Lufthansa responsabiliza excesso de capacidade na Europa pela quebra de resultados

17-06-2019 (15h15)

Foto: Lufthansa
Foto: Lufthansa

O grupo Lufthansa, maior grupo de aviação da Europa em número de passageiros e em tráfego medido em RPK (passageiros x quilómetros voados), responsabiliza um alegado excesso de capacidade na Europa por uma evolução pior do que previa, mas os seus dados mostram que a subsidiária mais problemática é a Eurowings, que até era identificada com o negócio de voos de longo curso low cost.

“Na Eurowings, espera-se que a receita unitária [receita de passagens por lugar voado um quilómetro) cai significativamente no segundo trimestre de 2019” e para o conjunto deste ano, a previsão é que a quebra fique na ordem dos 5%, na medida que a sua gestão decidiu mais medidas de turnaround que serão anunciadas proximamente, diz o comunicado divulgado pelo grupo.

Esta evolução da Eurowings é, porém, apenas uma das questões elencadas pelo grupo Lufthansa para justificar a revisão em baixa da sua previsão de resultados operacionais este ano (para ver mais clique: Lufthansa alarma mercados com revisão em forte baixa da previsão de resultados).

Uma degradação do mercado de voos de curto e médio curso, devido a sobrecapacidade “provocada por companhias dispostas a aceitas perdas significativas para expandirem a sua quota de mercado”, é a primeira causa apontada pelo grupo Lufthansa que, a despeito dessa apreciação, promete “defender vigorosamente” as quotas de mercado, tanta das companhias de rede quanto da Eurowings.

A comunicação da Lufthansa realça que essa ‘luta por quota de mercado’ degrada os yields (preço médio por quilómetro voado), que afecta igualmente as linhas de longo curso, se bem que o grupo considere que o seu negócio neste segmento “continua forte”, com “desempenho especialmente positivo” nas linhas transatlânticas e procura “elevada” nas linhas da Ásia.

Só que, acrescenta, “a força no longo curso, porém, está a ser penalizada por pressões de preço na Europa, onde a procura tornou-se crescentemente sensível ao preço, resultando em baixos yields”.

A resposta das suas companhias de rede vai ser reduzir ainda mais os seus planos de evolução da capacidade, especialmente para o Inverno 2019/2020, para o qual têm previsto apenas um aumento “marginal”.

Ainda assim, a sua previsão é que o grupo das suas companhias de rede registe este ano um decréscimo de um dígito baixo da sua receita unitária ajustada de efeitos cambiais.

 

Clique para mais notícias: Lufthansa

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Etihad chega a mais dez destinos com a TAP via Lisboa e Porto

16-10-2019 (16h02)

A Etihad Airways, companhia de aviação do Abu Dhabi, anunciou que vai expandir o code-share com a TAP a mais dez rotas via Lisboa e Porto, a partir do início do fim deste mês, início do chamado Inverno IATA.

TAP anuncia nova classe EconomyXtra no médio curso

15-10-2019 (16h53)

A TAP anunciou hoje que os seus clientes passaram a ter nos voos de médio curso mais uma opção de viagem, a EconomyXtra, que proporciona “espaço extra para as pernas” e “refeições melhoradas face às actuais”, incluindo “refeições quentes nos horários de almoço/jantar, em algumas rotas, como Paris, Roma ou Frankfurt, entre outras”.

Movimento de passageiros no Aeroporto de Macau cresce 17% este Verão

15-10-2019 (14h30)

O Aeroporto Internacional de Macau contabilizou 2,51 milhões de passageiros no terceiro trimestre deste ano, que significam um aumento de 17% em relação ao Verão de 2018.

Aeroportos portugueses crescem no Verão ligeiramente menos que a média do grupo Vinci

14-10-2019 (15h31)

Os aeroportos portugueses geridos pela ANA cresceram no terceiro trimestre, que corresponde ao Verão, época mais forte da aviação no Hemisfério Norte, duas décimas abaixo do aumento médio de passageiros no conjunto dos aeroportos geridos pelo grupo Vinci, embora com Lisboa e Porto a terem crescimentos mais fortes.

TAP passa a ter voo diário para Natal em A321neo LR no primeiro trimestre do próximo ano

14-10-2019 (13h55)

A TAP tem previsto para o primeiro trimestre do próximo ano a introdução da versão de longo alcance do A321neo na rota Lisboa – Natal, com reforço da frequência de voos para diário.

Noticias mais lidas