GOL agrava redução de capacidade no mês de Março e queda de tráfego acentua-se para 19,3%

05-05-2016 (09h17)

Foto: GOL
Foto: GOL

A GOL, maior companhia aérea em passageiros transportados em voos internos no Brasil, reduziu em 16,7% o número de lugares disponíveis neste mercado no mês de Março e teve uma queda de passageiros em 19,3% ou cerca de 563 mil.

A informação divulgada hoje pela companhia evidencia que, com o fim do ‘pico’ da época alta no Brasil, aprofundou a estratégia de ‘secar’ capacidade, especialmente no mercado doméstico.

Em ASK, medida de capacidade mais utilizada na aviação, indicando o total de lugares x quilómetros voados, a companhia reduziu a sua capacidade em 9,4% no mês de Março, quando nos primeiros dois meses baixara 0,8%, o que leva a que a redução do trimestre tenha sido em 1,4%.

Ainda assim, a companhia teve quedas de taxa de ocupação tanto em Março (-1,7 pontos, para 72,5%) quanto no trimestre (-0,7 pontos, para 77,6%) porque em ambos os períodos as duas reduções de capacidade foram insuficientes para anular as quedas de tráfego (medido em RPK = passageiros x quilómetros voados), que foram de 11,5% em Março e 2,3% no trimestre, tendo em conta neste caso que nos primeiros dois meses o decréscimo tinha sido em 1,5%.

Em voos internacionais, o quadro foi melhor com subidas de taxa de ocupação em 8,3 pontos em Março, para 77,8%, e em 1,5 pontos no trimestre, para 72,9%, mas em Março a companhia apenas teve 11,9% da capacidade em voos internacionais e a média no trimestre foi de 12,2%.

Acresce que as subidas de taxa de ocupação em voos internacionais não se ficaram a dever a aumentos de tráfego (em RPK), que baixou 9,5% em Março e 4,6% no trimestre, mas a reduções de capacidade, em 19,1% no mês e em 6,7% no trimestre.

Assim, de acordo com o balanço de tráfego divulgado pela GOL, a companhia efectuou 309.287 voos no trimestre, nos quais teve disponíveis 51,422 milhões de lugares e transportou 37,79 milhões de passageiros, o que significa que ficou 13,632 milhões de lugares vazios (26,5% do total).

Relativamente ao primeiro trimestre de 2015, a empresa fez menos quase dez mil voos (-3,9% ou menos 9.988), teve menos cerca de dois milhões de lugares nos voos (-3,7%) e transportou menos 2,25 milhões de passageiros.

No mês de Março, a companhia fez 22.131 voos, -16,6% ou menos cerca de 4,4 mil que há um ano.

A sua capacidade total em número de lugares foi de 3,69 milhões, -16,5% ou menos 730 mil que há um ano, com -16,7% ou menos 695 mil em voos domésticos e -13,7% ou menos 34 mil em voos internacionais.

Em finais de Março, ao divulgar os prejuízos do ano de 2015, a GOL anunciou que vai acentuar este ano a redução da sua capacidade no mercado (clique para ler: GOL corta lugares disponíveis em 15% a 18% este ano).

 

Clique para mais notícias: GOL

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícia: Brasil

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Ryanair lança-se na venda de bilhetes para eventos desportivos

14-12-2018 (17h12)

A Ryanair anunciou que começou a comercializar bilhetes para eventos desportivos, designadamente para jogos de futebol das primeiras divisões espanhola e francesa.

Brasil autoriza estrangeiros a ter 100% do capital das companhias aéreas do país

14-12-2018 (16h59)

O Presidente do Brasil, Michel Temer, assinou uma medida provisória que abre espaço para que estrangeiros assumam 100% do controlo do capital das companhias aéreas do país.

Operador dinamarquês vai ter charters para Portugal com a Jet Time, após falência da Primera Air

14-12-2018 (15h49)

O operador turístico dinamarquês Bravo Tours contratou a companhia aérea Jet Time para fazer as suas operações charter no próximo Verão, incluindo voos para Portugal, que estavam previstas ser realizadas pela Primera Air, que declarou falência em Outubro.

TAP prevê poupar 30 milhões de euros na factura de combustível em 2019

14-12-2018 (12h56)

A TAP prevê conseguir em 2019 uma poupança de 30 milhões de euros nos custos de combustível, graças à renovação da frota com aviões mais eficientes, de acordo com o Chief Financial Officer (CFO) da companhia, Raffael Quintas.

Manutenção e engenharia da TAP no Brasil prevê lucro de 3 milhões de euros em 2019 – Antonoaldo Neves

14-12-2018 (12h35)

O negócio da manutenção e engenharia da TAP no Brasil, a ex-VEM (Varig Engenharia e Manutenção), atingiu o equilíbrio operacional em 2018 e deverá alcançar em 2019 um lucro operacional de três milhões de euros, disse Antonoaldo Neves, CEO da TAP.