EUA restringem voos para Cuba para cortar receitas do turismo

13-01-2020 (12h07)

Foto: Jordan Sanchez / Unsplash
Foto: Jordan Sanchez / Unsplash

Os Estados Unidos restringiram os voos entre o seu território e Cuba, para reduzir as receitas do turismo da ilha, que Havana usa, diz Washington, para apoiar o regime de Nicolas Maduro na Venezuela. Cuba diz que medida viola os direitos humanos.

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse em comunicado que os voos charter passam a ser autorizados apenas a viajar para a capital de Cuba, Havana, e não para outros aeroportos do país, uma medida já aprovada em 25 de Outubro para voos comerciais.

"Hoje [10 de Janeiro], a meu pedido, o Departamento de Transportes dos EUA suspendeu todos os voos públicos entre os Estados Unidos e destinos cubanos que não o Aeroporto Internacional de Havana até novo aviso", revelou Pompeo, acrescentando que mesmo os voos para Havana serão limitados a "um número apropriado" que não especificou.

"Nove aeroportos cubanos que actualmente recebem voos charter dos EUA serão afectados" pela decisão, anunciou o secretário de Estado, acrescentando que as companhias aéreas têm 60 dias para cessar as operações.

De acordo com Pompeo, esta medida "reduzirá ainda mais a capacidade do regime cubano de beneficiar das receitas do turismo, que usa para financiar a repressão do povo cubano e dar o seu apoio injustificável ao ditador Nicolas Maduro na Venezuela".

Cuba considera que a suspensão dos voos charter dos Estados Unidos viola gravemente os direitos humanos dos cidadãos norte-americanos e dificulta a reunificação familiar entre os cubanos dentro e fora do país.

“É uma grave violação dos direitos humanos, da liberdade de viajar dos norte-americanos e obstaculiza a reunificação familiar”, sublinhou o chefe da diplomacia cubana, Bruno Rodríguez, através do Twitter.

A administração do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que já havia rompido com a política de aproximação do seu antecessor Barack Obama, vem fortalecendo o embargo económico a Cuba, em vigor desde 1962, para forçar Havana a renunciar ao seu apoio ao líder venezuelano.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Cuba

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Delta Air Lines prolonga período para remarcar viagens

06-04-2020 (17h53)

A  Delta Air Lines prolongou o período durante o qual é possível remarcar viagens para dois anos, e abdica das taxas de alteração de data a clientes afectados pela pandemia do novo coronavírus.

Companhias de aviação cortam mais 11,1 milhões de lugares esta semana, OAG

06-04-2020 (16h14)

A empresa especializada em dados para a aviação comercial OAG revelou hoje que as companhias aéreas ‘riscaram’ só esta semana 11,1 milhões de lugares de avião, representando uma redução da capacidade em 22,7%, com especial incidência na Europa e na América do Norte, que são actualmente as regiões onde a pandemia de covid-19 está mais intensa.

Há seis voos programados entre Angola e Portugal até 17 de Abril

06-04-2020 (16h00)

Um total de seis voos charter entre Portugal e Angola estão agendados entre hoje e 17 de Abril, cinco dos quais entre Luanda e Lisboa e um para o Porto.

Maior aeroporto europeu fecha uma pista e reduz área de actividade

06-04-2020 (15h41)

O aeroporto de Londres Heathrow, o maior da Europa, com 80,88 milhões de passageiros e 475,8 mil voos a aterrarem e descolarem em 2019, vai fechar uma das duas pistas e suspender a actividade de passageiros em dois terminais, devido à quebra de tráfego provocada pela pandemia de covid-19.

NAV Portugal prevê quebras de tráfego aéreo de 85% a 95% em Abril

06-04-2020 (13h27)

A NAV Portugal anunciou que prevê quebras de tráfego aéreo “a rondar os 85% e 95%” em Abril, depois de na última semana de Março ter verificado um decréscimo de 85%.

Noticias mais lidas