Ryanair admite que é quase impossível duas pessoas viajarem juntas se não pagarem para escolher lugar

29-06-2017 (16h16)

Um porta-voz da Ryanair admitiu hoje que os clientes que não pagam para escolher lugar é “quase certo” que lhes será atribuído um dos lugares do meio da fila, uma queixa que está avolumar-se por parte de clientes da low cost que acusam de actuar dessa forma para ‘sacar’ mais uns euros.

O que está em causa é que quem não paga entre dois e 15 euros para escolher lugar, por um lado quase por certo ‘ficará entalado’ no meio da fila, como, também, além de que se pretender viajar acompanhado é quase seguramente impossível porque o sistema separa as pessoas, por vezes, como se queixava um passageiros, com “um avião de distância”.

A questão tem estado em efervescência nas redes sociais ao ponto de a BBC ter avançado para um BBC Watchdog sobre o tema, para o qual teve a colaboração da directora da Oxford University Statistical Consultancy, que perante um caso concreto de quatro reservas em que grupos de quatro passageiros foram todos colocados nos lugares do meio disse que a probabilidade disso acontecer ‘de forma limpa’ era de uma em 540 milhões, ou seja, um pouco pior que ganhar a lotaria, cuja probabilidade é de um em 45 milhões.

Face a este ‘engrossar’ das críticas, um porta-voz da Ryanair veio admitir o que já era óbvio, que não só quando os passageiros pagam para escolher escolhem maioritariamente janela ou coxia, como que o sistema da companhia guarda esses lugares para os que venham a pagar.

As hipóteses de passageiros que não pagam para escolher lugar ficarem separados “são extremamente altas porque muitos dos nossos clientes escolhem pagar para reservarem lugares e esses clientes esmagadoramente preferem janela ou coxia”, começou referir, concluindo que isso explica porque quem não paga e se sujeita à atribuição aleatória de lugar “quase por certo ficará num dos lugares do meio, enquanto nós guardamos os lugares à janela e na coxia para os que desejam pagar por eles”.

 

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Comentários
  • Diogo

    É uma companhia execrável. No entanto, quase todas o são à sua maneira...

    29-06-2017 (17h54)


Escrever comentário

Outras Notícias

Sindicatos de pilotos da Ryanair pedem mudança da gestão da companhia

19-09-2018 (18h19)

Os pilotos da Ryanair perderam “toda a confiança na actual liderança e gestão” da companhia, afirma uma declaração dos seus sindicatos, na qual apelam para os accionistas substituírem a liderança da empresa na assembleia geral anual que se vai realizar na quinta-feira, porque consideram que o actual modelo de emprego e gestão fracassou.

Comissárias europeias questionam Ryanair sobre diferendo com tripulantes de cabina

19-09-2018 (16h54)

“O nosso mercado interno é organizado, não é uma selva”, realçou hoje a comissária europeia responsável pelo Emprego, Assuntos Sociais e Mobilidade Laboral, Marianne Thyssen, ao comentar a posição da Ryanair no diferendo com as tripulações de cabina, depois de realçar que “implementar uma lei em vigor não é matéria negocial”, há simplesmente que cumprir a lei.

Governo da Madeira vai adiantar subsídio à compra de voos de/para o continente por estudantes da região

19-09-2018 (16h24)

O Governo Regional da Madeira anunciou hoje que os estudantes universitários da região poderão comprar de facto voos de/para o continente pelos 65 euros previstos no subsídio de mobilidade, porque pagará o remanescente até um tecto de 400 euros.

easyJet atinge novo recorde de passageiros transportados num dia

19-09-2018 (08h58)

A low cost easyJet, terceira maior companhia de aviação em Portugal, anunciou que atingiu um novo recorde de passageiros transportados num só dia, com 330 mil em 1.941 voos a 14 de Setembro.

Travagem de Lisboa ‘arrasta’ aeroportos portugueses para crescimento ‘insípido’

18-09-2018 (17h30)

O crescimento de passageiros nos aeroportos portugueses, que era sistematicamente dos mais fortes na Europa, foi inferior em Julho à média europeia, de acordo com os dados publicados pelo Airports Council International (ACI) Europa, que mostram uma forte correlação com o abrandamento do Aeroporto de Lisboa.