IAG faz 42,2% do seu crescimento em Janeiro nas rotas da América Latina

07-02-2019 (16h03)

Foto: Iberia
Foto: Iberia

Os dados de tráfego do IAG publicados hoje mostram que 42,2% do seu crescimento em RPK em Janeiro foi realizado nas rotas da América Latina, nas quais teve um aumento do tráfego em 16,9%.

Os dados mostram que mesmo em número de passageiros embarcados, em que as rotas de médio curso têm preponderância, as linhas da América Latina sobressaíram com um aumento em 20,6% ou 88 mil,  que significou um contributo de 17,5% para o crescimento total do grupo.

A informação do IAG indica que em Janeiro cresceu 7,9% em RPK e 7% em número de passageiros embarcados, que neste caso significou um aumento d 503 mil, atingindo um total de 7,693 milhões.

Em RPK, foram 20.104 mil milhões em Janeiro, mais 1.468 milhões que já um ano, 42,2% dos quais gerados pelo crescimento das rotas da América Latina, nas quais a Iberia é a companhia preponderante, 26,1% nas rotas da América do Norte, nas quais a preponderância é da British Airways, 12,2% nas rotas internacionais intra-europeias, 8,4% nas rotas domésticas no Reino Unido, Irlanda, Espanha e Itália, 5,9% nas rotas da África, Médio Oriente e Ásia do Sul e 5,3% nas rotas da Ásia e Pacífico.

As que tiveram o crescimento relativo mais forte do mês foram as da América Latina, com uma subida em 16,9%, seguindo-se as domésticas, com +9,8%, América do Norte, com +7,6%, internacionais intra-europeias, com +4,6%, Ásia e Pacífico, com +4,3%, e finalmente África, Médio Oriente e Ásia do Sul, com +2,9%.

As rotas da América Latina foram porém as que tiver o pior desempenho do mês em taxa de ocupação, com uma queda de 0,7 pontos, mantendo ainda assim a mais elevada taxa de todos os sectores, com 85,6%.

O IAG indicou que este Janeiro teve uma taxa de ocupação média na sua rede de 78,6%, em alta de 0,2 pontos, com +1,6 pontos em rotas domésticas, atingindo 79,5%, +0,3 pontos nos voos internacionais intra-europeus, para 74,5%, e +0,5 pontos nas linhas de África, Médio Oriente e Ásia do Sul, para 81,7%.

Com a ocupação a descer, além das rotas da América Latina, estiveram as da América do Norte, com -0,1 pontos, para 74,4%, e Ásia e Pacífico, com -0,2 pontos, para 81%.

Por companhias, os dados do IAG indicam que a que teve a melhor subida de ocupação do mês foi a British Airways, com +0,7 pontos, para 78%, seguida pela Iberia, com +0,4 pontos, para 83,9%, que foi a taxa mais alta do mês.

As restantes tiveram quebras, de 0,5 pontos na Vueling, para 78,9%, 2,8 pontos na Aer Lingus, para 68,1%, e de 6,7 pontos na Level, para 77%.

 

Clique para mais notícias: IAG

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

DECO recebeu mais de quatro mil queixas relativas a transporte aéreo em 2018

19-04-2019 (18h19)

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) recebeu mais de quatro mil reclamações relacionadas com transportes aéreos em 2018 e, no primeiro trimestre deste ano, elevam-se a 674.

Air Europa aumenta capacidade da rota de São Paulo Guarulhos com voos em B787-9

18-04-2019 (13h29)

A rota Madrid - São Paulo Guarulhos é uma das seis rotas que a Air Europa indicou passará a ter os seus voos em Boeing B787-9, substituindo o B787-8 de menor capacidade.

Aeroporto de Hong Kong contrata Travelport promoção da conectividade multi-modal

18-04-2019 (11h37)

A multinacional tecnológica para o turismo e transportes Travelport anunciou ter assinado um acordo para promover os serviços de conectividade multi-modal do Aeroporto Internacional de Hong Kong (HKIA) junto de viajantes da Ásia, Europa e América do Norte.

Jet Airways suspende todos os voos

18-04-2019 (09h47)

A Jet Airways, que já foi a maior companhia de aviação privada da Índia, com uma frota de 123 aviões e 23 mil trabalhadores, suspendeu todos os voos, por não ter como pagar o combustível e outros serviços.

Voo da Lufthansa Lisboa - Munique desviado hoje para Sevilha para abastecer (Actualiza)

17-04-2019 (19h01)

O voo LH1793 da Lufthansa que saiu hoje de manhã de Lisboa para Munique foi desviado para Sevilha para abastecer.