Evolução do grupo Air France KLM em Julho marcada por forte abrandamento da holandesa

08-08-2018 (17h37)

Foto: Air France KLM
Foto: Air France KLM

O grupo Air France KLM, maior grupo de aviação da Europa em capacidade medida em ASK (lugares x quilómetros voados), cresceu 1,9% em Julho, aquém do aumento médio de 3,4% no primeiro semestre, em grande medida porque a sua companhia holandesa abrandou de um crescimento médio de 5,4% para 1,2%.

Os dados publicados hoje pelo grupo mostra que assim a francesa foi inclusivamente o ‘motor’ do crescimento das suas operações de rede, com um crescimento do tráfego medido em RPK (passageiros x quilómetros voados em 1,7%, que compara com um crescimento médio de 0,7% no primeiro semestre.

Desta forma, a Air France foi em Julho a companhia do grupo que mais contribuiu para o crescimento, tanto em RPK, com um aumento que equivaleu a 48,5% do crescimento total do grupo, como em número absoluto de passageiros, com 59,9% do aumento total.

A Air France segundo a informação publicada transportou cinco milhões de passageiros em Julho, com um aumento em 2% ou cerca de cem mil e o seu crescimento em RPK foi de 1,7%.

A KLM que foi a grande impulsionadora do crescimento do grupo no primeiro semestre no mês de Julho foi ultrapassada pela low cost Transavia.

Esta companhia, com um aumento de passageiros em 2,7% ou 46 mil, para 1,713 milhões, e um crescimento em RPK de 4,7%, contribuiu com 27,5% para o aumento total de passageiros do grupo e com 28,1% para o aumento em RPK.

A KLM, por sua vez, com um aumento de passageiros em 0,7% ou 21 mil, para 3,1 milhões, e um crescimento em RPK de 1,2%, foi responsável por apenas 12,6% do aumento total de passageiros do grupo e 23,4% do crescimento do tráfego em RPK.

Ainda assim, no conjunto dos primeiros sete meses do ano, a KLM mantém o maior contributo para o crescimento do grupo, tanto em RPK, com 56,1% do aumento total, como em número de passageiros, com 67,6% do aumento total.

A companhia holandesa teve um aumento do tráfego medido em RPK nos primeiros sete meses em 4,7% e em número de passageiros teve um aumento em 5,4% ou um milhão, somando 19,7 milhões.

A Air France, por sua vez, cresceu 0,9% em RPK, e teve uma queda do número de passageiros em 0,2% ou 66 mil, para 29,5 milhões, e a Transavia cresceu 9,9% em RPK e teve um aumento de passageiros em 6,5% ou 547 mil, somando nove milhões.

 

Clique para mais notícias: Air France KLM

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Emirates reduz voos para Lisboa em Abril e Maio de 2019

15-10-2018 (11h53)

A Emirates, companhia de aviação do Dubai actualmente com dois voos por dia para Lisbia, vai reduzir a operação a partir de 16 de Abril devido a obras de manutenção da pista do seu hub, no Dubai International Airport.

TAP antecipa e cancela voos da Madeira no sábado devido à passagem de furacão Leslie

12-10-2018 (17h21)

A companhia de aviação portuguesa TAP antecipou três voos previstos para Sábado de manhã da Madeira e cancelou a operação no arquipélago naquele dia até às 18:00 devido ao mau tempo esperado pela passagem do furacão Leslie.

Zagreb desde 155 euros é a proposta da Croatia Airlines

12-10-2018 (16h44)

A Croatia Airlines, representada em Portugal pela APG, está a promover a ligação Lisboa-Zagreb, que estendeu até 14 de Janeiro, com preços a partir de 155 euros por pessoa.

Croatia Airlines prolonga ligação Lisboa-Zagreb e retoma em 2019

12-10-2018 (16h25)

A Croatia Airlines, representada em Portugal pela APG, anunciou que vai prolongar a rota Lisboa-Zagreb até 14 de Janeiro, e a sua renovação para a temporada de 2019, a partir de 29 de Abril e até 28 de Outubro.

Crescimento dos aeroportos portugueses abranda para 4,2% no 3º trimestre

12-10-2018 (14h10)

A Vinci Airports, que ganhou a privatização da ANA Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos portugueses, informou hoje que no terceiro trimestre os dez aeroportos que gere em Portugal tiveram um aumento de passageiros em 4,2%, depois de +6,9% no segundo trimestre, 12% no primeiro e 16,5% no ano de 2017.