Candidaturas à emissão obrigacionista para o turismo atingem 420 milhões de euros

16-07-2019 (15h26)

A procura pelo empréstimo obrigacionista para o sector do turismo atingiu os 420 milhões de euros, um valor quatro vezes acima do inicialmente esperado, de 100 milhões de euros, de acordo com informação enviada à Lusa pelo Governo.

Fonte oficial da Secretaria de Estado do Turismo adiantou que foram 76 os pedidos de empresas para aderir a este instrumento e que “agora será feita a selecção das empresas, até 13 de Setembro, sendo construída a carteira de obrigações adequada, e posteriormente a estruturação e colocação da emissão (até 15 de Outubro)”.

As candidaturas foram abertas em 17 de Junho e eram dirigidas a PME (pequenas e médias empresas) e ‘mid-caps’, ou seja, sociedades que empreguem até 3.000 funcionários.

Este foi, segundo a mesma fonte, o “primeiro empréstimo obrigacionista lançado em Portugal acessível a PME”, sendo a emissão com um prazo a sete anos e um financiamento de 15 milhões de euros por empresa, com 30% de garantia pública, através do Fundo de Contragarantia Mútuo.

Em Junho, em declarações à Lusa, o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira revelou que a emissão é dirigida a investidores institucionais nacionais e estrangeiros como fundos de investimento e pensões, sendo que as taxas de juros da operação só serão definidas posteriormente.

“Estamos a trabalhar nisto há uns meses, a montar a estrutura necessária para o efeito, a lançar estudos para preparar a operação e a testar o apetite do mercado”, referiu o ministro, questionado sobre a escolha da altura para lançar a emissão.

“Vamos ver se conseguimos lançar estas operações em outros setores. Esta vai ser a primeira vez que fazemos estas operações grupadas destinadas a PME”, salientou, destacando a área industrial como potencial candidata a uma operação deste género.

“O que temos visto são emissões de obrigações de grandes empresas porque os custos associados à emissão de obrigações normalmente são muito elevados e só se justificam para montantes muito significativos”, justificou o ministro.

Siza Vieira recordou ainda que este tipo de operação “obriga a que as empresas emitentes prestem um conjunto de informações e assegurem um conjunto de requisitos que normalmente é difícil às PME conseguirem sozinhas”.

O programa Capitalizar, aliás, tinha previsto lançar formas de financiamento alternativas para as empresas, “para não estarem exclusivamente dependentes do crédito bancário”, referiu o governante.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Portugal

Clique para ver mais: Empresas&Negócios

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Balanço do LATAM evidencia recuperação ‘explosiva’ da aviação no Brasil

16-08-2019 (16h15)

O LATAM, maior grupo de aviação comercial da América Latina, cuja subsidiária brasileira, a LATAM Brasil (antiga TAM), é líder brasileira em voos internacionais, indicou que no segundo trimestre teve um aumento da receita unitária (por lugar voado um quilómetro) de 18,7%, atingindo 29,5% em reais.

Trabalhadores dos hotéis da Fundação INATEL estão hoje em greve

16-08-2019 (12h43)

Os trabalhadores do sector hoteleiro da Fundação INATEL estão hoje em greve para reivindicar melhorias salariais e a um horário de trabalho de 35 horas semanais.

Levantadas restrições ao abastecimento no aeroporto de Lisboa, ANA Aeroportos

16-08-2019 (12h35)

As restrições ao abastecimento de aviões no aeroporto de Lisboa, em vigor desde segunda-feira, foram hoje levantadas, disse à Lusa fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

Grupo SATA transportou mais 8% de passageiros no primeiro semestre

16-08-2019 (11h59)

As companhias aéreas SATA Air Açores e Azores Airlines transportaram 705,7 mil passageiros no primeiro semestre, mais 8% ou mais 52,5 mil que no período homólogo do ano passado, anunciou o Grupo SATA.

Lauak vai produzir em Grândola peças para aviões A320

16-08-2019 (11h39)

A Lauak vai implementar uma unidade de produção de preças para aviões A320 em Grândola, com um investimento de 33 milhões de euros com apoio de fundos comunitários.

Noticias mais lidas