Empresários de Cabo Verde querem “quebrar o monopólio” no transporte aéreo inter-ilhas

15-05-2019 (14h46)

Foto: Binter
Foto: Binter

A falta de concorrência nos transportes aéreos inter-ilhas dificulta a unificação do mercado, pelo que é necessário encontrar soluções para "quebrar o monopólio", disse o presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (CCISS) cabo-verdiano.

Jorge Spencer Lima falava ontem à imprensa no final de uma reunião do Conselho de Concertação Social, que tinha como um dos pontos da agenda a avaliação da situação económica do país.

Apesar de saudar algumas medidas já tomadas pelo Governo para melhorar o ambiente de negócios, o líder empresarial manifestou a sua preocupação com a questão dos transportes marítimos e aéreos.

No que diz respeito ao transporte aéreo, o representante das entidades empregadoras disse que os preços estão muitos elevados e há dificuldades na disponibilidade de lugares para viajar entre as ilhas.

Nesse sentido, considerou necessário encontrar soluções para "quebrar o monopólio" da companhia aérea Binter Cabo Verde, que desde Agosto de 2017 assegura as operações domésticas, após o Governo retirar a então companhia aérea nacional TACV.

"É preciso procurar soluções para que haja concorrência, equilíbrio dos preços, para que as empresas não possam trabalhar num mercado de monopólio, e que reflita a situação dos preços para facilitar essa mobilidade interna em Cabo Verde que estamos a precisar", continuou o líder da entidade representativa da classe empresarial da região de Sotavento - constituída pelas ilhas de Maio, Santiago, Fogo e Brava.

Jorge Spencer Lima disse ainda que os empresários ainda não constataram efeitos práticos da concessão do serviço de transporte marítimo à Tansinsular, alertou para o custo "extremamente elevado" da energia e considerou que o país precisa de ter capacidade para produzir e exportar.

Ainda sobre a situação económica do país, o presidente da Confederação Cabo-verdiana dos Sindicatos Livres (CCSL), José Manuel Vaz, afirmou que os parceiros sociais concluíram que o país "avançou significativamente" nos últimos anos, não obstante alguns aspectos que ainda afectam o processo do desenvolvimento, nomeadamente a falta de emprego, sobretudo entre os jovens.

Quem também alertou para a "elevadíssima taxa" de desemprego jovem foi a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos - Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, defendendo que é preciso ainda repôr o poder de compra dos trabalhadores e alterar planos de cargos e carreiras de algumas classes profissionais.

Outro ponto da agenda da reunião foi a apresentação das conclusões do estudo de viabilidade sobre sistema de protecção social dos trabalhadores marítimos, com a secretária-geral da UNTC-CS a dizer que o Governo "saiu mal", uma vez que a deliberação remonta há 25 anos e que já deveria estar a ser executada.

Sobre este ponto, a secretária Estado para a Modernização Administrativa, Edna Oliveira, esclareceu que o que foi apresentado foram as conclusões do estudo de viabilidade e que foram identificados três modelos para o sistema de protecção social dos trabalhadores marítimos.

Segundo a governante, os parceiros sociais acordaram que o Conselho Diretivo do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) vai optar por um dos modelos, elaborar um estudo sobre o seu impacto financeiro e depois enviar ao Governo para a decisão final.

Os parceiros sociais acordaram ainda que será identificado um espaço para o funcionamento do Conselho de Concertação Social, com um secretariado fixo para fazer todo o trabalho de acompanhamento das reuniões, elaboração das atas e outros documentos.

O Conselho de Concertação Social de Cabo Verde é composto por quase duas dezenas de membros, entre representantes dos trabalhadores, das entidades empregadoras e do Estado.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Cabo Verde

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Binter

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Dois dos principais destinos de turistas estrangeiros em Espanha têm quedas de dormidas em Julho

23-08-2019 (16h36)

Baleares e Canárias, dois dos destinos espanhóis com mais dormidas de turistas residentes no estrangeiro, tiveram quedas de pernoitas neste mês de Julho, que foi, aliás, um mês de queda em 0,6% das pernoitas dos mercados internacionais provocada pela quebra da estada média em 2,4%.

Dormidas de portugueses na hotelaria espanhola sobem a dois dígitos há quatro meses

23-08-2019 (16h11)

A hotelaria espanhola teve em Julho um aumento de dormidas de turistas residentes em Portugal em 10,9%, no que foi o quarto mês consecutivo de aumentos a dois dígitos, com o qual o aumento médio este ano está em 12% e já foram ultrapassados os 2,3 milhões de pernoitas.

Air Europa amplia ligações entre Espanha e o nordeste brasileiro com voos para Fortaleza

23-08-2019 (15h38)

A Air Europa, única companhia espanhola com voos directos entre Espanha e o nordeste brasileiro, disputando esse mercado com a TAP, marcou para Dezembro a introdução do seu terceiro destino nessa região do Brasil, Fortaleza, depois de Salvador e Recife, que lhe valeram 80 mil passageiros nos primeiros sete meses deste ano, com um aumento homólogo em 8,3%.

Grupo Mapa Tours já é do Wamos Group (Springwater)

23-08-2019 (15h32)

O Wamos Group, que em Portugal tem as operações de organização e comercialização de viagens do antigo Grupo Espírito Santo (ES Viagens) e do grupo SONAE (Geostar), já concretizou a opção de compra da totalidade do operador turístico espanhol Mapa Tours, concluindo assim a aquisição iniciada em Outubro do ano passado.

Air Europa vai voar Madrid – Fortaleza a partir de 20 de Dezembro

23-08-2019 (13h58)

A Air Europa, companhia do grupo Globalia, de que fazem parte o operador turístico Travelplan e os hotéis Be Live, vai voar Madrid – Fortaleza a partir de 20 de Dezembro, inicialmente com dois voos por semana e, a partir de Junho, com três voos por semana.

Noticias mais lidas