Lisboa sobe a 23º maior aeroporto europeu e ultrapassa principal base da Ryanair

20-11-2017 (11h50)

O Aeroporto Humberto Delgado de Lisboa registou o 4º maior aumento de passageiros da Europa nos primeiros nove meses deste ano o que lhe permitiu subir a 23º maior aeroporto do continente, ultrapassando Londres Stansted, principal base da Ryanair, e Dusseldorf.

O PressTUR concluiu dos dados publicados pelo Airports Council International (ACI) Europa que apenas Amesterdão Schiphol, 3º maior aeroporto europeu, e Moscovo SVO, tiveram um crescimento em valor absoluto superior a Lisboa de Janeiro a Setembro, pois Antalya, que tem o maior aumento face aos primeiros nove meses de 2016, na realidade está é a recuperar da queda que sofreu no ano passado, tanto que, embora com mais 6,4 milhões (+43,2%) que no ano passado, ainda fica 1,76 milhões (-7,6%) abaixo dos primeiros nove meses de 2015.

Já Moscovo SVO tem um aumento de 4,7 milhões (18,4%) face aos primeiros nove meses de 2016 e Amesterdão Schiphol, hub da KLM e 3º maior aeroporto europeu, tem mais 3,7 milhões (+7,7%).

Lisboa, hub da TAP, surge na 4º posição com mais 3,3 milhões (+19,7%), à frente de Paris Charles de Gaulle, hub da Air France e 2º maior aeroporto europeu, com mais 2,7 milhões (+5,4%).

Ainda no Top10 dos aumentos em valor absoluto, estão Bruxelas, com mais 2,66 milhões (+16,3%), Barcelona, 7º maior aeroporto europeu, com mais 2,62 milhões (+,7%), São Petersburgo, com mais 2,46 milhões (+24,2%), Varsóvia, com mais 2,37 milhões (+24,5%), e Madrid, hub da Iberia e 6º maior aeroporto europeu, com mais 2,3 milhões.

Em resultado deste desempenho, o aeroporto de Lisboa, com 20,15 milhões de passageiros até Setembro, ascendeu a 23º maior aeroporto europeu, quando em 2016 era 25º e em 2015 era 28º.

E os outros dois maiores aeroportos portugueses, Porto e Faro, também subiram no ranking, ao apresentarem, respectivamente, os 41º e 43º maiores aumentos do período, com mais 1,16 milhões no Porto (+16,5%) e mais 1,02 milhões em Faro (+16,3%).

O Porto, com 8,227 milhões de passageiros, subiu assim a 52º maior aeroporto europeu nos primeiros nove meses deste ano, quando em 2016 e 2015 era 56º e Faro, com7,279 milhões de passageiros, subiu a 57º, quando em 2016 era 60º e em 2015 era 62º.

A subir esteve igualmente o Aeroporto de Ponta Delgada, que teve o 99º maior aumento de passageiros dos primeiros nove meses, em 290,2 mil (+24,4%), alcançando um total de 1,479 milhões que lhe permitiu subir a 147º maior da Europa quando era 152º nos períodos homólogos de 2016 e 2015.

A excepção à tendência de maior preponderância dos aeroportos portugueses na Europa porque com apenas o 122º maior aumento (mais 197,1 mil ou +8,6%) somando 2,489 milhões, baixou para 116º maior da Europa, quando tinha sido 115º em 2016 e 113º em 2015.

Os dados do ACI apontam assim para que os cinco maiores aeroportos portugueses tenham registado um aumento de quase seis milhões de passageiros nos primeiros nove meses deste ano e um crescimento médio em 17,8%, que compara com um aumento médio de 8,9% nos 241 aeroportos europeus com dados publicados pela associação, os quais somaram 1,5 mil milhões de passageiros, mais 124,2 milhões que nos primeiros nove meses de 2016.

Londres Heathrow, hub da British Airways e tradicionalmente nº 1, somou 59,08 milhões (+3% ou mais 1,72 milhões).

Seguiram-se Paris Charles de Gaulle, com 52,85 milhões (+5,4% ou mais 2,7 milhões), Amesterdão Schiphol, com 52,09 milhões (+5,4% ou mais 2,7 milhões), Frankfurt, hub da Lufthansa, com 48,86 milhões (+4,6% ou mais 2,14 milhões), e Istambul Ataturk, com 47,78 milhões (+3,6% ou mais 1,6 milhões).

A segunda metade do Top10 é liderada pelos dois maiores aeroportos espanhóis — Madrid, com 40,2 milhões (+6,1% ou mais 2,3 milhões), e Barcelona, com 36,7 milhões (+7,7% ou mais 2,6 milhões) — à frente de Londres Gatwick, com 33,55 milhões (+6,7% ou mais 2,2 milhões), Munique, segundo hub da Lufthansa, com 34,08 milhões (+6% ou mais 1,9 milhões), e Roma Fiumicino, com 31,67 milhões (-1% ou menos 320 mil).

O principal aeroporto italiano, penalizado pela crise da Alitalia, foi um dos 36 aeroportos europeus que registou queda de passageiros nos primeiros nove meses deste ano, tendo sido mesmo o que teve a maior queda em valor absoluto.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos europeus

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Novo A321 Long Range da TAP está pronto para chegar a Telavive e Nova Iorque

24-05-2019 (17h43)

A TAP anunciou que o seu novo avião A321 Long Range, que já está a voar para destinos europeus, também já está registado para operar as rotas da companhia para Telavive, em Israel, e Nova Iorque, nos Estados Unidos.

Azores Airlines vai manter voos directos entre a ilha Terceira e Toronto no Inverno

23-05-2019 (16h54)

Os voos directos entre a ilha Terceira e Toronto (Canadá), operados pela companhia aérea açoriana Azores Airlines, do grupo SATA, vão estender-se ao Inverno 2019/2020, anunciou hoje o Governo Regional dos Açores.

Delta acredita estar “no bom caminho e com sucesso” em Portugal, director regional de Vendas

23-05-2019 (15h28)

“Não olhamos para o desempenho da concorrência. Estamos no bom caminho e com sucesso”, disse o director regional de Vendas para o Sul da Europa da Delta Airlines, Frederic Schenk, a propósito da concorrência com a TAP nas ligações entre Portugal e a América do Norte.

Senado brasileiro aprova medida que retira limite ao investimento estrangeiro nas companhias aéreas brasileiras

23-05-2019 (09h07)

O Senado brasileiro aprovou na quarta-feira uma medida provisória que autoriza o investimento de até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas instaladas no país, noticiou a imprensa local.

TAP cresce menos que o mercado Espanha - Portugal e em Madrid até tem quebra

22-05-2019 (16h54)

A TAP, que no primeiro quadrimestre de 2018 foi a companhia de aviação de 42,2% dos passageiros que voaram entre Espanha e Portugal nesse período, este ano baixou para 37,5%, reflectindo a cessação de três rotas e uma quebra de 1,7% no Aeroporto de Madrid.

Noticias mais lidas