Montijo pode receber voos civis em 2022, “se”..., director do Aeroporto de Lisboa

13-06-2018 (15h33)

O director do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, João Nunes, afirmou hoje que o aeroporto complementar do Montijo poderá receber voos civis em 2022, “se houver, dentro do horizonte temporal estabelecido, uma decisão favorável”.

“Acreditamos que há todas as condições, neste momento, para que se houver, dentro do horizonte temporal estabelecido, uma decisão favorável, estamos preparados para que tenhamos operações civis no Montijo já em 2022”, afirmou o executivo, indicando que deverá haver uma posição final no segundo semestre.

João Nunes garantiu que a responsabilidade da ANA, gestora dos aeroportos, está cumprida em termos de apresentação de projectos necessários.

“Havia algumas matérias pendentes, que tinham a ver com estudos ambientais, que também já estão entregues. Nós consideramos que estão reunidas todas as condições e o Governo terá todos os elementos necessários à tomada de decisão, que é importante que ela seja tomada efectivamente, rapidamente”, considerou.

As respostas aos jornalistas foram dadas depois da apresentação da nova área de 'check-in' do aeroporto de Lisboa, composta por quiosques e balcões de utilização automática em formato de ‘self-service’, num investimento de 11 milhões de euros.

Esta nova área surge quando o Aeroporto de Lisboa, mais do que duplicou em termos de número de passageiros processados, que subiram de 13 milhões em 2008 para 26,7 milhões em 2017.

O director do Aeroporto de Lisboa realçou ainda que em 2017 a infra-estrutura teve o maior aumento de passageiros de sempre, com mais 4,2 milhões, e destacou que Lisboa entrou, assim, na “liga dos campeões dos aeroportos” e está a competir em “tudo que é bom e naquilo que são grandes desafios”, referindo-se ao facto de o Humberto Delgado ter passado a ser classificado no Grupo 1 pelo Airports Council International (ACI) Europa, que engloba os mais aeroportos da Europa, com mais de 25 milhões de passageiros por ano.

O executivo classificou esse crescimento como “tão abrupto e súbito”, ignorando que há mais de uma década que está em cima da mesa a necessidade de Lisboa ter mais capacidade aeroportuária, e descreveu a situação actual como perto do “limite da sua capacidade”, depois que em 2017 foram ultrapassadas todas as condições impostas para a “formulação para uma proposta de expansão para o aeroporto de Lisboa”.

João Nunes avançou que relativamente às questões de capacidade e organização do espaço aéreo na zona de Lisboa foram desenvolvidos planos e “compromissos militares, alguns deles que ainda estarão em formalização final”, que irão permitir passar dos actuais 40 movimentos por hora para 46 a 48.

O Montijo poderá registar 24 movimentos por hora e assim poderá haver uma espécie de “aeroporto com duas pistas separadas, no meio, por um rio”, já que a “pista no Montijo, se esta solução avançar, é praticamente paralela à de Lisboa”.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Aeroporto de Lisboa

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Pilotos alemães da Ryanair pronunciam-se sobre greve a partir de Agosto

22-06-2018 (16h26)

O sindicato de pilotos alemães Vereiningung Cockpit (VC) vai promover uma votação entre os seus cerca de 400 associados que trabalham na low cost Ryanair sobre desencadear uma greve a partir de Agosto.

CEO da TAP defende direito a sonhar com liderar tráfego entre a Europa e a América do Norte

20-06-2018 (17h57)

Embora tenha pela frente concorrentes como a British Airways, que ainda em 4 de Maio começou a voar de Londres-Heathrow para Nashville, sua 26ª cidade nos Estados Unidos, o CEO da TAP reivindicou hoje no Porto o direito a da companhia a “sonhar grande em relação a ser a principal companhia aérea que liga a Europa à América do Norte”.

CEO da TAP garante aposta no Porto e ironiza: “a concorrência que se cuide”

20-06-2018 (17h51)

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro "é historicamente um dos alicerces da TAP", que tem um "compromisso total e absoluto" com o Porto, garantiu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, que rematou com um: "Queremos ter uma posição dominante no Porto, e a concorrência que se cuide".

Antonoaldo Neves reconhece pontualidade como “problema gravíssimo” da TAP

20-06-2018 (17h48)

"Temos um problema gravíssimo de pontualidade na ponte aérea e na TAP em geral", reconheceu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, na sessão de balanço da operação da companhia aérea no Porto admitiu, que assegurou tratar-se de um "desafio" a superar nos próximos tempos.

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros voltam a crescer acima de 20% em Abril

20-06-2018 (16h28)

As empresas portuguesas de transporte aéreo de passageiros, as maiores das quais a TAP, a Azores Airlines, a euroAtlantic e a Hi Fly, aumentaram em Abril as vendas ao estrangeiro em 23,2%, alcançando assim um aumento médio em 15,3% no quadrimestre.