LATAM Airlines aumenta lucro operacional em 50,1%, com yield em alta de 6,2%

09-05-2018 (11h30)

Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films
Foto: Airbus/A. Doumenjou/master films

O LATAM Airlines, grupo constituído pela integração da companhia de aviação brasileira TAM na chilena LAN, informou hoje que fechou o primeiro trimestre com um aumento do lucro operacional em 50,1%, impulsionado por um aumento da receita unitária em 7% que, por sua vez, reflecte um aumento do yield (preço médio por quilómetro voado) em 6,2%.

A informação indica que esse aumento do yield associado a um crescimento do tráfego medido em ASK (lugares x quilómetros voados) em 3,6% e uma melhoria da taxa média de ocupação dos voos em 0,6 pontos levou a um aumento das receitas de passagens em 10,1%, para 2.318 milhões de dólares, a que se juntou um crescimento em 16,6% das receitas de carga, para 295,8 milhões, proporcionando um aumento das receitas operacionais em 10,2%, para 2.730,5 milhões.

Esse aumento compara com uma subida dos custos operacionais de 7,6%, para 2.502 milhões, o que levou ao aumento em 50,1% do lucro operacional, para 228,5 milhões, que significam uma margem de 8,4%, melhor 2,2 pontos que no período homólogo de 2017.

O balanço mostra que essa contenção dos encargos ocorreu apesar de um agravamento em 20,6% dos encargos com combustíveis, principalmente pela moderação das despesas com pessoal, que baixaram 2%.

O grupo LATAM, especifica a informação teve, assim, um aumento médio do custo unitário (por ASK) em 4,6%, porque excluindo combustível a subida ficou em 0,2%.

Do lado da receita, o balanço indica que o aumento da receita unitária (por ASK) em 7% foi com +9,2% nas rotas internacionais, que representaram 55,1% das receitas de passagens, +6,1% nas rotas domésticas no Brasil, onde obteve 25,7% das receitas de passagens, e 4% nas rotas domésticas em países de língua espanhola (Chile, Peru, Argentina, Colômbia e Equador), que representaram 19,2% das receitas de passagens.

O balanço publicado pelo LATAM indica que além do aumento do resultado operacional em 76,2 milhões de dólares teve uma melhoria do resultado financeiro, nomeadamente pela redução dos encargos com juros, que baixaram 10%, pelo que apresentou um lucro líquido em alta de 43,2%, para 93,8 milhões de dólares, que significam uma margem líquida de 3,4%, melhor 0,8 pontos que há um ano.

 

Clique para mais notícias: LATAM

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

EasyJet transporta mais 8% de passageiros de/para Portugal no semestre terminado a 31 de março

19-05-2019 (22h08)

A low cost easyJet, cujo director para Portugal, José Lopes, se queixou na sexta-feira que devido aos constrangimentos do Aeroporto de Lisboa há dois verões consecutivos (2018 e 2019) que a companhia tem “crescimento zero” no Aeroporto Humberto Delgado afinal aumentou a capacidade em 6% na época baixa.

Organismo de investigação de acidentes alerta para riscos de descolagens de Lisboa com potência reduzida

19-05-2019 (21h46)

O organismo que investiga acidentes alerta as companhias aéreas e as entidades aeronáuticas para os riscos das descolagens com potência reduzida na principal pista do Aeroporto de Lisboa, podendo ter “graves consequências” em caso de avaria de motor, apreciação que a ANA já contestou, garantindo que o aeroporto tem certificação de segurança outorgada.


ANA rejeita “declarações alarmistas” do GPIAAF sobre o Aeroporto de Lisboa

19-05-2019 (21h42)

A ANA – Aeroportos de Portugal realçou que o Aeroporto de Lisboa tem certificação de segurança outorgada, ao rejeitar as considerações do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) acerca de um incidente com um avião da easyJet.

easyJet ‘fixa’ prazo para evitar 3º Verão seguido de “crescimento zero” no Aeroporto de Lisboa

17-05-2019 (16h19)

A companhia de aviação easyJet defendeu hoje a urgência de fechar um acordo até Setembro com os militares que permita aumentar a capacidade do Aeroporto de Lisboa já no Verão de 2020, pois, avisou, de contrário “vamos estar a perder oportunidades que já não vão voltar, e isto será muito mau para a economia portuguesa”.

Prejuízo operacional de época baixa da easyJet agrava-se 350%

17-05-2019 (15h39)

A low cost easyJet, que em Portugal tem voos de/para Lisboa, Porto, Faro e Funchal, declarou hoje um prejuízo operacional para o semestre terminado a 31 de Março de 255 milhões de libras (292 milhões de euros ao câmbio de hoje), pior 355% que no período homólogo do exercício anterior, enfatizando, no entanto, que foi sem surpresa que registou essa perda.