TAP ainda recebe mais três novos Airbus este ano e em 2019 vão chegar 14

18-04-2018 (13h23)

A TAP, que ontem recepcionou em Lisboa o seu primeiro Airbus A320neo novo de fábrica, tem programado receber mais três novos aviões ainda este ano, um dos quais o primeiro A330neo do fabricante europeu, e mais 14 em 2019.

"A partir de agora e até 2025, a TAP receberá assim 71 novos aviões, mais modernos, confortáveis, na vanguarda tecnológica e mais eficientes em cerca de 15% em termos de consumo de combustível e de redução das emissões de CO2", salientou a companhia em comunicado divulgado ontem em que diz que esse total inclui "novos contratos" com os quais prevê "a integração na frota da TAP já este ano de um A320neo, dois A321neo e um A330neo e de três A320neo, três A321neo, dois A321LR e seis A330neo ao longo de 2019".

Estes 18 aviões, incluindo o primeiro A320neo que chegou ontem a Lisboa (para ler mais clique: Chega hoje a Lisboa primeiro A320neo novo de fábrica da TAP), esclarece o comunicado da TAP, fazem parte de um conjunto do que a TAP indica serem "novos aviões adicionais", uma vez que encomendados além da contratação de "53 novos aviões de última geração" que "os novos accionistas da TAP anunciaram logo após a assinatura do contrato de privatização".

"A chegada a Lisboa deste primeiro A320neo é um marco importante no ambicioso plano de investimentos definido aquando da privatização da Companhia e que vai permitir à TAP transformar-se na operadora com uma das frotas mais modernas ao seu serviço a nível mundial", sustenta o comunicado.

A informação realça também que "será a primeira operadora do mundo a voar o novo A330-900neo, que virá equipado com interiores de cabina AirSpace by Airbus, com o qual os passageiros, bem como os tripulantes da TAP, vão poder beneficiar de uma nova experiência de viagem proporcionada por este inovador design de cabina de avião".

"Desenvolvido a pensar nos passageiros e nas companhias aéreas, o Airspace abrange quatro pilares básicos: conforto, ambiente, serviço e design", acrescenta o comunicado que assegura que está em curso uma modernização da frota com a qual, tendo "os mais avançados aviões disponíveis no mercado" a companhia portuguesa vai "aumentar a sua oferta e crescer para novos destinos, de forma ainda mais eficiente, reforçando a sua competitividade na arena global e contribuindo para uma crescente centralidade de Portugal enquanto hub Atlântico do transporte aéreo e para a atracção de novos fluxos turísticos para o País".

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Airbus

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

EasyJet transporta mais 8% de passageiros de/para Portugal no semestre terminado a 31 de março

19-05-2019 (22h08)

A low cost easyJet, cujo director para Portugal, José Lopes, se queixou na sexta-feira que devido aos constrangimentos do Aeroporto de Lisboa há dois verões consecutivos (2018 e 2019) que a companhia tem “crescimento zero” no Aeroporto Humberto Delgado afinal aumentou a capacidade em 6% na época baixa.

Organismo de investigação de acidentes alerta para riscos de descolagens de Lisboa com potência reduzida

19-05-2019 (21h46)

O organismo que investiga acidentes alerta as companhias aéreas e as entidades aeronáuticas para os riscos das descolagens com potência reduzida na principal pista do Aeroporto de Lisboa, podendo ter “graves consequências” em caso de avaria de motor, apreciação que a ANA já contestou, garantindo que o aeroporto tem certificação de segurança outorgada.


ANA rejeita “declarações alarmistas” do GPIAAF sobre o Aeroporto de Lisboa

19-05-2019 (21h42)

A ANA – Aeroportos de Portugal realçou que o Aeroporto de Lisboa tem certificação de segurança outorgada, ao rejeitar as considerações do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) acerca de um incidente com um avião da easyJet.

easyJet ‘fixa’ prazo para evitar 3º Verão seguido de “crescimento zero” no Aeroporto de Lisboa

17-05-2019 (16h19)

A companhia de aviação easyJet defendeu hoje a urgência de fechar um acordo até Setembro com os militares que permita aumentar a capacidade do Aeroporto de Lisboa já no Verão de 2020, pois, avisou, de contrário “vamos estar a perder oportunidades que já não vão voltar, e isto será muito mau para a economia portuguesa”.

Prejuízo operacional de época baixa da easyJet agrava-se 350%

17-05-2019 (15h39)

A low cost easyJet, que em Portugal tem voos de/para Lisboa, Porto, Faro e Funchal, declarou hoje um prejuízo operacional para o semestre terminado a 31 de Março de 255 milhões de libras (292 milhões de euros ao câmbio de hoje), pior 355% que no período homólogo do exercício anterior, enfatizando, no entanto, que foi sem surpresa que registou essa perda.