Lisboa e Porto reforçaram em 2019 o domínio do tráfego aéreo em Portugal

21-01-2020 (17h53)

Foto: ANA
Foto: ANA

Os aeroportos de Lisboa e do Porto tornaram-se em 2019 ainda mais decisivos para a evolução do tráfego aéreo em Portugal, concentrando praticamente três quartos dos passageiros em aeroportos portugueses, num total de 44,27 milhões de passageiros, com um aumento médio em 8,1%, enquanto o crescimento do conjunto dos aeroportos geridos pela ANA/Vinci foi de 6,9%.

Dados dos aeroportos portugueses mostram que Lisboa e Porto foram os aeroportos com crescimentos mais fortes em 2019, respectivamente em 7,4% e em 9,8%.

Em valor absoluto, o maior aumento foi em Lisboa, que teve mais 2,14 milhões de passageiros que em 2018, somando um total de 31,17 milhões, seguido pelo aumento no Porto, que foi de 1,16 milhões, atingindo o total de 13,1 milhões.

Desta forma, Lisboa subiu de 52,5% do total de passageiros em aeroportos geridos pela ANA/Vinci em 2018 para 52,7% em 2019 e o Porto passou de 21,6% para 22,2%.

Mais nenhum aeroporto ganhou quota no ano passado, embora, à excepção de Porto Santo e Beja, todos tivessem aumento de passageiros, o maior dos quais em Faro, que teve mais 323,6 mil que em 2018, ultrapassando a marca dos nove milhões, com 9,009 milhões, seguido por Ponta Delgada, que teve mais 122,5 mil ultrapassando a marca de dois milhões, com 2,027 milhões.

O Funchal, que tem o quarto maior aeroporto do país, teve um dos crescimentos mais modestos do ano de 2019, com apenas +0,8% ou mais cerca de 25 mil passageiros que em 2018, ultrapassando ainda assim a marca de 3,2 milhões, com 3,206 milhões.

A Horta continuou a ser em 2019 o 6º maior aeroporto, com quase 262 passageiros, à frente de Porto Santo, com 163,1 mil Santa Maria, com 100,4 mil, Flores, com 73,5 mil, e Beja, que não chegou a 800, com 770.

Beja foi, aliás, o aeroporto português com a maior quebra de passageiros do ano de 2019, com menos 4,3 mil (-84,9%), porque não se repetiu no ano passado a ANA ‘empurrar’ charters de Lisboa para Beja.

Igualmente em queda em 2019 esteve também o Aeroporto de Porto Santo, que teve menos 1,47 mil passageiros (-0,9%) que em 2018.

Dos restantes o maior aumento foi o do Aeroporto da Horta, que teve mais 14,9 mil passageiros que em 2018 (+6%), seguido pelas Flores, com mais 4,57 mil (+6,6%), e por Santa Maria, com mais 2,8 mil (+2,9%).

 

Para ler mais clique:

Aeroportos da ANA/Vinci cresceram 6,9% em 2019 e superaram marca de 59 milhões de passageiros

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Qatar Airways reforça participação no IAG, segundo maior grupo aéreo europeu

20-02-2020 (12h55)

O IAG, segundo maior grupo de aviação da Europa, que tem as companhias de aviação British Airways, Iberia, Vueling, Aer Lingus e Level, anunciou ontem que o seu maior accionista, a companhia do Golfo Qatar Airways, reforçou a sua participação no Capital Social de 21,4% para 25,1%.

Atribuição de prémios na TAP com "100 milhões de euros de prejuízos" em 2019 é “inaceitável”, diz ministro

19-02-2020 (15h47)

O Governo considerou hoje “inaceitável” que a TAP, empresa que “tem 100 milhões de euros de prejuízos” em 2019, atribua prémios a uma minoria de trabalhadores, ressalvando que a decisão não é da administração, mas da gestão privada.

Quadro legal para certificação do aeroporto do Montijo pela ANAC tem que ser revisto, diz ministro

19-02-2020 (15h34)

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse hoje que o quadro legal para certificação do aeroporto do Montijo pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) “tem obviamente de ser revisto”, uma vez que “é absolutamente incompreensível que fosse o presidente da Câmara da Moita a negar” a construção do aeroporto.

“Mais de 400 mil passageiros não virão a Portugal este Verão” por falta de capacidade aeroportuária, diz ministro

19-02-2020 (15h31)

O ministro das Infraestruturas e da Habitação disse hoje que "mais de 400 mil passageiros não virão a Portugal este Verão" por falta de capacidade aeroportuária e que o país está "a pagar caro" o adiamento de investimentos.

Presidente da República repudia suspensão pela Venezuela dos voos da TAP

18-02-2020 (17h26)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, declarou que a decisão da Venezuela de suspender os voos da TAP por 90 dias de “totalmente incompreensível” e que “não pode deixar de ser repudiada”.

Noticias mais lidas