LATAM declara melhor resultado desde a formação do grupo em 2012

13-03-2019 (12h28)

Foto: LATAM
Foto: LATAM

O grupo LATAM, constituído em 2012 pela integração da brasileira TAM na chilena LAN, declarou hoje que em 2018 obteve o melhor resultado líquido desde a sua constituição, no montante de 181,9 milhões de dólares.

A informação indica que o resultado traduz um aumento em 17,1% face a 2017, apesar de considerar que 2018 foi um ano desafiados para a aviação na América do Sul, pelo aumento de custos dos combustíveis, instabilidade política antes das eleições presidenciais no Brasil, volatilidade na Argentina, desvalorização das moedas locais com impacto nas viagens internacionais.

No seu caso, o grupo LATAM atribui o aumento de lucros nesse contexto às suas acções de redução de custos, tanto mais quanto as receitas totais aumentaram apenas 2%, para 10,36 mil milhões de dólares, nomeadamente porque as receitas de passagens, principal área de negócios, cresceram apenas 2,5%, para 8,7 mil milhões.

Essa evolução, de acordo com a informação divulgada pelo grupo, foi proporcionada por crescimento do tráfego em RPK em 2,9%, ainda que inferior ao aumento de capacidade (5%), levando a uma queda da taxa de ocupação em 1,7 pontos, para 83,1%, já que o yield (preço médio por quilómetro voado) até baixou 0,4%, o que associado à descida da ocupação levou a uma queda da receita unitária em 2,4%.

Porém, do lado dos custos o grupo teve uma decida do custo unitário em 2,6%, pela queda em 10,8% dos custos unitários não fuel, já que o combustível custou +28,6%, significando um aumento de 664,2 milhões de dólares, para 2.983 milhões.

O balanço mostra que proporcionaram a poupança as reduções de custos com pessoal, em 10,1% ou 203,6 milhões de dólares, para 1.819,9 milhões, com comissões às agências, em 11,9% ou 29,9 milhões, para 222,5 milhões, serviços aos passageiros, em 2,9% ou 8,4 milhões, para 280,2 milhões, alugueres de aviões, em 7,1% ou 41,2 milhões, para 538,3 milhões, manutenção de aviões, em 11,3% ou 48,6 milhões, para 382,2 milhões, e na rubrica “outras despesas operacionais”, em 10,4% ou 144,1 milhões, para 1.237,4 milhões.

O grupo teve ainda assim um decréscimo do resultado operacional em 1,3%, para 705,1 milhões de dólares, que compensou reduções de juros e perdas cambiais, de modo que antes de impostos já apresentou um lucro em alta de 65%, para 226,9 milhões de dólares.

O grupo LATAM começou em finais do ano passado a voar para Lisboa, de São Paulo, com a sua subsidiária brasileira, LATAM Brasil, antiga TAM, da qual passou a deter 51% desde Fevereiro, mais dois pontos que inicialmente.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Grupo TAP prepara-se para entrar em bolsa a partir de 2020

22-03-2019 (18h21)

A TAP SGPS está a trabalhar para, a partir de 2020, estar pronta a avançar com uma IPO (Oferta Pública Inicial), com uma percentagem entre 15% e 30%, anunciou hoje o presidente da Comissão Executiva do grupo.

Grupo TAP tem prejuízo de 118 milhões de euros em “ano necessário”

22-03-2019 (18h06)

O Grupo TAP passou de um lucro de 21,2 milhões de euros em 2017 para um prejuízo de 118 milhões de euros em 2018, um ano de transformação necessária para preparar o futuro, segundo descreveram hoje Miguel Frasquilho, Antonoaldo Neves e David Neeleman.

TAP quer acabar com “dependência” do Brasil através da diversificação de mercados

22-03-2019 (16h42)

A TAP está a trabalhar na diversificação de mercados para acabar com a “dependência” do Brasil, um mercado que representa quase 25% das vendas totais da companhia e que no ano passado teve uma quebra de receitas de 10%, em euros.

TAP vai investir “cada vez mais” nas vendas directas

22-03-2019 (15h13)

As vendas da TAP através dos seus canais directos, como o seu website e o contact center, representaram 41% das vendas da companhia aérea em 2018, e o objectivo é chegar a 50%, disse hoje Raffael Quintas, Chief Financial Officer (CFO) da companhia.

Companhia aérea indonésia cancela encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX

22-03-2019 (14h30)

A companhia aérea indonésia Garuda anunciou hoje o cancelamento de uma encomenda de 49 aviões Boeing 737 MAX, aparelho ligado a dois acidentes, o mais recente dos quais a 10 de Março, na Etiópia.