Hotelaria de Lisboa completa sete anos consecutivos de ganhos de RevPAR

05-02-2020 (16h32)

A hotelaria de Lisboa teve em 2019 o sétimo ano consecutivo de subida da RevPAR, indicador que mede a receita de quartos ponderada pela taxa de ocupação e que é o mais utilizado para comparações internacionais.

Os dados publicados pelo Observatório do Turismo de Lisboa elaborado pela ATL, Associação de Turismo de Lisboa, indicam que as três categorias de hotéis da cidade de Lisboa que inclui na sua informação tiveram ganhos de RevPAR modestos em 2019 face a 2018, entre 0,1% nos 3-estrelas e 2,7% nos 5-estrelas, mas que ocorrem ‘em cima’ de aumentos sucessivos desde 2012.

Os dados do Observatório coligidos pelo PressTUR mostram que, de facto, entre 2012 e 2019 a RevPAR média dos hotéis de Lisboa subiu mais de 90% nas três categorias.

A maior subida foi nos 3-estrelas, em 94,08%, de 35,16 euros para 68,24 euros, seguiram-se os 4-estrelas, que é a categoria com maior número de quartos na capital, com +90,88%, de 41,9 para 79,98 euros, e, muito próximo, os 5-estrelas, com +90,15%, de 67,3 para 127,97 euros.

A mesma informação indica que a RevPAR média dos 3-estrelas subiu anualmente a dois dígitos entre 2013 e 2018, ano em que o aumento foi em 15%, ‘em cima’ do qual em 2019 subiu mais 0,1%.

Nos 4-estrelas as subidas a dois dígitos foram apenas em 2014, com +14,5%, e 2017, com +21,8%, tendo abrandado no ano de 2019 para 1,9%, se bem que em cima de um aumento em 7,3% no ano de 2018.

Os 5-estrelas tiveram ganhos de RevPAR a dois dígitos nos anos de 2014 (+14,35%), 2015 (+15,19%) e 2017 (+21%), que no ano passado abrandaram para 2,7% e sem que o aumento em 20018 também tivesse sido muito expressivo, tendo ficado em 3,7%.

Os dados do Observatório também permitem ver que as subidas de RevPAR se deram a par de aumentos dos preços médios das diárias que também sobem há sete anos consecutivos.

O preço médio das diárias dos hotéis 3-estrelas de Lisboa aumentou 63,5% entre 2012 e 2019, passando de 49,21 para 80,46 euros, nos 4-estrelas o aumento foi de 58,5%, de 61,82 para 98 euros, e nos 5-estrelas foi de 48,8%, passando de 121,28 para 180,46 euros.

Estes dados evidenciam que a subida da RevPAR de 2012 para 2019 incorpora também ganhos de ocupação, cujos valores médios anuais aumentaram a dois dígitos, com +18,7% nos 3-estrelas, de 71,45% em 2012 para 84,81% em 2019, com +20,39% nos 4-estrelas, de 67,79% para 81,61%, e com +27,8% nos 5-estrelas, de 55,49% para 70,92%.

Porém em ocupação não só não se verificaram aumentos consecutivos desde 2012, como, aliás, ocorreram quebras, ainda que pouco expressivas, em 1,85%, em 2019 nos 4-estrelas e em 0,4% nos 4-estrelas e em 2,87% nos 5-estrelas em 2018 em relação a 2017.

 

Clique para mais notícias: Observatório do Turismo de Lisboa

Clique para mais notícias: Hotelaria

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair admite ter a frota imobilizada “pelo menos” em Abril e Maio

03-04-2020 (18h28)

A low cost Ryanair indicou hoje que espera ter que manter imobilizada a sua frota “pelo menos” este mês e em Maio, referindo que actualmente está com menos de 20 voos diários, significando uma redução em 99% em relação à sua operação normal, em que fazia diariamente mais de 2.500 voos.

Rock in Rio adiado para 2021

03-04-2020 (13h04)

O festival de música Rock in Rio Lisboa, que estava previsto para os dias 20, 21, 27 e 28 de Junho, foi adiado um ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Portugueses em Timor-Leste regressam no Sábado

03-04-2020 (12h05)

Os portugueses que se encontravam a trabalhar em Timor-Leste, a maioria dos quais como professores, vão partir do aeroporto de Díli no Sábado de manhã rumo a Lisboa a bordo de um Boeing B767-300ER da euroAtlantic Airways.

Governo fecha aeroportos ao tráfego de passageiros entre 9 e 13 de Abril, António Costa

02-04-2020 (19h27)

O primeiro-ministro anunciou hoje que Portugal vai encerrar ao tráfego de passageiros todos os aeroportos portugueses no período da Páscoa, entre os dias 9 e 13 deste mês, excepção feita aos voos de Estado, de carga ou humanitários.

IAG amplia redução da operação em Abril e Maio para 90% e acordos para redução de encargos com pessoal

02-04-2020 (18h20)

O IAG, grupo que engloba British Airways, Aer Lingus, Iberia, Vueling e Level, anunciou hoje que decidiu ampliar a redução da operação em Abril e Maio, de “pelo menos 75%” para “aproximadamente 90”.

Noticias mais lidas