TAP lança hoje o “bloqueio de lugares” a pagar

25-08-2016 (12h07)

A TAP disponibiliza desde hoje o "bloqueio" de lugares a pagar, a partir de dez euros em voos na Europa e desde 25 em voos intercontinentais, segundo uma informação da companhia às agências de viagens a que o PressTUR teve acesso.

“Os assentos estarão disponíveis para reserva e venda até à abertura do check-in do voo”, explica a companhia nessa informação, em que anuncia o que denomina como “conceito de ‘chargeable seats’”, acrescentando que “quando o check-in do voo for aberto, estes lugares serão “libertados” e serão reservados gratuitamente”.

“A partir de 25 de agosto de 2016, a TAP passa a dar aos passageiros a oportunidade de bloquear, mediante pagamento de um fee, os seus lugares preferidos nos aviões (voos operados pela TP/NI/WI, com excepção dos voos Lisboa-Porto v.v.)”, começa por anunciar a TAP, avançando de seguida que o “conceito de ‘chargeable seats’” é aplicado em todos os voos excepto entre Lisboa e Porto e está disponível nos GDS Amadeus, Galileo, Sabre, Apollo e Worldspan para venda pelas agências de viagens, “através de EMD-A até 3 horas após o bloqueio do lugar”, finda as quais, sem pagamento “o bloqueio será cancelado”.

O sistema funciona por cruzamento das ‘famílias de tarifas’ da TAP (Discount, Basic, Classic, Plus e Executive) com as distâncias dos voos (Europa e Intercontinental) e três ‘tipos de lugares’: “Extra Legroom / Espaço Extra para as Pernas (Saídas de Emergência e Económica Plus dos voos BOS/JFK); Área Preferencial (1as. Filas, excepto Económica Plus dos voos BOS/JFK); e Lugares Standard”.

As low cost foram as pioneiras da cobrança da marcação de lugares que entretanto, com a generalização da tendência de autonomizar/cobrar separadamente serviço (unbundling) se tornou um dos ancillaries (serviços complementares) que mais rende às companhias aéreas.

A maior dificuldade estava em permitirem que as agências de viagens também tivessem acesso à venda desses serviços (o que estava facilitado para as low cost pois sempre venderam directamente nos seus websites a esmagadora maioria dos bilhetes), o que entretanto foi muito facilitado pela introdução de tecnologias com o Rich Content and Branding da Travelport, que é não só o GDS mais utilizado pelas agências de viagens portuguesas como tem contratado com a TAP a utilização da sua Merchandising Platform, que suporta informação e venda de diversos ancillaries, como este “bloqueio” de lugares pré-abertura do check-in.

A informação da TAP às agências de viagens a que o pressTUR teve acesso mostra que os passageiros que voam com tarifa TAP|Discount têm sempre que pagar quando pretendem “bloquear” um lugar num voo, entre dez euros para um lugar standard num voo intra-europeu e 60 para um Extra Legroom num voo intercontinental.

Para quem tem tarifa TAP|Plus, o Extra Legroom é pago (20 euros num voo intra-europeu e 60 num intercontinental) mas reservar em “Área Preferida” ou “Lugares Standard” é gratuito.

Com tarifas TAP|Basic e TAP|Classic, os passageiros podem reservar gratuitamente “Lugares Standard”, mas os “Extra Legroom” e “Área Preferida” são a pagar, no primeiro caso 20 euros em voos intra-europeus e 60 em intercontinentais e no segundo 15 euros em intra-europeus e 35 em intercontinentais, excepto Nova Iorque JFK e Boston, rotas para as quais a TAP indica que cobra 60 euros (65 dólares nos Estados Unidos e 85 dólares canadianos no Canadá) nas primeiras filas com espaço extra para as pernas (da fila 6 à 18).

Os passageiros Gold, TAP Corporate e TAP Amex estão isentos da cobrança, podendo escolher gratuitamente o seu lugar.

 

Ver também:

TAP passa a abrir o check-in online a 36 horas do voo

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Angolana BestFly contrata dois ATR 72-600 para charters de negócios

18-06-2019 (13h58)

A companhia de aviação angolana BetFly anunciou no salão aeronáutico de Paris a contratação em leasing de dois ATR 72-600 para voos charter de negócios em Angola, de acordo com o seu CEO, Nuno Pereira, citado pela imprensa internacional.

Qatar Airways eleita melhor companhia de aviação do mundo nos prémios Skytrax

18-06-2019 (15h27)

A Qatar Airways, que na próxima semana começa a voar para Lisboa, foi eleita, pela quinta vez, “companhia de aviação do ano” dos prémios Skytrax, nos quais a TAP ficou no 76º lugar, quatro abaixo da votação de 2018, em que fora 72ª.

IAG anuncia “carta de intenções” de mega encomenda à Boeing

18-06-2019 (19h09)

O IAG, grupo de companhias de aviação de que fazem parte nomeadamente a British Airways, a Vueling e a Level, anunciou hoje ter apresentado uma “carta de intenções” de aquisição de 200 aviões Boeing B737-8 e B737-10.

IAG anuncia Iberia e Aer Lingus como companhias de lançamento do novo Airbus A321XLR

18-06-2019 (19h38)

O IAG, grupo de companhias aéreas iniciado com a fusão entre a British Airways e a Iberia, anunciou hoje estar a comprar 14 Airbus A321XLR para a Iberia e a Aer Lingus, que diz “estarão entre as companhias de lançamento” do novo avião narrowbody de maior alcance.

American Airlines introduz 6º voo diário Miami - Havana

18-06-2019 (16h34)

Apesar das mais recentes medidas do presidente dos Estados Unidos contra as viagens turísticas a Cuba, a American Airlines, maior companhia de aviação do mundo, vai aumentar para seis voos diários a sua oferta de ligações entre Miami, Florida, e a capital cubana, Havana.

Noticias mais lidas