IATA assinala redução dos fundos das companhias de aviação retidos em Angola

05-06-2018 (15h31)

Angola, um dos países onde as companhias de aviação têm mais fundos que não conseguem repatriar, reduziu no ano passado em 120 milhões de dólares, segundo indicou a IATA, que considerou estar perante uma evolução encorajadora.

A IATA estima em 4.900 milhões de dólares o total de fundos das companhias aéreas retidos em diversos países, o principal dos quais a Venezuela, com 77% do total, no montante de 3.780 milhões de dólares, e sem perspectivas de resolução do problema.

A questão normalmente prende-se com vendas nesses países problemáticos que as companhias não conseguem depois repatriar, ou só o podem fazer sofrendo grandes perdas com câmbios totalmente fora do mercado.

Depois da Venezuela, onde uma das companhias afectadas é a TAP, surge a Angola, onde também a companhia portuguesa é uma das penalizadas, com um montante total, segundo a IATA, de 386 milhões de dólares.

Anteriormente o segundo país com mais fundos de companhias aéreas retidos era a Nigéria, que entretanto permitiu a recuperação dos 600 milhões que tinha retidos.

O Top5 dos países com mais fundos retidos inclui depois o Sudão, com 170 milhões de dólares, o Bangladesh, com 95 milhões, e o Zimbabwe, com 76 milhões.

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: IATA

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CEO da TAP defende direito a sonhar com liderar tráfego entre a Europa e a América do Norte

20-06-2018 (17h57)

Embora tenha pela frente concorrentes como a British Airways, que ainda em 4 de Maio começou a voar de Londres-Heathrow para Nashville, sua 26ª cidade nos Estados Unidos, o CEO da TAP reivindicou hoje no Porto o direito a da companhia a “sonhar grande em relação a ser a principal companhia aérea que liga a Europa à América do Norte”.

CEO da TAP garante aposta no Porto e ironiza: “a concorrência que se cuide”

20-06-2018 (17h51)

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro "é historicamente um dos alicerces da TAP", que tem um "compromisso total e absoluto" com o Porto, garantiu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, que rematou com um: "Queremos ter uma posição dominante no Porto, e a concorrência que se cuide".

Antonoaldo Neves reconhece pontualidade como “problema gravíssimo” da TAP

20-06-2018 (17h48)

"Temos um problema gravíssimo de pontualidade na ponte aérea e na TAP em geral", reconheceu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, na sessão de balanço da operação da companhia aérea no Porto admitiu, que assegurou tratar-se de um "desafio" a superar nos próximos tempos.

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros voltam a crescer acima de 20% em Abril

20-06-2018 (16h28)

As empresas portuguesas de transporte aéreo de passageiros, as maiores das quais a TAP, a Azores Airlines, a euroAtlantic e a Hi Fly, aumentaram em Abril as vendas ao estrangeiro em 23,2%, alcançando assim um aumento médio em 15,3% no quadrimestre.

CEO da TAP diz que auditoria do TdC é "assunto de accionista" mas afirma-se "confiante" no futuro

20-06-2018 (14h56)

Antonoaldo Neves, CEO da TAP, escusou-se hoje a comentar a auditoria do Tribunal de Contas (TdC) que aponta uma acrescida "exposição" do Estado português a "contingências adversas" da companhia, mas dizendo estar "confiante" num bom desempenho financeiro da empresa.