Ryanair rejeita previsão de "caos" na greve de 28 de Setembro

13-09-2018 (12h05)

Foto: Ryanair
Foto: Ryanair

A Ryanair recusou hoje que a greve marcada por tripulantes de cabine de cinco países, incluindo Portugal, provocará “caos” na companhia, visto ter “experiência” a lidar com estas paralisações e esperar que “a maioria” destes funcionários trabalhe.

“A Ryanair rejeitou hoje as falsas alegações do sindicato belga CNE, de que a greve marcada pela minoria dos tripulantes de cabine da empresa causará o caos nos nossos voos” em 28 de Setembro, indica a empresa em comunicado.

A reação surge depois de hoje ter sido anunciado, numa conferência de imprensa de vários sindicatos europeus, em Bruxelas, que os tripulantes da transportadora aérea Ryanair de cinco países, incluindo Portugal, vão fazer greve em 28 de Setembro (clique para ler: Tripulantes de cabine da Ryanair de cinco países marcam greve para 28 de Setembro).

Na nota à imprensa, a transportadora lembra “a sua experiência” em paralisações recentes, nomeadamente os cinco dias de greve, não consecutivos, dos pilotos irlandeses durante o Verão.

“Em cada um desses dias, a Ryanair realizou 280 dos 300 voos previstos de e para a Irlanda”, aponta a companhia, explicando que isso foi possível porque “75% dos pilotos irlandeses trabalhou normalmente”.

Uma situação semelhante verificou-se esta quarta-feira, na Alemanha, visto que, apesar da greve, “mais de 70% dos pilotos e tripulantes alemães da Ryanair trabalharam”, permitindo a realização de 250 de um total de 400 voos diários (número que já tem conta os 150 voos que haviam sido cancelados previamente).

É isso que a companhia considera que vai voltar a acontecer no dia 28 de Setembro: “A Ryanair julga que, mesmo que a greve limite a tripulação de cabine, a grande maioria […] em toda a Europa deverá trabalhar normalmente”.

A expectativa da transportadora é ainda que “uma maioria significativa da sua tripulação de cabine em Espanha, Itália, Bélgica, Holanda e Portugal também trabalhe normalmente, como aconteceu em paralisações anteriores”.

Se isso voltar a acontecer, “não haverá nenhum caos nas viagens nem interrupções generalizadas”, garante.

Citado pela nota, o responsável pelo Marketing da Ryanair, Kenny Jacobs, lamenta as várias greves ocorridas durante o Verão e ressalva que, mesmo com essas paralisações, “houve muito pouca perturbação” nos voos da companhia.

“Se houver mais uma greve de tripulação de cabina mal sucedida no próximo dia 28 de Setembro, […] a Ryanair notificará previamente os clientes de um pequeno número de voos cancelados”, acrescenta Kenny Jacobs, assegurando esforços para a realização da “esmagadora maioria” das viagens.

Ao protesto de dia 28 de Setembro vão juntar-se trabalhadores da Bélgica, Holanda, Itália, Espanha e Portugal, segundo Yves Lambot, dirigente do CNE, citado por agência noticiosas, tendo a presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) confirmado também a data à agência Lusa.

Esta tarde, os responsáveis sindicais vão reunir-se com os chefes de gabinete do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e da comissária do Emprego, Assuntos Sociais, Competências e Mobilidade dos Trabalhadores, Marianne Thyssen.

No dia 7 de setembro, sindicatos europeus, incluindo o português SNPVAC, anunciaram que iriam avançar com uma greve ao trabalho na Ryanair.

A greve está a ser convocada por dois sindicatos italianos, o SNPVAC, uma estrutura sindical belga, duas espanholas e uma holandesa.

Em cima da mesa está, nomeadamente, a exigência para que os contratos de trabalho da Ryanair sejam feitos segundo a lei laboral nacional de cada país, e não a irlandesa, que tem sido a usada pelo grupo.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Ryanair

Clique para ver mais: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Presidente da República promulga novo modelo de gestão de slots nos aeroportos

19-11-2018 (15h56)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou hoje o diploma do Governo que altera o modelo de prestação dos serviços de atribuição das faixas horárias (slots) nos aeroportos portugueses, lamentando que tenha demorado um ano.

TAP vai voar Porto – Lisboa só com aviões A320 a partir de Janeiro

19-11-2018 (13h07)

A TAP anunciou hoje que a partir de Janeiro vai passar a operar a ponte aérea Porto – Lisboa só com aviões A320, o que permitirá aumentar a oferta de lugares em 50%, para um total de 220 mil por ano, embora com menos voos por dia.

Governo ‘queixa-se’ das “muitas vantagens” da ANA nas negociações sobre o Montijo

16-11-2018 (18h15)

O secretário de Estado das Infra-estruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, lamentou-se hoje das "muitas vantagens" atribuídas pelo anterior Governo à ANA e que classificou como "instrumentos fortes" que têm atrasado as negociações sobre o aeroporto complementar do Montijo.

Algarve precisa de voos de longo curso para compensar quebra do Reino Unido – Chitra Stern, Martinhal Hotels

16-11-2018 (18h01)

Chitra Stern, proprietária e fundadora da Martinhal Hotels & Resorts, defendeu hoje no Congresso da AHP a diversificação de mercados de origem para compensar a quebra do mercado britânico no Algarve, designadamente através da criação de rotas de longo curso de/para Faro.

Lisboa teve até Setembro o 7º maior aumento de passageiros dos aeroportos europeus

16-11-2018 (17h26)

O Aeroporto de Lisboa, sobre o qual praticamente só se comenta que está esgotado, ao ponto de alguns dirigentes do turismo argumentarem ser essa a causa da queda de dormidas na hotelaria da capital, alcançou, no entanto, o 7º maior aumento de passageiros entre os 237 maiores aeroportos da Europa, nos primeiros nove meses deste ano, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council International (ACI).

Ultimas Noticias