Grupo Lufthansa anuncia ‘revolução’ ‘sem’ alianças e com low cost intercontinental

09-07-2014 (15h28)

‘Família WINGS’ e joint-ventures bilaterais são as apostas

O CEO do Grupo Lufthansa, maior da Europa, divulgou hoje uma “revolução” de que um dos destaques é o que apelida de nova “família WINGS”, baseada no modelo ponto-a-ponto da low cost Germanwings, que prevê tenha rotas de longo curso até ao fim de 2015, e em que sobressai a ausência de qualquer referência à Star Alliance, de que foi um dos principais impulsionadores.



Aliás, na documentação divulgada pelo Grupo, com os slides da apresentação de Carsten Spohr, o que se vê é que considera que o está ‘a ganhar importância’ são as joint-ventures bilaterais, como a que acaba de acordar com a Air China (para ler clique aqui) e que já tem com a United, Air Canada e ANA, e que o modelo ponto-a-ponto “está cá para ficar e a ultrapassar o crescimento do modelo hub”.  
Outra das ideias ‘disruptivas’ que marca a apresentação de Carsten Spohr, que actualmente é CEO da Lufthansa Passenger Airlines e a partir de 1 de Maio passa a ser CEO do Grupo, substituindo Christoph Franz (para ler clique aqui), é a ênfase com que as viagens por razões privadas são 75% de todas as viagens intercontinentais e 79% de todas as viagens intra-europeias.  
“As viagens privadas estão a crescer mais rapidamente que o segmento de viagens empresariais”, lê-se no capítulo dedicado ao “atractivo segmento de mercado das viagens privadas à partida da Alemanha”, que conclui com o anúncio de que o grupo vai apostar “desenvolvimento novos produtos e plataformas competitivos” para o “dinâmico” segmento das viagens privadas.
Esta ênfase nas “viagens privadas” contrasta com a ideia geralmente dominante de que os clientes empresariais são o ‘tutano’ das vendas de voos e tem como complemento o anúncio de que o Grupo Lufthansa vau expandir os seus produtos para o “private travel segment” no âmbito de “novos conceitos para o crescimento”.
É neste capítulo que Carsten Spohr anuncia a “WINGS long-haul”, descrita como uma companhia low-frills com uma nova marca quer terá sete Boeing B767 e/ou Airbus A330 “na fase inicial” e cujo início das operações aponta para finais de 2015.
“A Lufthansa está a ‘empacotar’ as suas iniciativas ponto-a-ponto e a expandi-las com a adição de uma nova companhia low-frills [geralmente traduzido para low cost] intercontinental” é o destaque do capítulo em que Carsten Spohr anuncia uma expansão da frota da Germanwings até 60 aviões e a substituição da frota da Eurowings para voos de e para a Alemanha dos CRJs para 23 Airbus A320 com voos a começarem na próxima Primavera, a abertura de uma base da Eurowings em Basileia em inícios do próximo ano, com dois a quatro A320 e a ‘promessa’ de que estão a ser estudadas novas localizações para as operações da Eurowings de e para a Áustria, Suíça e Bélgica.
O CEO do Grupo Lufthansa, ainda no âmbito dos “novos conceitos para o crescimento” diz que o modelo preconizado é a combinação de produtos baseados em hub e em ponto-a-ponto no sentido de criar o define como “omnidirectional service” nos seus mercados domésticos, explicitando que aposta numa gestão “uniforme”, “baseada no êxito da Geramwings”, e também “independente”, pois terá “multi-plataformas separadas a focarem-se nos viajantes privados price-sensitive”.
Carsten Spohr anunciou ainda durante esta apresentação que uma das apostas é a criação do que designa como “Hub de Inovação” em Berlim, para o grupo “ficar mais próximo do mundo das start-ups e da cena das tecnologias digitais”, que irá desenvolver “estreita colaboração e parceiras com companhias de Silicon Valey [EUA] para ter acesso a ideias disruptivas” e “usar os benefícios e o potencial propiciado por cerca de 300 mil passageiros por dia para desenvolver novos produtos e serviços com parceiros”.
“Pretendemos investir 500 milhões de euros em inovação no Grupo Lufthansa entre agora e 2020”, anuncia a apresentação, acrescentando que juntamente com a qualidade, a inovação estará “firmemente ancorada” nos CEOs do Grupo.
Aliás, uma das ideias destacadas por Carsten Spohr é que o Grupo deve apostar em mais “personalização” dos produtos e serviços na perspectiva de “surpreender agradavelmente” os clientes, “com o objectivo de triplicar as receitas de serviços adicionais até 2020.
A Lufthansa Passenger Airlines (que junta as suas companhias aéreas) vai evoluir “consistentemente” para ser “a primeira companhia aérea ‘5-estrelas’ no Hemisfério Ocidental”, diz ainda a apresentação de Carsten Spohr, que salienta que, no entanto, essa é apenas parte das aposta na qualidade, pois o objectivo é ser “líder em qualidade” em todos os mercados e áreas de negócios”.
O CEO do Grupo Lufthansa indicou ainda que a sua aposta passa também pelo desenvolvimento de outras aéreas do grupo, como Manutenção (Lufthansa Technik), Catering (LSG Sky Chefs), programa de fidelização (Miles & More) e gestão de viagens (Air Plus).
Carsten Spohr, aliás, avança que na sua perspectiva, até 2020 perspectiva que o ‘peso’ do modelo de hub com hubs em Frankfurt, Munique, Zurique, Viena e Bruxelas baixe o ‘peso’ no total de receitas do grupo de 70% actualmente para 60%, por aumento das fatias de tráfego ponto-a-ponto e dessas áreas complementares, designadamente pela expansão da LSG e da Tecnik na Ásia e nas Américas.

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Balanço do LATAM evidencia recuperação ‘explosiva’ da aviação no Brasil

16-08-2019 (16h15)

O LATAM, maior grupo de aviação comercial da América Latina, cuja subsidiária brasileira, a LATAM Brasil (antiga TAM), é líder brasileira em voos internacionais, indicou que no segundo trimestre teve um aumento da receita unitária (por lugar voado um quilómetro) de 18,7%, atingindo 29,5% em reais.

Levantadas restrições ao abastecimento no aeroporto de Lisboa, ANA Aeroportos

16-08-2019 (12h35)

As restrições ao abastecimento de aviões no aeroporto de Lisboa, em vigor desde segunda-feira, foram hoje levantadas, disse à Lusa fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

Grupo SATA transportou mais 8% de passageiros no primeiro semestre

16-08-2019 (11h59)

As companhias aéreas SATA Air Açores e Azores Airlines transportaram 705,7 mil passageiros no primeiro semestre, mais 8% ou mais 52,5 mil que no período homólogo do ano passado, anunciou o Grupo SATA.

Lauak vai produzir em Grândola peças para aviões A320

16-08-2019 (11h39)

A Lauak vai implementar uma unidade de produção de preças para aviões A320 em Grândola, com um investimento de 33 milhões de euros com apoio de fundos comunitários.

Trabalhadores da Grounforce realizam concentração para exigir estacionamento

16-08-2019 (11h24)

Os trabalhadores da Groundforce, reunidos na quinta-feira em plenário, aprovaram a realização de uma concentração no Ministério das Infraestruturas, com data a definir, para entrega de um abaixo-assinado a exigir estacionamento nas zonas limítrofes aos aeroportos e devolução das multas.

Noticias mais lidas