Hotéis 4-estrelas de Lisboa resistem à queda de ocupação e ‘equilibram’ RevPAR

04-10-2019 (16h42)

Os hotéis 4-estrelas de Lisboa, onde se concentram mais de metade dos quartos de hotel de 3 a 5 estrelas da capital portuguesa, com aproximadamente 10,6 mil, foram a única categoria a praticamente manter a mesma receita de quartos por quarto disponível (RevPAR) este Agosto, em que segundo o Observatório do Turismo publicado pela ATL os 5-estrelas tiveram uma quebra em 9,4% e nos 3-estrelas a descida foi em 4,5%.

Os dados do Observatório mostram que a diferença esteve na evolução do preço médio de quartos, que nos 3-estrelas subiu 3,3%, para 95,95 euros, a melhor taxa média para um mês de Agosto desde pelo menos 2007, enquanto os 5-estrelas baixaram 7,6%,para 168,26 euros, e os 3-estrelas baixaram 4,4%, para 80,98 euros.

Desta forma, embora tendo da descida da taxa de ocupação mais forte no mês de Agosto, em 3,4% ou 3,14 pontos, para 88,42%, os 4-estrelas, com 84,83 euros por quarto disponível, quase mantiveram a RevPAR de Agosto de 2018 (85,06 euros), que é a melhor do mês desde pelo menos 2007.

Os 5-estrelas, por sua vez, a acrescer à descida do preço médio tiveram uma queda da taxa de ocupação em 1,9% ou 1,43 pontos, para 72,18%, cada vez mais distante dos 80,36% que atingiu em Agosto de 2016.

Idêntica evolução verificou-se nos 3-estrelas, em que a agravar o impacto da descida do preço médio em 4,4% deu-se uma ligeira queda da taxa de ocupação, em0,1% ou 0,12 pontos, para 92,06%, mais longe portanto dos 93,76% de Agosto de 2014.

Apesar desta evolução no mês de Agosto, os dados do Observatório para o conjunto dos primeiros oito meses deste ano indicam que os hotéis de 4 e 5-estrelas estão com os melhores valores de RevPAR do período desde pelo menos 2007, com 78,89 euros nos 4-estrelas e 124,74 euros nos 5-estrelas.

Os 3-estrelas, por sua vez, estão com o segundo melhor valor (68,3 euros) para o período, com 67,85 euros, apenas 0,7% abaixo do período homólogo de 2018.

A sustentação dos preços é o que os dados apontam como explicação para a evolução da RevPAR dos hotéis de Lisboa, com subida do preço médio em 4,3% nos 4-estrelas, para 97,29 euros, e manutenção nos 5-estrelas, em 176,79 euros, enquanto nos 3-estrelas há uma ligeira descida em 1%, para 79,27 euros.

A subida do preço médio nos 4-estrelas, de acordo com os dados do Observatório permitiu ‘acomodar’ uma queda da taxa média de ocupação em 3,3%, para 81,09%.

A informação indica que os 4-estrelas são os únicos com queda da ocupação média nos primeiros oito meses do ano, em que os 5-estrelas têm uma subida em 0,8% ou 0,58 pontos, para 70,56%, e os 3-estrelas melhoram 0,3% ou 0,3 pontos, para 85,59%, que é a melhor média do período desde pelo menos 2007.

 

Clique para ver mais: Hotelaria

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair admite ter a frota imobilizada “pelo menos” em Abril e Maio

03-04-2020 (18h28)

A low cost Ryanair indicou hoje que espera ter que manter imobilizada a sua frota “pelo menos” este mês e em Maio, referindo que actualmente está com menos de 20 voos diários, significando uma redução em 99% em relação à sua operação normal, em que fazia diariamente mais de 2.500 voos.

Rock in Rio adiado para 2021

03-04-2020 (13h04)

O festival de música Rock in Rio Lisboa, que estava previsto para os dias 20, 21, 27 e 28 de Junho, foi adiado um ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Portugueses em Timor-Leste regressam no Sábado

03-04-2020 (12h05)

Os portugueses que se encontravam a trabalhar em Timor-Leste, a maioria dos quais como professores, vão partir do aeroporto de Díli no Sábado de manhã rumo a Lisboa a bordo de um Boeing B767-300ER da euroAtlantic Airways.

Governo fecha aeroportos ao tráfego de passageiros entre 9 e 13 de Abril, António Costa

02-04-2020 (19h27)

O primeiro-ministro anunciou hoje que Portugal vai encerrar ao tráfego de passageiros todos os aeroportos portugueses no período da Páscoa, entre os dias 9 e 13 deste mês, excepção feita aos voos de Estado, de carga ou humanitários.

IAG amplia redução da operação em Abril e Maio para 90% e acordos para redução de encargos com pessoal

02-04-2020 (18h20)

O IAG, grupo que engloba British Airways, Aer Lingus, Iberia, Vueling e Level, anunciou hoje que decidiu ampliar a redução da operação em Abril e Maio, de “pelo menos 75%” para “aproximadamente 90”.

Noticias mais lidas