Voos durante a madrugada serão permitidos em Lisboa e Porto na final da Liga das Nações da UEFA

21-05-2019 (17h38)

A operação nos aeroportos Humberto Delgado, em Lisboa, e Francisco Sá Carneiro, no Porto, será permitida durante a madrugada, entre 4 e 10 de Junho, no âmbito da fase final da Liga das Nações da UEFA, que decorre em Portugal.

O regime excepcional foi criado pelo Governo e foi hoje publicado em Diário da República.

O executivo justifica a medida com a importância do evento e a grande afluência esperada, que terá um “impacto favorável na economia local e em receitas de turismo e cujo sucesso se repercutirá favoravelmente na imagem do país”.

As finais da Liga das Nações 2019 terão lugar entre 5 e 9 de Junho no Estádio do Dragão, no Porto, e no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

O regime excepcional previsto “abrange, apenas, os voos ou movimentos aéreos referentes ao evento especial relativo à fase final da Liga das Nações da UEFA 2019, no período compreendido entre as 00h00 do dia 4 de Junho e as 06h00 do dia 10 de Junho de 2019”, lê-se na portaria hoje publicada.

O Governo justifica que embora o evento em causa se situe no Norte do país, “há que acautelar a eventualidade de o aeroporto Francisco Sá Carneiro não conseguir acomodar todos os voos esperados, relacionados com a fase final da Liga das Nações”, razão pela qual se afigura necessário proceder à derrogação das restrições de ruído existentes no período nocturno não apenas no Aeroporto do Porto, mas também em Lisboa, “por forma a responder às necessidades de recepção e escoamento, em tempo útil, do tráfego aéreo esperado”.

“Acresce que razões de segurança aconselham a que se proceda à segregação de adeptos, pelo que a utilização de mais do que um aeroporto é suscetível de facilitar tal tarefa, podendo, assim, distribuir-se os voos consoante a sua proveniência, contribuindo igualmente para aumentar a oferta de voos de regresso, que permitem escoar os adeptos para a sua origem o mais rápido possível, evitando ainda a sua permanência por períodos prolongados junto ao estádio ou mesmo no aeroporto, em situações que, não raras vezes, são propícias à ocorrência de conflitos ou distúrbios que afectam a ordem pública”, justifica.

A portaria foi assinada pelo ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, e pelo secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Afonso Souto de Miranda.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP já voa para Washington – Dulles

17-06-2019 (17h16)

A TAP já liga as capitais de Portugal e dos Estados Unidos, com a inauguração no Domingo do seu voo TP231 para Washington – Dulles, que informou ter preços de ida desde 253 euros.

Lufthansa responsabiliza excesso de capacidade na Europa pela quebra de resultados

17-06-2019 (15h15)

O grupo Lufthansa, maior grupo de aviação da Europa em número de passageiros e em tráfego medido em RPK (passageiros x quilómetros voados), responsabiliza um alegado excesso de capacidade na Europa por uma evolução pior do que previa, mas os seus dados mostram que a subsidiária mais problemática é a Eurowings, que até era identificada com o negócio de voos de longo curso low cost.

Lufthansa alarma mercados com revisão em forte baixa da previsão de resultados

17-06-2019 (14h46)

A Lufthansa revelou hoje uma previsão de queda acentuada do resultado operacional ajustado de não recorrentes, que conduziu a forte quebra da sua cotação na Bolsa de Frankfurt e ‘ondas de choque’ nos títulos das outras companhias de aviação europeias.

TAP quadruplica oferta de obrigações para até 200 milhões de euros

14-06-2019 (19h03)

A TAP decidiu multiplicar por quatro o número e valor de obrigações a emitir, no âmbito do empréstimo obrigacionista em curso, passando de 50 milhões de euros para até 200 milhões de euros, foi hoje comunicado ao mercado.

TAP recebe mais três Airbus A330neo e já conta com dez

14-06-2019 (16h58)

A TAP anunciou hoje ter recebido mais três aviões Airbus A330neo e que, assim, já com dez unidades deste avião que diz contribuir “com mais de 24 milhões de euros para a economia portuguesa” e “mais de 600 postos de trabalho para o País”.

Noticias mais lidas