Iberia começa 2019 a crescer a dois dígitos e assegura 36,4% do crescimento do IAG

07-02-2019 (16h09)

A companhia espanhola Iberia começou o ano de 2019 com um crescimento do tráfego medido em RPK (do inglês para passageiros x quilómetros voados) em 12,8%, com o qual assegurou 36,4% do crescimento total do seu grupo, o IAG, do qual fazem parte também a British Airways, a Aer Lingus, a Vueling e a Level.

Os dados de tráfego publicados hoje pelo grupo indicam que o crescimento mais forte do mês até foi a sua companhia leisure de longo curso Level, com uma subida em 174,9%, que tem que ver também com o facto de ser uma companhia nova que está a introduzir rotas.

Seguiu-se o aumento em 13,2% da irlandesa Aer Lingus e depois os aumentos em 9% da Vueling e em 2,9% da British Airways.

Esta foi, porém, a que teve o terceiro maior contributo para o crescimento médio do grupo em 7,9% no primeiro mês deste ano, em 22,4%, depois da Level com 23,2%, e à frente da Vueling, com 11%, e da Aer Lingus, com 10,2%.

Em número de passageiros embarcados, que no mês de Janeiro foram 7,69 milhões, com um aumento em 7% ou 503 mil, os dados do grupo mostram que o maior contributo foi da low cost espanhola Vueling, que, com +9,1% ou mais 168 mil passageiros, somando 2,024 milhões, representou 33,4% do aumento total do grupo.

Seguiu-se a Iberia, cujo aumento representou 25,8% do aumento total do grupo, a British Airways, com 19,1%, a Level, com 15,5%, e a Aer Lingus, com 7,8%.

O IAG, que no passado recente não divulgava o número de passageiros embarcados por companhia, relativamente ao primeiro mês deste ano informou que a British Airways transportou 3,316 milhões, com um aumento em 3% ou 96 mil, seguindo-se a Vueling, com 2,024 milhões, +9,1% ou mais 168 mil que há um ano.

A Iberia teve um total de 1,596 milhões, +8,9% ou mais 130 mil que há um ano, a Aer Lingus teve 658 mil, +6,3% ou mais 39 mil que há um ano, e a Level, que opera a partir de Espanha, França e Áustria, teve 99 mil, +371,4% ou mais 78 mil que há um ano.

Em aviação, as companhias com mais passageiros embarcados são as que se focam nas ligações de médio curso, como é o caso da Vueling no IAG, e as que mais contam quando o tráfego é medido em RPK, ou seja, quando é levada em conta a distância voada, as que mais contam são as que têm fortes operações intercontinentais, cujos voos são por definição mais longos.

 

Continua em:

IAG faz 42,2% do seu crescimento em Janeiro nas rotas da América Latina

 

Clique para mais notícias: IAG

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Vueling vai ter voos Tenerife - Lisboa

15-02-2019 (16h56)

A Vueling, low cost do IAG, grupo de que fazem parte também a British Airways, a Iberia, a Aer Lingus e a Level, vai ter voos entre Tenerife e Lisboa a partir de Abril.

TAP transporta menos passageiros este Janeiro nas suas rotas espanholas

15-02-2019 (15h47)

A TAP, que em meados do ano passado retirou A Coruña, Astúrias e Vigo da sua rede de destinos em Espanha, começou 2019 com uma quebra de passageiros nas ligações com o país vizinho em 3,4% ou cerca de 4,7 mil, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pela AENA.

Passageiros em voos entre Espanha e Portugal aumentam 10,8% em Janeiro

15-02-2019 (15h33)

Os aeroportos espanhóis somaram este Janeiro 357,6 mil passageiros de voos de/para Portugal, +10,8% ou mais 34,9 mil que no primeiro mês de 2018, de acordo com dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, recolhidos pelo PressTUR.

Aeroportos espanhóis começam 2019 com aumento de um milhão de passageiros

15-02-2019 (15h08)

Os 49 aeroportos espanhóis somaram 16,58 milhões de passageiros no primeiro mês deste ano, com um aumento em 7% ou 1,08 milhões em relação a Janeiro de 2018, cerca de metade do qual em Madrid Barajas e em Barcelona El Prat, de acordo com a AENA, gestora dos aeroportos espanhóis.

Lucro da Finnair baixa 11% para 150,7 milhões de euros em 2018

15-02-2019 (14h37)

A Finnair, que voa de Helsínquia para Lisboa e tem programado voar também para o Porto, obteve um lucro líquido de 150,7 milhões de euros em 2018, menos 11% do que no ano anterior, apesar de um aumento da facturação.