TAP tem de multiplicar resultados "por pelo menos 7 vezes" para ser sustentável - CEO

24-04-2018 (17h31)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, defende, em mensagem aos trabalhadores, que a companhia tem de “multiplicar por pelo menos sete vezes” os “bons resultados” de 2017, obtidos ainda sob a liderança de Fernando Pinto, para atingir a média de rentabilidade das congéneres a nível global e assegurar a sustentabilidade.

Antonoaldo Neves, de acordo com a Agência Lusa, destaca que o lucro de 21,2 milhões de euros registado no ano passado pela TAP SGPS foi “o melhor resultado dos últimos dez anos”, num contexto de “prejuízos acumulados ao longo de muitos anos”, e traduz a “transição para um novo ciclo” de criação de valor na empresa.

“Mas quero deixar claro que, apesar disso, estes resultados ainda não são confortáveis, tendo em vista os compromissos que temos pela frente, bem como a volatilidade comum ao sector aéreo”, sustentou, defendendo ser preciso “multiplicar este resultado por pelo menos sete vezes para que se atinja a média de rentabilidade das outras companhias aéreas de nível global e para que haja sustentabilidade”.

“Os desafios são enormes”, realça o executivo, que informa que a TAP SGPS finalizou 2017 com um resultado líquido positivo de 21,2 milhões de euros, uma melhoria de 49 milhões de euros face ao prejuízo de 27,7 milhões registado em 2016, e com um aumento de 27,8% dos proveitos.

O ano passado ficou também marcado por um recorde no número de passageiros transportados (14,225 milhões), mais 21,6% que no ano anterior.

De acordo com o presidente executivo, “o resultado poderia ter sido ainda melhor” se não se tivesse registado um aumento do custo unitário (CASK, do inglês para custo lugar quilómetro voado) na TAP SA de cerca de 8% face a 2016, sendo a recuperação neste indicador “um desafio para este ano”.

Num contexto em que “todas as empresas participadas pela TAP SGPS contribuíram positivamente para os resultados do grupo” a excepção foi a TAP M&E Brasil, que apresentou um prejuízo operacional antes de impostos e juros de 28 milhões de euros e um prejuízo líquido de 50 milhões de euros. Um quadro que Antonoaldo Neves diz pretender “reverter” através da “melhoria de processos e aumento de eficiência”.

“É muito importante criar valor, porque é através dele que podemos investir mais na nossa empresa e gerar também mais e melhores oportunidades para todos os colaboradores da TAP e continuar a contribuir para a economia portuguesa”, sustenta o presidente executivo, agradecendo aos trabalhadores da companhia, que descreve como “os melhores profissionais”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Está pronto para a era do NDC? – por Ian Heywood

21-09-2018 (16h36)

Com a New Distribution Capability (NDC) da IATA ainda a ser essencialmente um conjunto de interrogações, mas já a ‘abalar’ o mundo da comercialização de viagens, o PressTUR publica as reflexões de Ian Heywood, Global Head of Product & Marketing, Air Commerce da Travelport.

Turkish Airlines já ultrapassou os 50 milhões de passageiros este ano

21-09-2018 (15h06)

A Turkish Airlines, única companhia de aviação com voos regulares entre Portugal e a Turquia, e que em Portugal também vende conexões além Istambul, nomeadamente para o Extremo Oriente, informou que no fim de Agosto já somava mais de 50 milhões de passageiros transportados este ano, com um aumento médio em 13,1%.

Grupo LATAM reconhecido como líder nas Américas na área da sustentabilidade

21-09-2018 (14h54)

O LATAM Airlines Group foi nomeado na categoria "World" do Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI) pelo quinto ano consecutivo.

Presidente de Angola decreta transformação da TAAG em sociedade anónima

21-09-2018 (14h15)

O Presidente de Angola aprovou num decreto a transformação da companhia aérea angolana TAAG em sociedade anónima, primeiro passo para a provável privatização da empresa, cujo Conselho de Administração foi exonerado.

easyJet põe à venda voos até 23 de Junho de 2019

21-09-2018 (12h51)

A easyJet anunciou que já tem disponíveis as reservas para os seus voos até 23 de Junho de 2019, com um total de 26 milhões de lugares em mais de 151 mil voos.