Tráfego da British Airways cai 1,6% em Janeiro Taxa de ocupação recua 0,7 pontos

06-02-2008 (03h08)

A British Airways teve em Janeiro uma queda da taxa de ocupação dos voos em 0,7 pontos, para 69,2%, apesar de uma redução da capacidade em 0,6%, porque a queda do tráfego foi de 1,6%, com uma redução do número de passageiros transportados em 0,8%.

A companhia indicou que a queda do tráfego (medido em RPK = passageiros x quilómetros percorridos) foi exclusivamente nas tarifas “non-premium”, de maior volume mas menor receita por RPK, nas quais teve uma queda em 3,5%, e que nas tarifas mais elevadas, designadamente na sua classe Club World, teve um crescimento em 8,8%.
“Como informado no Relatório de Gestão Intercalar divulgado na sexta-feira, o tráfego premium permanece forte, especialmente na classe Club World. Os mercados non-premium de longo curso e premium de médio curso contuam a mostrar fraqueza”, afirma a informação da British Airways sobre a evolução no primeiro mês deste ano.
A comunicação destaca a “dificuldade” em comparar com Janeiro de 2007, uma vez que no ano passado a actividade foi afectada por ameaças de greves e este ano teve o impacto do incidente num aterragem em Heathrow, bem como perturbações provocadas por nevoeiro e ventos fortes, que obrigaram a cancelamentos.
O balanço indica que em Janeiro passado a operação da British Airways, avaliada em número de lugares e quilómetros percorridos (ASK) foi 0,6% menor que no mês homólogo de 2007, pelas reduções em 3,1% nas ligações de e para Ásia e Pacífico e em 4,9% nos voos de e para África e Médio Oriente, que superaram os aumentos de capacidade no médio curso (Reino Unido e Europa), em 0,1%, e Américas, em 2,5%.
A procura (em RPK), porém, apenas cresceu no sector Américas, mas abaixo do aumento de capacidade, tendo um aumento em 1,7%, e nas ligações de e para a Ásia e Pacífico, onde apesar da redução de capacidade teve um crescimento do tráfego em +0,7%.
No médio curso a companhia teve uma queda em 0,5% e nas ligações de e para África e Médio Oriente a queda foi de 9,2%.
Face a estas evoluções, só no sector Ásia e Pacífico a British Airways teve em Janeiro uma taxa de ocupação melhor que no ano passado, em três pontos percentuais, para 78,4%, a mais elevada de todos os seus sectores de rede.
No médio curso a ocupação baixou 0,3 pontos, para 55,4%, nas rotas das Américas a queda foi de 0,5 pontos, para 69,1%, e no sector África e Médio Oriente a baixa foi de 3,5 pontos, para 74,3%.
Em número de passageiros, a operação da British Airways transportou 2,329 milhões, menos cerca de 18 mil que em Janeiro de 2007, pela queda em 8% nos voos de e para África e Médio Oriente, para 306 mil, que uma subida em 2%, para 553 mil, nas rotas das Américas, apenas compensou parcialmente.
Nos voos de médio curso e Àsia e Pacífico, os números de passageiros foram basicamente idênticos aos de Janeiro de 2007, com respectivamente 1,325 milhões (-0,1%) e 145 mil (-0,3%).
O balanço da companhia desde Abril de 2007 (início do exercício fiscal 2007/2008, que termina no final do próximo mês de Março), indica que nestes dez meses a procura tem uma estagnação em baixa para um aumento de capacidade em 0,7%, o que resulta numa queda do coeficiente de ocupação dos voos em 0,6 pontos, para 76,2%.
Os voos da Ásia e Pacífico são os únicos a terem uma taxa de ocupação melhor nestes dez meses que no período homólogo do exercício 2006/2007, em 1,8 pontos, para 80,6%, porque a capacidade disponível tem uma redução (-3,1%) superior á queda da procura (-0,9%).
Nas rotas de médio curso o coeficiente de ocupação tem uma queda de 3,1 pontos, para 69,5%, nos voos do sector Américas a baixa é de 0,2 pontos, para 77,4%, e nas ligações de e para África e Médio Oriente a diminuição é de 0,6 pontos, para 76,8%.
Mas enquanto nos voos das Américas a queda do coeficiente de ocupação ocorreu por um aumento da procura (em 1%) abaixo do aumento da capacidade (em 1,3%), nos voos dentro da Europa ocorreu por uma queda da procura em 0,4% face a um incremento da capacidade em 3,9% e no sector África e Médio Oriente verificou-se porque a procura caiu 1,2%, acima da redução da oferta (0,5%).
O número de passageiros transportados pela British Airways nos dez meses de Abril de 2007 a Janeiro passado, inclusive, está em 28,083 milhões, menos cerca de seis mil que no período homólogo do exercício 2006/2007, com quedas de 0,2% na rede de médio curso, para 17,221 milhões, de 1,6% no sector Ásia e Pacífico, para 1,531 milhões, e de 0,7% no sector África e Médio Oriente, para 2,957 milhões.
Os voos transatlânticos, em que a British Airways se prepara para reforçar a oferta, designadamente para os Estados Unidos, face à próxima entrada em vigor do acordo de “céus abertos” nestas ligações, e ainda com a introdução de mais voos para Buenos Aires e de voos directos para o Rio de Janeiro, a companhia regista nos dez meses um aumento do número de passageiros em 1,2%, para 6,374 milhões.


Lucros da British Airways aumentam 22% nos primeiros nove meses do ano fiscal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vueling vai ter voos Tenerife - Lisboa

15-02-2019 (16h56)

A Vueling, low cost do IAG, grupo de que fazem parte também a British Airways, a Iberia, a Aer Lingus e a Level, vai ter voos entre Tenerife e Lisboa a partir de Abril.

TAP transporta menos passageiros este Janeiro nas suas rotas espanholas

15-02-2019 (15h47)

A TAP, que em meados do ano passado retirou A Coruña, Astúrias e Vigo da sua rede de destinos em Espanha, começou 2019 com uma quebra de passageiros nas ligações com o país vizinho em 3,4% ou cerca de 4,7 mil, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pela AENA.

Passageiros em voos entre Espanha e Portugal aumentam 10,8% em Janeiro

15-02-2019 (15h33)

Os aeroportos espanhóis somaram este Janeiro 357,6 mil passageiros de voos de/para Portugal, +10,8% ou mais 34,9 mil que no primeiro mês de 2018, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pelo PressTUR.

Aeroportos espanhóis começam 2019 com aumento de um milhão de passageiros

15-02-2019 (15h08)

Os 49 aeroportos espanhóis somaram 16,58 milhões de passageiros no primeiro mês deste ano, com um aumento em 7% ou 1,08 milhões em relação a Janeiro de 2018, cerca de metade do qual em Madrid Barajas e em Barcelona El Prat, de acordo com a AENA, gestora dos aeroportos espanhóis.

Lucro da Finnair baixa 11% para 150,7 milhões de euros em 2018

15-02-2019 (14h37)

A Finnair, que voa de Helsínquia para Lisboa e tem programado voar também para o Porto, obteve um lucro líquido de 150,7 milhões de euros em 2018, menos 11% do que no ano anterior, apesar de um aumento da facturação.