TAP passa a disponibilizar mais 34 ligações internas no Brasil em parceria com a GOL, a Avianca e a Azul

20-04-2018 (13h49)

Os voos da TAP de Portugal para o Brasil passam a ter ligação com mais 24 voos domésticos da GOL, maior companhia de aviação brasileira em número de passageiros transportados em voos internos, oito da Avianca e dois da Azul, que reivindica ter o maior número de destinos domésticos.

Já este Verão, segundo informação das companhias aos sistemas globais de reservas, a TAP aumenta as rotas em code-share com essas três companhias brasileiras, que passam a incluir o código TP da companhia de aviação portuguesa num total de 34 rotas.

A expansão do code-share com a GOL permite conexões com seis voos à partida de Belém, cinco de Brasília, dois de Fortaleza (onde a companhia brasileira é parte de um hub anunciado pelo grupo Air France KLM), três no Rio de Janeiro, dois em Salvador e seis em São Paulo Guarulhos.

Adicionalmente, a companhia portuguesa dá conexão dom duas rotas da Avianca Brasil em Belém, quatro em Salvador e duas em Guarulhos, a que se somam ainda mais duas da Azul, uma em Curitiba e uma em Manaus.

Os voos da GOL à partida de Belém incluídos no code-share com a TAP são para Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro Galeão, Santarém, São Luiz e São Paulo Guarulhos.

À partida de Brasília são os voos para Manaus, Maraba, Palmas, São Luiz e Teresina, de Fortaleza são os voos para Manaus e Natal, do Rio de Janeiro são os voos para Florianópolis, Manaus e Navegantes e Salvador são os voos para João Pessoa e São Paulo Guarulhos.

Deste aeroporto, maior do Brasil, o code-share dá ligação da TAP com os voos da GOL para Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro Galeão, Maringá, Teresina e Uberlândia.

Os code-shares com a Avianca são para os voos de Belém para Brasília e São Paulo Guarulhos, de Salvador para Aracajú, Petrolina e Recife - Petrolina e São Paulo Guarulhos e de São Paulo para Rio de Janeiro Galeão e Florianópolis - Chapeco.

Com a Azul passaram a estar incluídos no code-share com a TAP as rotas da companhia brasileira fundada por David Neeleman, também accionista de referência da TAP, Curitiba - Maringá e Manaus - Santarém.

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Brasil

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CEO da TAP defende direito a sonhar com liderar tráfego entre a Europa e a América do Norte

20-06-2018 (17h57)

Embora tenha pela frente concorrentes como a British Airways, que ainda em 4 de Maio começou a voar de Londres-Heathrow para Nashville, sua 26ª cidade nos Estados Unidos, o CEO da TAP reivindicou hoje no Porto o direito a da companhia a “sonhar grande em relação a ser a principal companhia aérea que liga a Europa à América do Norte”.

CEO da TAP garante aposta no Porto e ironiza: “a concorrência que se cuide”

20-06-2018 (17h51)

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro "é historicamente um dos alicerces da TAP", que tem um "compromisso total e absoluto" com o Porto, garantiu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, que rematou com um: "Queremos ter uma posição dominante no Porto, e a concorrência que se cuide".

Antonoaldo Neves reconhece pontualidade como “problema gravíssimo” da TAP

20-06-2018 (17h48)

"Temos um problema gravíssimo de pontualidade na ponte aérea e na TAP em geral", reconheceu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, na sessão de balanço da operação da companhia aérea no Porto admitiu, que assegurou tratar-se de um "desafio" a superar nos próximos tempos.

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros voltam a crescer acima de 20% em Abril

20-06-2018 (16h28)

As empresas portuguesas de transporte aéreo de passageiros, as maiores das quais a TAP, a Azores Airlines, a euroAtlantic e a Hi Fly, aumentaram em Abril as vendas ao estrangeiro em 23,2%, alcançando assim um aumento médio em 15,3% no quadrimestre.

CEO da TAP diz que auditoria do TdC é "assunto de accionista" mas afirma-se "confiante" no futuro

20-06-2018 (14h56)

Antonoaldo Neves, CEO da TAP, escusou-se hoje a comentar a auditoria do Tribunal de Contas (TdC) que aponta uma acrescida "exposição" do Estado português a "contingências adversas" da companhia, mas dizendo estar "confiante" num bom desempenho financeiro da empresa.