Low cost fastjet começa voos domésticos em Moçambique a 3 de Novembro

13-10-2017 (10h13)

A low cost fastjet marcou para 3 de Novembro o início de três rotas domésticas em Moçambique com 20 voos por semana de Maputo para a Beira, Nampula e Tete, em avião Embraer ERJ145 de 50 lugares.

A rota com mais voos é Maputo - Beira, com nove por semana, Maputo - Nampula tem um voo diário e Maputo - Tete tem quatro por semana.

Actualmente com sede em Joanesburgo, para onde se mudou de Londres para reduzir custos e estar mais próximo dos seus mercados, a fastjet, de acordo com a imprensa internacional recebeu recentemente 44 milhões de dólares de financiamento do seu accionista Solenta Aviation Holdings.

A fastjet apresenta-se no seu website como “A companhia aérea de baixo custo da África” e diz estar “a caminho de se tornar a primeira companhia aérea pancontinental de África”.

“Desde o seu lançamento em 2012, já transportámos quase 2.500.000 passageiros com os clientes a beneficiarem de tarifas tão baixas quanto $36 só ida, com taxas incluídas”, acrescenta a informação.

A fastjet diz também no seu website que o seu conceito de baixo custo “é simplesmente evitar extras dispendiosos, oferecendo aos clientes as tarifas mais baixas possíveis, para além de serviços de viagem extras que só paga se usar”.

“Isso oferece aos passageiros a flexibilidade para pagar por serviços adicionais, como bagagem ou refeições, em vez de ter que pagar por eles, independentemente de os usar ou não”, conclui.

A fastjet voa actualmente de Dar es Salam para Harare, Kilimanjaro, Lusaca, Mbeya e Mwanza, bem como de Harare para Joanesburgo, Victoria Falls e Lusaca, bem como entre Victoria Falls e Harare.

O website da fastjet anuncia que os seus voos internos em Moçambique estão desde 5.274 meticais novos (cerca de 72 euros), “incluindo as taxas e impostos do Governo”.

Para aceder ao website da fastjet clique aqui

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: África

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Comentários
  • leonardo

    Boa noite, tenho uma criança de 6anos em maputo pretendo que ela viaja depois de dia 24 de novembro para ca em nampula, peço a cotaçao do bilhete. Maputo-Nampula bilhete depois de 24/11/17

    02-11-2017 (20h56)

  • Alfredo

    Bem vindo

    17-10-2017 (21h07)

  • orlando gil dalvador

    Boa tarde pretendo viajar em novembro percurso Maputo/Nampula/Maputo 4 Passageiros 1 adulto e 3 crianças menores de 10 anos quero a cotação por favor me ajudem, com LAM não consigo.

    17-10-2017 (14h18)


Escrever comentário

Outras Notícias

Vueling vai ter voos Tenerife - Lisboa

15-02-2019 (16h56)

A Vueling, low cost do IAG, grupo de que fazem parte também a British Airways, a Iberia, a Aer Lingus e a Level, vai ter voos entre Tenerife e Lisboa a partir de Abril.

TAP transporta menos passageiros este Janeiro nas suas rotas espanholas

15-02-2019 (15h47)

A TAP, que em meados do ano passado retirou A Coruña, Astúrias e Vigo da sua rede de destinos em Espanha, começou 2019 com uma quebra de passageiros nas ligações com o país vizinho em 3,4% ou cerca de 4,7 mil, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pela AENA.

Passageiros em voos entre Espanha e Portugal aumentam 10,8% em Janeiro

15-02-2019 (15h33)

Os aeroportos espanhóis somaram este Janeiro 357,6 mil passageiros de voos de/para Portugal, +10,8% ou mais 34,9 mil que no primeiro mês de 2018, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pelo PressTUR.

Aeroportos espanhóis começam 2019 com aumento de um milhão de passageiros

15-02-2019 (15h08)

Os 49 aeroportos espanhóis somaram 16,58 milhões de passageiros no primeiro mês deste ano, com um aumento em 7% ou 1,08 milhões em relação a Janeiro de 2018, cerca de metade do qual em Madrid Barajas e em Barcelona El Prat, de acordo com a AENA, gestora dos aeroportos espanhóis.

Lucro da Finnair baixa 11% para 150,7 milhões de euros em 2018

15-02-2019 (14h37)

A Finnair, que voa de Helsínquia para Lisboa e tem programado voar também para o Porto, obteve um lucro líquido de 150,7 milhões de euros em 2018, menos 11% do que no ano anterior, apesar de um aumento da facturação.