursos, continua a ser um parente pobre da economia em termos governamentais?

Raul Martins: Nós para o Portugal 2030 assinalámos a situação de que não quereríamos ver o apoio para o turismo incluído na indústria, como foi para o Portugal 2020. Ao ser incluído na indústria, a análise muitas vezes é insuficiente. Ainda por cima o Compete 2020 está muito direccionado para a inovação e às vezes há dificuldade em se perceber o que é inovação num hotel. Sei de um hotel que tem um conceito de que as refeições são preparadas pelos clientes. É ou não inovação? É muito difícil destrinçar o que é inovação. Portanto, o que nós pedimos e o plano estratégico para o turismo que foi aprovado esperamos que vá permitir isso, é que no 2030 haja uma fatia específica para o turismo.

 

PressTUR: A AHP faz uma avaliação positiva ou negativa da acção deste Governo?

Raul Martins: Fazemos uma avaliação positiva. Não quer dizer que estejamos de acordo em tudo, mas fazemos uma avaliação positiva.

 

PressTUR: E o financiamento?

Raul Martins: O financiamento que foi implementado em 2016 e que foi esgotado e em 2017 parece que já está quase esgotado foi sobre a requalificação. Havia muitos hotéis que precisavam de requalificação, que estavam mal conservados ou que podiam melhorar a sua qualificação e serviços, ter mais um bar ou kids club. Em 2016 foram 60 milhões disponibilizados em condições e prazos que não eram habituais. Chegámos aos dez anos, com três anos de carência. Estamos a falar de 60 milhões mas os bancos põem outros 60 milhões ao lado, porque se for PME este fundo vai até 60%, senão for PME vai a 40%. Portanto, 60 milhões traduziram-se em financiamentos de 120 milhões, mais o capital próprio dos proprietários. Em 2016 teve bastante sucesso e ajudou muito à requalificação dos hotéis. Em 2017 é 75 milhões. Esperamos que em 2018 continue.

 

PressTUR: Mais dez milhões para sustentabilidade.

Raul Martins: Portanto, o Compete não foi bom para o turismo, e de facto houve outros instrumentos que vieram ajudar. Também por isso nós estamos satisfeitos com a actuação do Governo. Agora, achamos que o RJET [Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos] tem que ser actualizado.

 

Continua:

Aeroporto de Lisboa e RJET são as prioridades da ‘agenda’ da AHP

 

Ver também:

Calendário da solução aeroportuária para Lisboa “não está a ser respeitado”, alerta Raul Martins, presidente da AHP

“ATL terá que desenvolver soluções que façam prolongar a estadia”, defende Raul Martins

Redução da verba para promoção no Orçamento de Estado “é um contra-senso”

“Se temos qualidade, podemos ter melhor preço”, defende presidente da AHP

“Nós não estamos contra a Booking. Só estamos contra a cláusula de paridade” — presidente da AHP

“Tem que haver um controlo sobre o alojamento”, defende Raul Martins

Entre hotéis e alojamento local “a concorrência não existe”, defende presidente da AHP

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Quinta da Pacheca aumenta capacidade hoteleira com investimento de 4,9 milhões de euros

21-06-2018 (11h33)

A unidade hoteleira The Wine House Hotel Quinta da Pacheca, localizada no Douro, está a desenvolver um projecto de renovação e aumento da sua oferta com um investimento de 4,9 milhões de euros.

Be Live Hotels incorpora dois novos hotéis em Varadero

19-06-2018 (11h33)

A Be Live Hotels, divisão hoteleira do grupo Globalia, incorporou dois novos hotéis de 4-estrelas em Varadero, elevando a sua oferta hoteleira em Cuba para 1.502 quartos em sete unidades.

Taxa turística de Gaia começa em Setembro com valores diferentes para época alta e baixa

19-06-2018 (09h42)

A “Taxa de Cidade de Vila Nova de Gaia”, como foi baptizada a taxa turística de Gaia, entra em vigor em Setembro e vai custar dois euros em época alta e metade em época baixa.

Hotelaria portuguesa tem este ano o crescimento mais fraco das dormidas no 1º quadrimestre desde 2013

15-06-2018 (18h01)

O alojamento turístico português terminou o primeiro quadrimestre com um aumento das dormidas em apenas 1,6%, que é a variação mais fraca desde 2013, em que teve um aumento em 0,7% nos primeiros quatro meses.

Proveitos da hotelaria portuguesa resistem ao abrandamento da procura via preços

15-06-2018 (17h58)

Apesar de um abrandamento do crescimento das dormidas para 1,6%, os proveitos mantiveram-se a crescer próximo dos 10%, suportados por um aumento em 7,7% dos proveitos por dormida, com realce para os aumentos em 8,2% nas regiões de Lisboa e Centro.