Voos entre Espanha e Portugal crescem quase 15% no 1º semestre, apesar de TAP quase estagnada

16-07-2019 (17h34)

Os aeroportos espanhóis tiveram 2,58 milhões de passageiros de voos de/para Portugal no primeiro semestre, o que representa um aumento em 14,8% ou 332,7 mil, para o qual a TAP, que já teve a liderança clara deste mercado, teve um contributo de apenas 2,5%, porque praticamente estagnou.

Dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pelo PressTUR indicam que apesar do forte aumento de tráfego entre os dois países ibéricos, a TAP teve um aumento em apenas 0,9% ou 8,3 mil passageiros.

A companhia portuguesa, de acordo com esses dados, transportou de/para Espanha 936,3 mil passageiros, o que lhe dá uma quota de mercado de 36,2%, menos cinco pontos que no primeiro semestre de 2018.

A informação a que o PressTUR teve avesso revela que em todos os meses do primeiro semestre os aeroportos espanhóis tiveram aumentos de passageiros de voos de/para Portugal a dois dígitos, entre 10,8% em Janeiro e 18,9% em Junho, mas o melhor que a TAP teve foram subidas de 8,5% ou 12,7 mil em Março e de 3,4% ou 5,7 mil em Junho, além de que registou quedas nos outros quatro meses, as mais forte das quais em 3,4% ou 4,7 mil em Janeiro e em 2,5% ou 4,3 mil em Maio.

Os dados a que o PressTUR teve acesso não permitem avaliar que companhias foram os motores do crescimento mais forte do tráfego aéreo entre Portugal e Espanha, mas deixam claro que a TAP perdeu quota de mercado nos dois maiores aeroportos espanhóis.

Em Madrid, onde disputava com a Iberia a liderança em passageiros nos voos de/para Portugal, enquanto o conjunto destas ligações cresceu 11%, somando mais 123,6 mil que há um ano e atingindo um total de 1,25 milhões, a TAP teve aumento de praticamente zero (+0,03% ou mais 83).

Com 319,7 mil passageiros nas suas ligações com Portugal, a TAP teve uma queda da sua quota de mercado em 2,8 pontos, para 25,5%.

No Aeroporto de Barcelona, apesar de se manter líder das ligações com Portugal, a TAP perdeu 2,7 pontos de quota de mercados, baixando para 41,3% do total de passageiros que voaram de/para aeroportos portugueses.

Essa quebra decorre de os voos entre Barcelona e Portugal terem registado crescimento médio no primeiro semestre em 16,6%, representando um aumento de 116,9 mil passageiros, para 818,8 mil, mas a TAP ter crescido apenas 9,5%, significando um aumento de 29,4 mil passageiros, para 338,1 mil.

O quadro de desempenhos da TAP aquém do mercado foi extensivo a rotas com menor peso no tráfego total, de acordo com os dados consultados pelo PressTUR.

A informação indica que enquanto o aeroporto de Alicante teve um aumento de passageiros em voos de/para Portugal em 57,1% ou 11,1 mil, totalizando 30,57 mil, o crescimento da TAP foi de 10,4% ou dois mil, para 21,3 mil.

Pior foi ainda a evolução em Bilbau, que teve um aumento de passageiros de voos de/para Portugal em 46,3% ou 20,9 mil, para 66 mil, enquanto a TAP teve uma quebra em 5,4% ou dois mil, ficando em 36 mil.

Já no Aeroporto de Gran Canária, que depois de Tenerife, para onde a TAP começou a voar em Junho, é a mais recente ‘rota espanhola’ da companhia portuguesa, a TAP teve um aumento de passageiros em 12,1% ou quatro mil, somando 37,8 mil, mas ainda assim o conjunto de ligações de Gran Canária com Portugal teve uma queda de passageiros em 0,3%, para 56,5 mil.

Mas esta foi a única rota onde a TAP liderou o crescimento no primeiro semestre, pois quer em Málaga, quer em Sevilha, quer em Valência teve crescimentos inferiores aos do mercado.

Em Málaga os voos de/para Portugal transportaram no primeiro semestre +29,5% ou mais 14,4 mil passageiros que no período homólogo de 2018, totalizando 63,3 mil, mas a TAP teve um aumento de apenas 0,8% ou cerca de 390, para 46,6 mil.

Em Sevilha, enquanto o crescimento do mercado foi em 53,8%, significando um aumento de 33,9 mil passageiros, para 97 mil, a TAP teve um aumento de apenas 2,9% ou 1,8 mil, para 64,8 mil.

Em Valência, terceiro maior aeroporto espanhol para a TAP em número de passageiros, a companhia teve o mais forte crescimento do semestre em ligações com Espanha, com um aumento de passageiros em 15,6% ou 9,1 mil, totalizando 67,6 mil, mas ainda assim aquém do crescimento no conjunto dos voos de/para Portugal, que foi de 27% ou 24,3 mil, atingindo um total de 114,3 mil.

Os dados consultados pelo PressTUR permitiram concluir que no primeiro semestre de 2018 a TAP era a única operadora de voos regulares para Portugal em alguns destes aeroportos, como Alicante, Málaga e Sevilha, onde tinha quotas de mercado de 99,2%, 94,7% e 99,9%, respectivamente, no primeiro semestre deste ano baixou para 69,7% em Alicante, 73,7% em Málaga e 66,8% em Sevilha, onde teve a maior queda de quota do semestre, em 33,08 pontos.

Mas mesmo em Bilbau a TAP teve uma forte queda da quota de mercado, ao baixar 29,8 pontos, para 54,6%, pelo que o único caso em que teve aumento de quota foi Gran Canária, em 7,4 pontos, para 66,9%.

A evolução da TAP foi penalizada também pelo abandono de três rotas (A Coruña, Astúrias e Vigo), as quais no entanto eram também a aquelas que menos contavam para o seu tráfego total.

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Aeroportos de Espanha

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Lacerda Machado afasta possibilidade da TAP aumentar oferta para Faro

22-11-2019 (11h40)

O administrador não executivo da TAP Diogo Lacerda Machado declarou ter “dúvidas que faça sentido acrescentar mais” capacidade aérea para Faro, onde o número de assentos oferecidos pela companhia aumentou 43%.

TAP vai começar “a ganhar sustentadamente dinheiro”, diz administrador Lacerda Machado

22-11-2019 (10h54)

O administrador não executivo da TAP Diogo Lacerda Machado afirmou que o Estado português é "o dono do futuro da transportadora" e garantiu que a companhia vai começar "a ganhar sustentadamente dinheiro".

Ministro Siza Vieira clarifica que é a Esquadra 101 de Sintra que vai ser deslocada para Beja

22-11-2019 (10h44)

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital clarificou que é a Esquadra 101 de Sintra que irá ser deslocada para Beja, ao contrário do que, por lapso, referiu inicialmente.

Deslocação da base aérea de Sintra para Beja avança na Primavera para libertar espaço aéreo

21-11-2019 (18h55)

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, anunciou que a deslocação da base aérea nº1 de Sintra para Beja vai avançar na Primavera, para “libertar muitos constrangimentos na gestão do espaço aéreo na proximidade do aeroporto de Lisboa”.

Governo reforça programa de captação de rotas aéreas com 10 milhões

21-11-2019 (13h16)

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, escolheu a abertura hoje do 31º Congresso da AHP para anunciar o reforço do programa VIP.pt de captação de rotas aéreas em dez milhões de euros.

Ultimas Noticias

Noticias mais lidas