TAP junta-se às agências de viagens para promover a Gâmbia

25-11-2019 (11h33)

Foto: TAP
Foto: TAP

A TAP e os operadores turísticos Ego Travel e Viajar Tours organizaram dois eventos em Lisboa e no Porto para apresentar a Gâmbia às agências de viagens, um destino para onde a companhia começou a voar há um mês.

Com as apresentações, a TAP quis mostrar que a Gâmbia “é um destino que não é só praia, é também um destino de experiências”, disse ao PressTUR o gestor de contas trade da companhia, João Frazão.

“As vendas estão a correr bem”, mas ainda é “um destino bastante desconhecido”, acrescentou o executivo. “Precisamos dos agentes de viagens para potenciar o destino”.

“Os voos estão bastante cheios para o período de pico, na altura do Natal e passagem de ano, as perspectivas começam a ser boas”, mas a companhia pretende “aumentar o tráfego” e “eventualmente conseguir aumentar o número de voos”, salientou João Frazão.

Os voos Lisboa – Banjul, operados em A320, começaram no dia 26 de Outubro e estão programados para partir de Lisboa às terças, quintas e Sábados, às 20h55, para chegar a Banjul à 1h10, em horas locais. Os voos de Banjul partem às quartas, sextas e Domingos às 2h05 para chegar a Lisboa às 6h05.

A TAP convidou alguns operadores turísticos para o voo inaugural e prevê que, além da Ego Travel e do Viajar Tours, “outros operadores turísticos também entrem no mercado”.

Num comunicado em finais de Outubro, a TAP anunciava a sua nova rota para Banjul descrevendo a Gâmbia como um destino onde “a praia, a natureza e a aventura são imagens de marca”.

“Os mercados cheios de cor e de vida contrastam com a areia branca das praias e com o verde da natureza exuberante que caracteriza Banjul”, salientava a TAP nessa nota, desafiando os visitantes a fazer um cruzeiro no rio Gâmbia para observar “hipopótamos, macacos e mais de 500 espécies de aves”.

Em África, a companhia tem voos para 18 cidades de 12 países, designadamente Marrocos (Marraquexe, Casablanca, Tânger e Fez), Cabo Verde (Sal, Praia, São Vicente e Boavista), Senegal (Dakar), Guiné Bissau (Bissau), Costa do Marfim (Abidjan), Togo (Lomé), Gana (Acra), São Tomé e Príncipe (São Tomé), Angola (Luanda), Moçambique (Maputo), Conakri (Guiné Conakri) e Banjul (Gâmbia).

A TAP transportou no ano passado nas rotas africanas mais de 1,1 milhões de passageiros, um crescimento de 11,3% face ao ano anterior.

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Clique para ver mais: TAP

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Delta Air Lines prolonga período para remarcar viagens

06-04-2020 (17h53)

A  Delta Air Lines prolongou o período durante o qual é possível remarcar viagens para dois anos, e abdica das taxas de alteração de data a clientes afectados pela pandemia do novo coronavírus.

Companhias de aviação cortam mais 11,1 milhões de lugares esta semana, OAG

06-04-2020 (16h14)

A empresa especializada em dados para a aviação comercial OAG revelou hoje que as companhias aéreas ‘riscaram’ só esta semana 11,1 milhões de lugares de avião, representando uma redução da capacidade em 22,7%, com especial incidência na Europa e na América do Norte, que são actualmente as regiões onde a pandemia de covid-19 está mais intensa.

Há seis voos programados entre Angola e Portugal até 17 de Abril

06-04-2020 (16h00)

Um total de seis voos charter entre Portugal e Angola estão agendados entre hoje e 17 de Abril, cinco dos quais entre Luanda e Lisboa e um para o Porto.

Maior aeroporto europeu fecha uma pista e reduz área de actividade

06-04-2020 (15h41)

O aeroporto de Londres Heathrow, o maior da Europa, com 80,88 milhões de passageiros e 475,8 mil voos a aterrarem e descolarem em 2019, vai fechar uma das duas pistas e suspender a actividade de passageiros em dois terminais, devido à quebra de tráfego provocada pela pandemia de covid-19.

NAV Portugal prevê quebras de tráfego aéreo de 85% a 95% em Abril

06-04-2020 (13h27)

A NAV Portugal anunciou que prevê quebras de tráfego aéreo “a rondar os 85% e 95%” em Abril, depois de na última semana de Março ter verificado um decréscimo de 85%.

Noticias mais lidas