Ministro da Economia realça reforço do número de expositores portugueses na ITB

07-03-2018 (21h20)

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, realçou hoje em Berlim o aumento do número de expositores portugueses na ITB, uma das maiores feiras de turismo do mundo, indicando que passaram de 76 em 2017 para cem este ano.

Em declarações à agência Lusa, Manuel Caldeira Cabral, que participa hoje na feira, declarou que esse aumento “demonstra o crescente interesse que o mercado alemão tem para o turismo português”.

“O que os empresários portugueses têm salientado é a importância que este mercado tem após o crescimento que teve no passado. E, de facto, o crescimento em termos gerais foi de 17%, um crescimento muito bom” e que “algumas zonas [do país] e em algumas cadeias de hotéis até foi superior”, referiu.

De acordo com Manuel Caldeira Cabral, em 2017 mais de 1,3 milhões de turistas alemães pernoitaram nos hotéis portugueses, registando-se, também dois milhões de chegadas de turistas a Portugal.

“É um mercado que está a crescer mais do que em número, está a crescer em valor”, com os gastos em Portugal de turistas residentes na Alemanha a aumentarem 17%, mantendo-se assim a Alemanha como o “quarto principal emissor” para Portugal.

“Quando o número de empresas que aqui estão sobe de 76 para 100 isso significa bem a aposta que as empresas estão a fazer ao considerar que este mercado tem um potencial adicional para crescer bem, ao longo de todo o ano e penetrando mais no território”, sustentou.

Manuel Caldeira Cabral disse que a expectativa em relação à feira “é muito positiva, quer das empresas que estão presentes quer dos operadores turísticos alemães, que […] demonstraram muito optimismo sobre o mercado português”.

Em causa estão turistas com “características diferentes dos turistas de outros países, no sentido em que são turistas com mais interesse no turismo de natureza e em descobrir o país de forma mais ampla”.

“Portanto, muitos turistas alemães vêm para Portugal para sol e praia, mas este crescimento aconteceu muito também no turismo de cidade, de natureza, tanto na região dos Açores, como também um pouco por todo o país, na região centro e na região norte”, precisou Manuel Caldeira Cabral.

Dados do INE indicam que no ano passado a hotelaria portuguesa recebeu 1,3 milhões de turistas residentes na Alemanha, 27,6% deles ou 361,9 mil em Lisboa, 26,7% ou 349,1 mil no Algarve, 22,5% ou 294,6 mil na Madeira, 10,8% ou 141 mil no Porto e Norte, 5,6% ou 73,1 mil no Centro, 5% ou 66,1 mil nos Açores e 1,8% ou 24,1 mil no Alentejo.

As suas dormidas ascenderam a 5,64 milhões, 35,1% ou 1,979 milhões no Algarve, 32,9% ou 1,856 milhões na Madeira, 18,2% ou 1,03 milhões em Lisboa, 5,5% ou 312 mil no Porto e Norte, 4,5% ou 255,2 mil nos Açores, 2,9% ou 166,5 mil no Centro e 0,8% ou 46,2 mil no Alentejo.

A informação do Instituto mostrou também que o crescimento do mercado alemão em dormidas no alojamento turístico português foi de 7,7%, com aumentos em 19,8% no Centro, 12,4% no Alentejo, 11,2% nos Açores, 10,6% em Lisboa, 10% no Algarve, 7,3% no Norte e 2,6% na Madeira.

Em valor absoluto, o aumento foi em 404,9 mil pernoitas, 44,4% das quais ou 179,8 mil no Algarve, 24,4% ou 98,7 mil em Lisboa, 11,6% ou 46,8 mil na Madeira, 6,8% ou 27,5 mil no Centro, 6,3% ou 25,7 mil nos Açores, 5,3% ou 21,3 no Porto e Norte e 1,3% ou 5,1 mil no Alentejo.

Os dados do Instituto mostraram também que a Alemanha foi o 4º mercado internacional em número de hóspedes, representando 10,3% do total de turistas estrangeiros no alojamento turístico português, depois do Reino Unido, Espanha e França, mas com o terceiro maior aumento em relação a 2016.

Em dormidas, a Alemanha foi o segundo maior emissor, com 13,6% do total de pernoitas, e foi também o mercado que teve o segundo maior aumento, atrás apenas do Brasil.

Em gastos em Portugal, ou receitas turísticas portuguesas, a Alemanha foi a 4ª maior origem, com 11,4% do total ou 1.731,8 milhões de euros, e proporcionou o 3º maior aumento do ano, com mais 249,6 milhões de euros (+16,8%), atrás de Espanha e Reino Unido.

Nas declarações hoje à Lusa em Berlim, o ministro da Economia assinalou ainda que na ITB há outros mercados a interessarem-se pelo destino Portugal.

“Nesta feira, os operadores que nos procuram não são apenas os do mercado alemão. A visitar esta feira estão pessoas da Áustria, dos países escandinavos, de França, de Espanha, estão as grandes agências mundiais e os grandes investidores”, apontou.

A comitiva portuguesa em Berlim é ainda composta pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

Na edição de 2018 da ITB são esperados cerca de 10 mil expositores de mais de 180 países.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Feiras&Eventos

Clique para mais notícias: ITB

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

RAVT organiza XIV Convenção no Grande Hotel do Luso

20-03-2019 (10h00)

A RAVT vai organizar a sua XIV Convenção no Grande Hotel do Luso, no dia 4 de Maio, reunindo as agências de viagens da rede e vários fornecedores.

BTL 2019 em fotos (II)

19-03-2019 (19h24)

A 31ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que terminou este Domingo, juntou 46 destinos internacionais e um total de 1.400 expositores. Veja aqui as fotos.

BTL 2019 em fotos

18-03-2019 (18h29)

A 31ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que terminou este Domingo, juntou 46 destinos internacionais e um total de 1.400 expositores. Veja aqui as fotos.

Bestravel espera “alguma melhoria” na rentabilidade das vendas na BTL

14-03-2019 (14h21)

O administrador da rede de agências de viagens Bestravel, Carlos Baptista, disse ao PressTUR que prevê “pelo menos manter” o volume de vendas da edição anterior da BTL, mas o seu foco é conseguir “alguma melhoria” na rentabilidade face à edição anterior.

Projecto de ampliação da FIL prevê quase triplicar área expositiva

13-03-2019 (23h54)

A Fundação AIP vai ampliar as instalações da FIL, no Parque das Nações, com um investimento superior a 150 milhões de euros, aumentando a área expositiva de 41 mil metros quadrados para 111 mil metros quadrados.