TAAG recebe novo B777-300ER e passa a ter dois voos diários Angola-Portugal a 2 de Junho

04-05-2016 (13h06)

Novo Boeing B777-300ER “Iona” da TAAG (Foto: Boeing)
Novo Boeing B777-300ER “Iona” da TAAG (Foto: Boeing)

A companhia angolana TAAG já tem em seu poder um novo Boeing B777-300ER que lhe permitirá executar o plano de ter dois voos por dia entre Angola e Portugal como anunciado pelo seu CEO, Peter Hill, em declarações ao PressTUR.

Peter Hill, que falava ao PressTUR em Dublin, durante o evento CAPA Airlines in Transition 2016, avançou então não só o propósito de garantir dois voos diários entre a capital angolana e Portugal, com 11 para Lisboa e três para o Porto, como construir um hub no Aeroporto 4 de Fevereiro, em Luanda.

O comunicado da Boeing em que é anunciada a entrega à TAAG do novo avião, baptizado    “Iona”, em homenagem ao Parque Nacional do Iona, localizado na província do Namibe, avança, a este propósito, que com este reforço de frota a companhia pode mesmo efectivar esse plano a partir de 2 de Junho.

Peter Hill, citado no comunicado, destaca, por sua vez, que a TAAG se tornou a companhia com mais Boeing B777 na África Austral e que este é o avião que constitui a “espinha dorsal” da sua frota.

A Boeing afirma que o B777-300ER é o avião da sua classe mais eficiente em custos e o mais fiável, além de ter a maior capacidade de carga de todos os aviões de passageiros.

O aparelho da TAAG, de acordo com a imprensa angolana, pode transportar 225 passageiros em económica, 56 em executiva e 12 em primeira classe.

A TAAG reclama que com este avião oferece um serviço aos passageiros sem paralelo na concorrência.

O ministro angolano dos Transportes, Augusto Tomás, presente na recepção do novo avião no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, após um voo de 14.015 quilómetros à partida da fábrica da Boeing em Everett, Washington, EUA, afirmou que a TAAG “está a dar passos muito firmes de modo a tornar-se numa companhia líder aqui na região”.

Augusto Tomás também elogiou o trabalho que está a ser desenvolvido pela equipa de Peter Hill, que assumiu a gestão no âmbito de um acordo nesse sentido celebrado com a Emirates.

 

Para ler mais clique:

Dois voos por dia Luanda-Portugal “é reconhecer a importância estratégica” – Peter Hill, CEO da TAAG

TAAG e Emirates anunciam “parceria estratégica”

Emirates diz que acordo de gestão da TAAG é uma das suas linhas de expansão em África

 

Clique para mais notícias: TAAG

Clique para mais notícias: Boeing

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Angola

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Travagem de Lisboa ‘arrasta’ aeroportos portugueses para crescimento ‘insípido’

18-09-2018 (17h30)

O crescimento de passageiros nos aeroportos portugueses, que era sistematicamente dos mais fortes na Europa, foi inferior em Julho à média europeia, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council International (ACI) Europa, que mostram uma forte correlação com o abrandamento do Aeroporto de Lisboa.

Faro teve a 8ª maior queda de passageiros dos aeroportos europeus em Julho

18-09-2018 (16h34)

O Aeroporto de Faro, principal ‘porta de entrada’ de turistas estrangeiros no Algarve, maior região turística portuguesa, teve em Julho a 8ª maior queda de passageiros de todos os aeroportos europeus, de acordo com os dados divulgados hoje pelo Airports Council International (ACI) Europa.

TAP põe mais um avião a fazer a ponte aérea Lisboa – Porto

17-09-2018 (13h25)

A TAP acaba de anunciar que vai ter nove aviões a fazer a ponte aérea entre Lisboa e Porto, reforçando a oferta para 18 voos por dia a partir de 28 de Outubro.

United Airlines promete reduzir emissões em 50% até 2050

14-09-2018 (18h41)

A companhia aérea norte-americana United Airlines anunciou o objectivo de, até 2050, reduzir para metade as emissões de gases que contribuem para o efeito estufa, usando como base as emissões registadas em 2005.

TAP vai manter limites de vento que definiu para aterrar na Madeira – Antonoaldo Neves

14-09-2018 (11h54)

“Mesmo que os limites sejam alterados, a TAP vai manter” os limites de vento que definiu para aterragens na Madeira, porque estudou o assunto e tem o “seu padrão de operação e de segurança”, afirmou o CEO da transportadora, Antonoaldo Neves.