Pilotos da Ryanair baseados na Holanda também fazem greve amanhã

09-08-2018 (15h52)

Paralisação também têm a adesão de pilotos da Alemanha, Irlanda, Suécia e Bélgica

Os pilotos da Ryanair, maior companhia aérea europeia em número de passageiros, baseados na Holanda anunciaram que farão greve amanhã, sexta-feira, à semelhança dos seus congéneres sediados na Alemanha, que se associaram à greve de 24 horas impulsionada pelos seus colegas da Irlanda, Suécia e Bélgica.


“Na sexta-feira, 10 de Agosto de 2018, os pilotos holandeses da Ryanair não vão trabalhar”, afirma um comunicado do sindicato dos pilotos holandeses (VNV), que apelou para uma “melhor protecção dos direitos dos trabalhadores”.

Também os pilotos da companhia irlandesa com base na Alemanha já anunciaram a sua adesão à paralisação, que o sindicato alemão Vereinigung Cockpit especificou ser uma greve de 24 horas que abrange todos os pilotos contratados pela Ryanair na Alemanha.

O comunicado acrescenta que a paralisação é para pressionar a Administração da Ryanair a aumentar os salários e a melhorar as condições de trabalho.

A low cost comunicou entretanto que em consequência do que apelida de “greve desnecessária” não realizará 250 de 2.400 voos de/para a Alemanha, além de 146 cancelamentos previstos inicialmente para três países.

A transportadora acrescentou que os clientes afectados estão informados das alternativas que têm à sua disposição.

Na semana passada, a Ryanair informou sobre o cancelamento de 104 voos de/para a Bélgica, de uma operação prevista de mais de 2.400, enquanto na Suécia foram cancelados 22 voos de mais de 2.400 viagens agendadas.

A quinta paralisação dos pilotos irlandeses desde 12 de Julho deixará por realizar 20 de 300 voos planeados, afectando 3.500 passageiros, acrescentou a empresa.

Na semana passada, tripulantes de cabine de Itália, Portugal, Espanha e Bélgica estiveram em greve para reclamar, nomeadamente a aplicação das leis laborais nacionais e não da irlandesa.

No passado recente a Ryanair chegou a fazer propaganda como companhia fiável por que, segundo afirmava, não sujeitava os passageiros a atrasos e cancelamentos devidos a greves, como acontecia nas chamadas companhias tradicionais.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Para ler mais clique:

Ryanair cancela quase 400 voos na sexta-feira devido a greves de pilotos

 

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Macau vai ter voos directos de/para a antiga capital chinesa de Xi’An a partir de dia 22

14-11-2018 (14h05)

A Zhejiang Loong Airlines, com sede em Hangzhou, inicia a 22 de Novembro a ligação directa entre Macau e a antiga capital chinesa de Xi’An, famosa por ser o limite oriental da Rota da Seda e localizar o Exército de terracota, representação dos exércitos de Qin Shi Huang, primeiro imperador da China.

Pedro Marques mantém ‘perspectiva” de ter aeroporto no Montijo a operar em 2022

14-11-2018 (12h14)

O ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, renovou hoje em Madrid a intenção do aeroporto do Montijo começar a funcionar em 2022, uma meta em que já começam a descrer dirigentes do sector do turismo, que é dos mais penalizados pela falta de soluções para o congestionamento da Portela.

Airbus 321 Long Range já está no mercado

14-11-2018 (11h50)

A Airbus confirmou hoje a entrega à companhia de estreia do seu primeiro avião A321 Long Range, um dos aviões em que a TAP aposta para expandir as ligações com a costa Leste dos Estados Unidos e com o Nordeste do Brasil.

LATAM volta a ter quebra da taxa de ocupação em Outubro

13-11-2018 (18h13)

As companhias do grupo LATAM, cuja subsidiária brasileira já está a voar entre São Paulo e Lisboa, tiveram em Outubro nova queda significativa da taxa de ocupação dos voos, desta feita em 4,4 pontos, para 82,5%, já que para um aumento de capacidade em 7% tiveram um crescimento do tráfego de apenas 1,5%.

Aeroporto de Lisboa melhora pontualidade em Outubro, mas sem sair dos 20 piores do mundo

13-11-2018 (18h06)

O Aeroporto de Lisboa voltou em Outubro a ter mais de metade das partidas a saírem até 15 minutos da hora marcada, mas por pequena margem, mantendo-se assim entre os 20 piores em 1.195 aeroportos de todo o mundo com dados publicados pela consultora OAG.