Alemães e americanos ‘salvam’ balanço em ano de quebra de britânicos nos cruzeiros em Lisboa

26-01-2018 (16h51)

Com mais 48,3 mil passageiros que em 2016, alemães e americanos mais que compensaram a queda do número de britânicos em cruzeiros no porto de Lisboa em 2017, mantendo-se ainda assim a nacionalidade líder, e por grande margem, tendo representado 46,3% do total.

Os dados publicados pela APL - Administração do Porto de Lisboa indicam que os cruzeiros somaram 521.042 passageiros na capital portuguesa em 2017, com um decréscimo de 0,3% ou 1.455 relativamente a 2016 e, por conseguinte, mais distantes do ano recorde de 2013, em que somou 558.040 passageiros.

Desta forma, o Porto de Lisboa, que tinha sido o líder em cruzeiros em Portugal no ano de 2016, no ano passado voltou a ser suplantado pelo Funchal (para ler mais clique: Porto do Funchal recupera liderança nos cruzeiros em Portugal com 539 mil passageiros).

Os dados publicados pela APL permitem ver que a quebra registada no número total de passageiros no ano passado ficou a dever-se principalmente à quebra em 15,5% ou 44,2 mil passageiros britânicos, para 240.982, mas outras nacionalidades também contribuíram para o decréscimo.

Em quebra estiveram também os passageiros de nacionalidade italiana, que foram menos 1.070 que em 2016 (-3,2%, para 32.052), canadianos, que foram menos 1.866 (-20,5%, para 7.231), franceses, que foram menos dois mil (-13,8%, para 12.482), e “outras”, conjunto que reúne todas as nacionalidades que não integram o Top10, que foram menos 15.725 (-43,6%, para 20.351.

A compensar estas quebras, além de mais 36.950 americanos (+60%, para 98.571), e mais 11.389 norte-americanos (+18,3%, para 73.557), duas nacionalidades que atingiram novos recordes em 2017, estiveram também os aumentos de brasileiros, em 2.322 (+60,2%, para 6.180), suíços, em 1.295 (+24,8%, para 6.511), australianos, em 737 (+13,5%, para 6.184), e portugueses, em 726 (+11,7%, para 6.941).

O Top10 das nacionalidades dos passageiros de cruzeiros em Lisboa no ano de 2017 foi composto, assim, por britânicos, com 46,3% do total, alemães, com 18,9%, norte-americanos, com 14,1%, italianos, com 6,2%, franceses, com 2,4%, canadianos, com 1,4%, portugueses, com 1,3%, australianos, com 1,2%, suíços, com 1%, brasileiros, com 0,7%, e “outras”, com 3,9%.

Relativamente a 2016, as alterações mais expressivas são a redução da quota dos britânicos, que nesse ano foram mais de metade dos passageiros de cruzeiros em Lisboa, em 8,3 pontos, e os aumentos das quotas de alemães em 7,1 pontos e norte-americanos em 2,2 pontos.

Os indicadores publicados pela APL mostram adicionalmente que o total de 521.042 passageiros compreendeu 462.127 em trânsito, -2,7% ou menos 12,7 mil que em 2016, e um aumento em 23,7% ou 11,3 mil dos turnaround (que iniciam ou terminam cruzeiros no porto em causa), com +25,4% ou mais 6,1 mil embarques, para 30.225, e +22% ou mais 5,1 mil desembarques, para 28.690.

A informação indica ainda que o Porto de Lisboa teve no ano passado um total de 330 escalas, +19 que em 2016, mas ainda menos 23 que 2013.

O aumento do número de escalas a par do decréscimo do número de passageiros leva à conclusão que no ano passado o número médio de passageiros por escala baixou em cerca de 6%, para aproximadamente 1.579.

Esta tendência é reforçada quando se atende a que, como diz um comunicado da APL, “o Porto de Lisboa bateu o recorde de navios de cruzeiro que escalaram a capital portuguesa, com um total de 123”, mais três que o anterior máximo, datado de 2013, e mais nove que 2016.

O comunicado assinala ainda que “as escalas em turnaround, ou seja, com os passageiros a poder iniciar e/ou terminar em Lisboa a sua viagem, subiram 12% e as escalas em trânsito aumentaram 6%”.

A presidente da APL, Lídia Sequeira, em declaração citada no comunicado afirma que “estamos no início de uma nova era para o turismo de cruzeiros em Lisboa, com perspectivas de grande crescimento, sobretudo agora que a capital portuguesa é uma das mais bem servidas por infra-estruturas de apoio à actividade de cruzeiros”, referindo-se à inauguração do novo terminal, em Novembro (clique para ler: Lisboa já tem nova gare de passageiros no Terminal de Cruzeiros e Portugal “tem condições únicas” para crescer no turismo de cruzeiros – António Costa, primeiro-ministro).

O comunicado avança ainda que “se as estimativas para 2018 se vierem a concretizar, este pode vir a ser o melhor ano de sempre, com novos recordes de escalas e passageiros” e salienta que Lisboa acolhe este ano a 12º edição da Seatrade Cruise Med, uma das maiores feiras de cruzeiros do mundo, a 19 e 20 de Setembro de 2018.

 

Clique para mais notícias: Cruzeiros em Lisboa

Clique para mais notícias: Cruzeiros

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Melair Cruzeiros vai ter serviço de apoio ao passageiro aos fins-de-semana no Verão

21-06-2018 (16h33)

A Melair Cruzeiros anunciou que entre 23 de Junho e 9 de Setembro vai ter aos fins-de-semana o seu serviço de apoio a passageiros de cruzeiros da Royal Caribbean International, Celebrity Cruises e Azamara Club Cruises.

MSC Cruzeiros assina acordo para construção do 5º navio da classe Meraviglia

14-06-2018 (18h30)

A MSC Cruzeiros e a STX France assinaram um acordo para o início da construção do quinto navio da classe Meraviglia, que representa um investimento adicional ao seu plano de expansão de 900 milhões de euros.

MSC Virtuosa é o nome do 4º navio da classe Meraviglia

14-06-2018 (18h24)

A MSC Cruzeiros anunciou em Saint Nazaire, nos estaleiros da STX France, que o quarto navio da classe Meraviglia, ou segundo navio da classe Meraviglia Plus, vai chamar-se MSC Virtuosa.

MSC Seaview é o novo navio da MSC para seguir o Sol (em fotos)

14-06-2018 (15h08)

A MSC Cruzeiros baptizou o MSC Seaview, o segundo navio da classe Seaside, desenhado para tirar partido do mar e dos destinos para os quais leva os seus passageiros enquanto "segue o Sol".

MSC Seaview recebe distinção pela importância atribuída a aspectos ambientais

14-06-2018 (15h04)

A empresa de classificação de consumo responsável de energia RINA atribuiu a distinção de Green Star 3 Design ao MSC Seaview "como reconhecimento da importância que foi atribuída aos aspectos ambientais durante a sua concepção e construção”.