LATAM tem forte queda de ocupação nos voos internacionais em Agosto

10-09-2018 (17h41)

Foto: LATAM
Foto: LATAM

O grupo LATAM, cuja subsidiária brasileira começou a voar entre São Paulo e Lisboa no passado dia 3, teve em Agosto uma quebra significativa da taxa média de ocupação dos seus voos de longo curso, que baixou de 87,2% em 2017 para 82,7% este ano.

Os dados publicados pelo grupo mostram que a queda de ocupação não se deveu a quebra de tráfego, que até cresceu, só que apenas 3,6% face a um aumento de capacidade em 9,3%.

Além de ter assim uma quebra da taxa de ocupação de 4,6 pontos nos voos internacionais, o grupo, constituído pela integração da brasileira TAM na chilena LAN, teve também um decréscimo de ocupação nos voos domésticos no Brasil, em 1,5 pontos, para 80%.

Neste caso a quebra deu-se por crescimento nulo do tráfego face a um aumento de capacidade em 1,9%.

O único sector em que o grupo teve melhor taxa de ocupação este Agosto foi assim o dos voos domésticos nos seus mercados de língua espanhola, que são o Chile, o Peru, a Argentina, o Equador e a Colômbia, nos quais o tráfego cresceu 4% face a um aumento de capacidade em 3,7%, levando a uma melhoria da taxa média de ocupação em 0,2 pontos, para 80,7%.

Em número de passageiros, o grupo indicou que as suas companhias tiveram 5,97 milhões este Agosto, +2,5% ou mais 144 mil que há um ano, com +5% ou mais 102 mil nos voos domésticos nos mercados de língua espanhola operados pela LAN, que somaram 2,145 milhões, +0,5% ou mais 12 mil em voos domésticos no Brasil operados pela TAM, que somaram 2,42 milhões, e +2,1% ou mais 29 mil em voos internacionais da TAM e da LAN, que somaram 1,4 milhões.

No conjunto dos primeiros oito meses deste ano, segundo a mesma informação, LAN e TAM somam 44,928 milhões de passageiros, com um aumento em 2,3% ou 1,01 milhões face ao período homólogo de 2017.

Em voos domésticos nos mercados de língua espanhola soma 15,37 milhões (+4,4% ou mais 651 mil), em voos domésticos no Brasil está com 18,575 milhões (+0,5% ou mais 96 mil) e em voos internacionais soma 10,98 milhões (+2,5% ou mais 266 milhões).

Ainda assim, com um crescimento médio do tráfego em RPK de 2,5% face a um aumento médio de capacidade em ASK de 4,1%, o grupo tem uma queda da taxa média de ocupação de 1,2 pontos, para 83,3%, centrada nos sectores doméstico no Brasil (-1,3 pontos, para 80,4%) e internacional (-1,9 pontos, para 85,1%).

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Brasil

Clique para mais notícias: América

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vueling vai ter voos Tenerife - Lisboa

15-02-2019 (16h56)

A Vueling, low cost do IAG, grupo de que fazem parte também a British Airways, a Iberia, a Aer Lingus e a Level, vai ter voos entre Tenerife e Lisboa a partir de Abril.

TAP transporta menos passageiros este Janeiro nas suas rotas espanholas

15-02-2019 (15h47)

A TAP, que em meados do ano passado retirou A Coruña, Astúrias e Vigo da sua rede de destinos em Espanha, começou 2019 com uma quebra de passageiros nas ligações com o país vizinho em 3,4% ou cerca de 4,7 mil, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pela AENA.

Passageiros em voos entre Espanha e Portugal aumentam 10,8% em Janeiro

15-02-2019 (15h33)

Os aeroportos espanhóis somaram este Janeiro 357,6 mil passageiros de voos de/para Portugal, +10,8% ou mais 34,9 mil que no primeiro mês de 2018, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pelo PressTUR.

Aeroportos espanhóis começam 2019 com aumento de um milhão de passageiros

15-02-2019 (15h08)

Os 49 aeroportos espanhóis somaram 16,58 milhões de passageiros no primeiro mês deste ano, com um aumento em 7% ou 1,08 milhões em relação a Janeiro de 2018, cerca de metade do qual em Madrid Barajas e em Barcelona El Prat, de acordo com a AENA, gestora dos aeroportos espanhóis.

Lucro da Finnair baixa 11% para 150,7 milhões de euros em 2018

15-02-2019 (14h37)

A Finnair, que voa de Helsínquia para Lisboa e tem programado voar também para o Porto, obteve um lucro líquido de 150,7 milhões de euros em 2018, menos 11% do que no ano anterior, apesar de um aumento da facturação.