Voos entre Portugal e Reino Unido ultrapassam os quatro milhões de passageiros no 1º semestre

23-07-2019 (16h50)

Foto: ANA
Foto: ANA

O Reino Unido, pesem as incertezas quanto ao Brexit, reforçou no primeiro semestre a liderança das origens/destinos dos aeroportos portugueses, sendo o único mercado de origem/destino a ultrapassar os quatro milhões de passageiros.

Dados de tráfego a que o PressTUR teve acesso permitiram concluir que nos primeiros seis meses do anos os voos de/para o Reino Unido nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e Funchal somaram 4,079 milhões de passageiros, +11,7% ou mais 425,7 mil que na primeira metade de 2018.

Faro foi, como tradicionalmente, o aeroporto português com mais passageiros de ligações aéreas com o Reino Unido, com 47% do total dos quatro maiores aeroportos portugueses, mas Lisboa foi o que teve o maior aumento, com mais 198,3 mil que no primeiro semestre de 2018.

Os dados a que o PressTUR teve acesso indicam que depois de Lisboa (+17,5%, para 1,332 milhões) o aumento mais forte ocorreu no Porto, com +12,7%, para 524,1 mil, e depois em Faro, com +8,7%, para 1,917 milhões, e no Funchal, com +5,2%, para 305,6 mil.

França foi a segunda principal origem/destino internacional de passageiros no primeiro semestre, com 3,56 milhões, seguindo-se Espanha, com 2,596 milhões, Alemanha, com 2,47 milhões, e Suíça, com 1,31 milhões.

O aumento mais forte foi o que ocorreu em voos de/para Espanha, que tiveram um aumento em 15% (mais 339,4 mil), seguindo-se o aumento em 11,7% nas ligações com o Reino Unido e, depois, os aumentos em 4,8% nas ligações com França (mais 162 mil), em 3% nas ligações com a Suíça (mais 38,2 mil) e em 1% nas ligações com a Alemanha (mais 24 mil).

A informação consultada pelo PressTUR mostra que a tendência geral foi de aumento de passageiros, com as excepções das quebras em 18% nos voos com França no Aeroporto do Funchal e em 0,8% nos voos com a Alemanha no Aeroporto de Lisboa.

Em Lisboa, o mercado de origem/destino de passageiros com maior aumento no primeiro semestre foi o Reino Unido, com mais 198,3 mil (+17,5% para 1,33 milhões), seguido por Espanha, com mais 98,5 mil (+6,5%, para 1,6 milhões), Irlanda, com mais 86,2 mil (+60,5%, para 228,7 mil), e Brasil, com mais 81,3 mil (+9%, para 983,2 mil).

No Aeroporto do Porto Espanha foi a origem/destino com maior aumento de passageiros no primeiro semestre, com mais 230,5 mil (+33,1%, para 927,1 mil), mas França manteve-se a principal origem/destino, com 1,337 milhões de passageiros (+7,6% ou mais 94,5 mil).

Os restantes maiores aumentos foram nas ligações com Itália, com mais 63,7 mil passageiros (+28,7%, para 285,6 mil), Reino Unido, com mais 59 mil (+12,7%, para 524,1 mil), e Marrocos, com mais 23,5 mil (+118,3%, para 43,4 mil).

No Aeroporto de Faro, onde 48,2% dos passageiros voaram de/para o Reino Unido, num total de 1,917 milhões, estas rotas foram também as que tiveram o maior aumento de passageiros, com mais 153,3 mil (+8,7%), seguindo-se Itália, com mais 39,8 mil (aumento superior a 200%, para 43,7 mil), e Alemanha, com mais 24,4 mil (+5,5%, para 470,5 mil).

No Funchal, as rotas do Reino Unido foram as que proporcionaram o maior aumento de passageiros no primeiro semestre, com mais 15 mil (+5,2%, para 305,6 mil), aquém de compensar a queda nas ligações com França, que atingiu 16,6 mil (-18%, para 75,7 mil).

O tráfego doméstico representou 44,4% do total de passageiros do primeiro semestre, com 695,6 mil, aquém dos 45,1% da primeira metade de 2018, mas ainda assim a maior percentagem entre os maiores aeroportos portugueses.

Faro teve a maior percentagem de passageiros de voos internacionais, com 94,8%, seguido pelo Porto, com 84,5%, Lisboa, com 88,3%, e Funchal, com 55,6%.

O aumento do número de passageiros no Aeroporto de Lisboa no primeiro semestre em 908,8 mil (+6,6%, para 14,61 milhões) foi com mais 907,8 mil em voos internacionais (+7,6%, para 12,89 milhões).

No Porto, o aumento em 556,2 mil (+9,9%, para 6,15 milhões) compreendeu um aumento de 552,5 mil em voos internacionais (+11,9%, para 5,198 milhões), em Faro o aumento em 262,8 mil passageiros (+7,5%, para 3,767 milhões) foi com mais 249,3 mil em voos internacionais (+6,7%, para 3,96 milhões), e no Funchal o aumento em 34,2 mil (+2,2%, para 1,565 milhões) foi com mais 28,6 mil em voos internacionais (+3,4%, para 870,1 mil).

O Aeroportos de ponta Delgada teve no semestre um aumento de passageiros em 8,4% ou 69,8 mil, para 905,1 mil, para o qual o tráfego doméstico contribuiu com 67,5 mil (+9,7%, para 763,9 mil) e as linhas internacionais apenas com 2,3 mil (+1,7%, para 141,18 mil).

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Balanço do LATAM evidencia recuperação ‘explosiva’ da aviação no Brasil

16-08-2019 (16h15)

O LATAM, maior grupo de aviação comercial da América Latina, cuja subsidiária brasileira, a LATAM Brasil (antiga TAM), é líder brasileira em voos internacionais, indicou que no segundo trimestre teve um aumento da receita unitária (por lugar voado um quilómetro) de 18,7%, atingindo 29,5% em reais.

Levantadas restrições ao abastecimento no aeroporto de Lisboa, ANA Aeroportos

16-08-2019 (12h35)

As restrições ao abastecimento de aviões no aeroporto de Lisboa, em vigor desde segunda-feira, foram hoje levantadas, disse à Lusa fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

Grupo SATA transportou mais 8% de passageiros no primeiro semestre

16-08-2019 (11h59)

As companhias aéreas SATA Air Açores e Azores Airlines transportaram 705,7 mil passageiros no primeiro semestre, mais 8% ou mais 52,5 mil que no período homólogo do ano passado, anunciou o Grupo SATA.

Lauak vai produzir em Grândola peças para aviões A320

16-08-2019 (11h39)

A Lauak vai implementar uma unidade de produção de preças para aviões A320 em Grândola, com um investimento de 33 milhões de euros com apoio de fundos comunitários.

Trabalhadores da Grounforce realizam concentração para exigir estacionamento

16-08-2019 (11h24)

Os trabalhadores da Groundforce, reunidos na quinta-feira em plenário, aprovaram a realização de uma concentração no Ministério das Infraestruturas, com data a definir, para entrega de um abaixo-assinado a exigir estacionamento nas zonas limítrofes aos aeroportos e devolução das multas.

Noticias mais lidas