Lisboa sobe a 23º maior aeroporto europeu e ultrapassa principal base da Ryanair

20-11-2017 (11h50)

O Aeroporto Humberto Delgado de Lisboa registou o 4º maior aumento de passageiros da Europa nos primeiros nove meses deste ano o que lhe permitiu subir a 23º maior aeroporto do continente, ultrapassando Londres Stansted, principal base da Ryanair, e Dusseldorf.

O PressTUR concluiu dos dados publicados pelo Airports Council International (ACI) Europa que apenas Amesterdão Schiphol, 3º maior aeroporto europeu, e Moscovo SVO, tiveram um crescimento em valor absoluto superior a Lisboa de Janeiro a Setembro, pois Antalya, que tem o maior aumento face aos primeiros nove meses de 2016, na realidade está é a recuperar da queda que sofreu no ano passado, tanto que, embora com mais 6,4 milhões (+43,2%) que no ano passado, ainda fica 1,76 milhões (-7,6%) abaixo dos primeiros nove meses de 2015.

Já Moscovo SVO tem um aumento de 4,7 milhões (18,4%) face aos primeiros nove meses de 2016 e Amesterdão Schiphol, hub da KLM e 3º maior aeroporto europeu, tem mais 3,7 milhões (+7,7%).

Lisboa, hub da TAP, surge na 4º posição com mais 3,3 milhões (+19,7%), à frente de Paris Charles de Gaulle, hub da Air France e 2º maior aeroporto europeu, com mais 2,7 milhões (+5,4%).

Ainda no Top10 dos aumentos em valor absoluto, estão Bruxelas, com mais 2,66 milhões (+16,3%), Barcelona, 7º maior aeroporto europeu, com mais 2,62 milhões (+,7%), São Petersburgo, com mais 2,46 milhões (+24,2%), Varsóvia, com mais 2,37 milhões (+24,5%), e Madrid, hub da Iberia e 6º maior aeroporto europeu, com mais 2,3 milhões.

Em resultado deste desempenho, o aeroporto de Lisboa, com 20,15 milhões de passageiros até Setembro, ascendeu a 23º maior aeroporto europeu, quando em 2016 era 25º e em 2015 era 28º.

E os outros dois maiores aeroportos portugueses, Porto e Faro, também subiram no ranking, ao apresentarem, respectivamente, os 41º e 43º maiores aumentos do período, com mais 1,16 milhões no Porto (+16,5%) e mais 1,02 milhões em Faro (+16,3%).

O Porto, com 8,227 milhões de passageiros, subiu assim a 52º maior aeroporto europeu nos primeiros nove meses deste ano, quando em 2016 e 2015 era 56º e Faro, com7,279 milhões de passageiros, subiu a 57º, quando em 2016 era 60º e em 2015 era 62º.

A subir esteve igualmente o Aeroporto de Ponta Delgada, que teve o 99º maior aumento de passageiros dos primeiros nove meses, em 290,2 mil (+24,4%), alcançando um total de 1,479 milhões que lhe permitiu subir a 147º maior da Europa quando era 152º nos períodos homólogos de 2016 e 2015.

A excepção à tendência de maior preponderância dos aeroportos portugueses na Europa porque com apenas o 122º maior aumento (mais 197,1 mil ou +8,6%) somando 2,489 milhões, baixou para 116º maior da Europa, quando tinha sido 115º em 2016 e 113º em 2015.

Os dados do ACI apontam assim para que os cinco maiores aeroportos portugueses tenham registado um aumento de quase seis milhões de passageiros nos primeiros nove meses deste ano e um crescimento médio em 17,8%, que compara com um aumento médio de 8,9% nos 241 aeroportos europeus com dados publicados pela associação, os quais somaram 1,5 mil milhões de passageiros, mais 124,2 milhões que nos primeiros nove meses de 2016.

Londres Heathrow, hub da British Airways e tradicionalmente nº 1, somou 59,08 milhões (+3% ou mais 1,72 milhões).

Seguiram-se Paris Charles de Gaulle, com 52,85 milhões (+5,4% ou mais 2,7 milhões), Amesterdão Schiphol, com 52,09 milhões (+5,4% ou mais 2,7 milhões), Frankfurt, hub da Lufthansa, com 48,86 milhões (+4,6% ou mais 2,14 milhões), e Istambul Ataturk, com 47,78 milhões (+3,6% ou mais 1,6 milhões).

A segunda metade do Top10 é liderada pelos dois maiores aeroportos espanhóis — Madrid, com 40,2 milhões (+6,1% ou mais 2,3 milhões), e Barcelona, com 36,7 milhões (+7,7% ou mais 2,6 milhões) — à frente de Londres Gatwick, com 33,55 milhões (+6,7% ou mais 2,2 milhões), Munique, segundo hub da Lufthansa, com 34,08 milhões (+6% ou mais 1,9 milhões), e Roma Fiumicino, com 31,67 milhões (-1% ou menos 320 mil).

O principal aeroporto italiano, penalizado pela crise da Alitalia, foi um dos 36 aeroportos europeus que registou queda de passageiros nos primeiros nove meses deste ano, tendo sido mesmo o que teve a maior queda em valor absoluto.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos europeus

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP reforça liderança em voos Portugal - Espanha até Setembro, embora com perda de quota no Verão

22-10-2018 (18h02)

A TAP foi a companhia de aviação em que viajaram 39,7% dos passageiros que voaram entre Espanha e Portugal nos primeiros nove meses deste ano, a ganhar assim 0,2 pontos em relação ao período homólogo de 2017, embora no Verão (Junho a Setembro) tenha ficado em 37,6%, a baixar 0,6 pontos.

Voos entre Espanha e Portugal crescem 14,1% até Setembro e atingem 3,7 milhões passageiros

22-10-2018 (17h30)

Os aeroportos espanhóis contabilizaram 3,7 milhões de passageiros em voos de/para Portugal nos primeiros nove meses deste ano, com um aumento em 14,1% ou quase 459 mil, de acordo com os dados da empresa gestora, a AENA, consultados pelo PressTUR.

Tráfego aéreo Espanha-Brasil volta a crescer, e a dois dígitos

22-10-2018 (17h02)

Depois de em 2017 ter caído 8%, o número de passageiros a voarem entre Espanha e o Brasil está a subir este ano a 10,8% e com o aumento nos meses de Verão na Europa (Junho a Setembro) a atingir 19,2%, de acordo com dados da gestora dos aeroportos espanhóis, AENA, recolhidos pelo PressTUR.

Ryanair aposta em mais falências de concorrentes e na recepção dos Boeing B737-MAX

22-10-2018 (13h42)

Custos de voo mais competitivos e aeroportos mais dispostos a baixar preços são duas das tendências com que a Ryanair conta para contrariar nos próximos tempos a descida de lucros que contabilizou no semestre terminado a 30 de Setembro em que o seu lucro, incluindo encargos de lançamento da Laudamotion, caiu 11% ou 141,8 milhões de euros, para 1.150,7 milhões.

Ryanair lucrou menos 53,9 milhões de euros este Verão

22-10-2018 (12h52)

A low cost Ryanair, uma das companhias de aviação mais lucrativas do mundo, teve este Verão uma quebra do lucro de 53,9 milhões de euros, embora os impostos sobre lucros tivessem baixado 30 milhões de euros, porque o resultado operacional caiu 82,2 milhões, incluindo encargos de início da nova subsidiária austríaca Laudamotion.