GDS representam menos de um terço das reservas de voos, Amadeus

11-06-2019 (18h04)

A resposta do Amadeus às críticas da IATA sobre o seu papel em relação ao NDC revela aspectos pouco conhecidos da actividade, como, por exemplo, que os GDS, que são as ‘ferramentas’ mais usadas pelas agências de viagens, representam menos de um terço do total de reservas das companhias de aviação.

A empresa especifica, aliás, para contestar o alegado “poder de mercado” dos GDS, que no ano passado, “os bilhetes distribuídos através dos três maiores GDS representaram uma minoria dos bilhetes de avião distribuídos” e que no seu caso, líder com mais de 40% do mercado dos três grandes GDS, as reservas processadas são menos de 20% do mercado total de bilhetes de avião.

A alegação do Amadeus visa directamente a acusação de que tem práticas anti-competitivas, o que não só contesta como contrapõe que são os canais de distribuição directa das companhias que têm a maioria do mercado de distribuição de bilhetes.

Acresce, avança o Amadeus, que os três grupos de aviação “dominantes” na Europa actualmente cobram taxas às agências que fazem reservas através dos GDS, que, diz, são mais elevadas do que as fees cobradas pelo Amadeus pelos serviços de distribuição, contrariando assim a alegação com que essas taxas foram criadas, de que seriam para cobrir os altos custos dos GDS.

Além disso, realça o Amadeus, as companhias têm estado a aumentar essas taxas, exemplificando que ainda a 9 de Maio a Iberia e a British Airways fizeram o terceiro aumento desde que passaram a aplicar a taxa.

O Amadeus ataca também na resposta às alegações da IATA na ACPAC que os GDS tenham práticas monopolistas, realçando que nenhuma empresa com uma quota de 20% conseguiria ter práticas monopolistas, além de que os GDS na Europa têm que respeitar o Código de Conduta definido a nível da União Europeia, nomeadamente listando as propostas das companhias de aviação de forma neutral e não discriminatória.

A resposta enfatiza que os acordos que o Amadeus estabelece não impedem as companhias de aviação de baixar as tarifas em outros canais, não restringem de forma nenhuma a sua possibilidade de trabalharem com outros fornecedores e não impedem companhias de aviação e agentes de viagens de adoptarem soluções tecnológicas de terceiros ou soluções baseadas em NDC.

“Tudo o que o Amadeus procura conseguir através de negociações com aquelas companhias utilizam os seus sistemas de distribuição é que os agentes de viagens subscritores não recebem pior conteúdo das companhias de aviação participantes do que as agências de viagens que utilizem outros fornecedores de GDS”, garante a empresa.

Continua:

Amadeus já tem capacidade para processar 75 mil transacções por segundo

 

Clique para mais notícias: Amadeus

Clique para mais notícias: IATA

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Beijing Capital muda voos de/para Lisboa para o novo aeroporto da capital chinesa

20-09-2019 (13h42)

A Beijing Capital, única companhia de aviação chinesa a voar de/para Portugal, vai alterar o aeroporto de partida/chegada a Pequim para o novo aeroporto da capital chinesa, o Beijing Daxing (PKX).

Aeroporto do Porto vai renovar o sistema ILS para melhorar aterragens quando há nevoeiro

19-09-2019 (17h38)

O Aeroporto do Porto vai ter um “renovado sistema ILS (Landing Sistem, ou sistema de aterragem, em tradução livre) para garantir melhores condições” à infraestrutura, nomeadamente quando há nevoeiro, revelou hoje à Lusa a NAV – Navegação Aérea de Portugal.

Magnet junta companhias aéreas e agentes de viagens em Lisboa, Porto e Coimbra

19-09-2019 (16h53)

A Magnet vai organizar em Outubro, em Lisboa, Porto e Coimbra, um evento para juntar agentes de viagens e as principais companhias de aviação que operam em Portugal.

Convento do Carmo em Moura e Quartel do Carmo na Horta vão ser hotéis de 5-estrelas

19-09-2019 (16h33)

Os contratos de concessão do Convento do Carmo, em Moura, e do Quartel do Carmo, na Horta, foram assinados hoje e prevêem conversão dos imóveis em hotéis de 5-estrelas, com um investimento de cerca de 14 milhões de euros.

Receitas dos hotéis em Macau subiram 14,5% em 2018

19-09-2019 (16h06)

As receitas dos hotéis em Macau atingiram 37,29 mil milhões de patacas (4,2 mil milhões de euros) em 2018, mais 14,5% que no ano anterior, anunciou hoje a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos de Macau.

Noticias mais lidas