LATAM cresce menos do que esperava em Maio no Brasil e em voos internacionais

11-06-2018 (17h32)

Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films
Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films

O grupo LATAM, cuja subsidiária brasileira começa a voar para Lisboa em inícios de Setembro, terminou Maio com uma queda da taxa de ocupação por crescimentos do tráfego abaixo dos aumentos de capacidade nas rotas internacionais e em voos domésticos no Brasil.

Os dados de tráfego publicados hoje pelo grupo indicam uma queda da taxa de ocupação em Maio de 2,1 pontos, para 80,9%, pelas quedas em 2,9 pontos nas rotas domésticas no Brasil, para 75,2%, e em 2,7 pontos nas rotas internacionais, para 83,9%.

Os dados mostram que no Brasil a LATAM Brasil aumentou a capacidade (em ASK, do inglês para lugares x quilómetros voados) em 7,3%, mas o crescimento do tráfego (em RPK, do inglês para passageiros x quilómetros voados) ficou em 3,3%.

Nas rotas internacionais, o grupo aumentou a capacidade em 5,9% mas o crescimento do tráfego ficou em 2,6%.

O único sector onde o grupo teve crescimentos do tráfego (+6,9%) superiores aos aumentos de capacidade (+4,7%) foi o das operações domésticas em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia), as quais tiveram assim uma melhoria da taxa de ocupação dos voos em 1,7 pontos, para 80%.

Em número de passageiros embarcados, os dados indicam que as companhias do grupo tiveram em Maio 5,287 milhões, com um aumento em 3,5% ou 178 mil, e nos cinco meses desde o início do ano estão com um aumento em 2,8% ou 755 mil, totalizando 27,6 milhões.

As operações da LAN nos voos domésticos no Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia são as que mais contribuem para o crescimento, com 69,7% do aumento em Maio (+7,4% ou mais 124 mil) e 45,7% no conjunto dos primeiros cinco meses (+3,9% ou mais 345 mil).

O maior sector em número de passageiros continua a ser porém o dos voos domésticos no Brasil, com 41,3% em Maio (2,18 milhões) e 41,6% nos cinco meses (11,48 milhões).

O grupo indicou que nos primeiros cinco meses do aumento somou 27,6 milhões de passageiros, com um aumento m 2,8% ou 755 mil, incluindo +3,9% ou mais 345 mil nos voos domésticos no Chile, Peru, Argentina, Equador e Colômbia, +1,3% ou mais 150 em voos domésticos no Brasil e +3,9% ou mais 262 mil em voos internacionais.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

SATA tem nova Administração a partir de segunda-feira

10-08-2018 (16h10)

A nova Administração da companhia de aviação açoriana SATA, presidida por António Luís Gusmão Teixeira, toma posse na segunda-feira, informou hoje o Governo Regional dos Açores.

Ryanair prevê transportar 400 mil passageiros hoje apesar da greve de pilotos na Europa

10-08-2018 (12h07)

A low cost Ryanair, segunda maior companhia de aviação em Portugal, garantiu que vai transportar hoje mais de 400 mil passageiros em mais de dois mil voos, apesar de enfrentar uma greve dos pilotos na Irlanda, Suécia, Alemanha e Bélgica.

Lisboa teve o 3º mais forte aumento de passageiros dos grandes aeroportos europeus no 1º Semestre

09-08-2018 (17h38)

O Aeroporto de Lisboa teve um aumento médio de passageiros no primeiro semestre em 12,9%, cotando-se assim, apesar de declarado esgotado quer pela gestora aeroportuária ANA quer pelo Governo português, como o 3º grande aeroporto europeu a crescer a ritmo mais forte.

easyJet aposta em mais rotas França - Marrocos

09-08-2018 (16h29)

A low cost easyJet, terceira maior companhia em Portugal, vai apostar no próximo Inverno em mais rotas entre França e Marrocos, de acordo com a imprensa francesa, que indica que a partir de fim de Outubro a low cost terá voos entre Bordéus e Essaouira, entre Lyon e Agadir e entre Toulouse e Marraquexe.