Emirates volta a ter dois voos por dia para Lisboa a partir de Junho

20-02-2018 (14h57)

Foto: ANA
Foto: ANA

A Emirates vai voltar a ter dois voos por dia entre Lisboa e Dubai a partir de 1 de Junho, frequência que já chegou a operar em 2016, mas que suspendeu em Setembro desse ano.

A retoma do segundo voo diário está associada à recuperação da economia de Portugal e ao “forte crescimento do turismo”, sublinha Hubert Frach, vice-presidente sénior da Emirates para Operações Comerciais na Divisão Oeste, citado em comunicado.

“O segundo serviço diário entre o Dubai e Lisboa irá dar resposta à crescente procura que existe nesta rota, além de oferecer aos nossos passageiros em Portugal e de toda a rede global da Emirates mais opções e flexibilidade para planearem as suas viagens”, acrescentou o executivo.

O voo será operado em avião Boeing 777-300ER com oito suites privadas em Primeira Classe, 42 lugares em Classe Executiva e 310 lugares em Classe Económica.

O código do novo voo será EK193 e terá partidas do Dubai às 14h25 e chegada a Lisboa às 19h40. No sentido inverso, com o código EK194, sairá de Lisboa às 21h15 e aterrará no Dubai, às 8h05 da manhã seguinte.

A operação actual da Emirates tem o código de voo EK191 à saída do Dubai às 7h25, para chegar a Lisboa às 12h35. No sentido inverso, com o código EK192, parte de Lisboa às 14h15 e aterra no Dubai às 1h10.

A Emirates salienta que a introdução do segundo voo diário deverá possibilitar “ligações mais directas e mais favoráveis para alguns dos principais destinos de toda a rede global da companhia aérea, como Austrália, Hong Kong, Pequim, Xangai, Luanda, Tailândia e Joanesburgo”.

Além destas ligações, os passageiros também terão acesso “a mais de 90 destinos sob a parceria entre a Emirates e a rede flydubai”, para destinos como Catmandu, Zanzibar, Kilimanjaro, Sylhet e Chittagong.

A frequência adicional, acrescenta a transportadora, permitirá que a Emirates SkyCargo ofereça até 20 toneladas de capacidade de carga no avião, por voo.

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Emirates

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CEO da TAP defende direito a sonhar com liderar tráfego entre a Europa e a América do Norte

20-06-2018 (17h57)

Embora tenha pela frente concorrentes como a British Airways, que ainda em 4 de Maio começou a voar de Londres-Heathrow para Nashville, sua 26ª cidade nos Estados Unidos, o CEO da TAP reivindicou hoje no Porto o direito a da companhia a “sonhar grande em relação a ser a principal companhia aérea que liga a Europa à América do Norte”.

CEO da TAP garante aposta no Porto e ironiza: “a concorrência que se cuide”

20-06-2018 (17h51)

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro "é historicamente um dos alicerces da TAP", que tem um "compromisso total e absoluto" com o Porto, garantiu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, que rematou com um: "Queremos ter uma posição dominante no Porto, e a concorrência que se cuide".

Antonoaldo Neves reconhece pontualidade como “problema gravíssimo” da TAP

20-06-2018 (17h48)

"Temos um problema gravíssimo de pontualidade na ponte aérea e na TAP em geral", reconheceu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, na sessão de balanço da operação da companhia aérea no Porto admitiu, que assegurou tratar-se de um "desafio" a superar nos próximos tempos.

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros voltam a crescer acima de 20% em Abril

20-06-2018 (16h28)

As empresas portuguesas de transporte aéreo de passageiros, as maiores das quais a TAP, a Azores Airlines, a euroAtlantic e a Hi Fly, aumentaram em Abril as vendas ao estrangeiro em 23,2%, alcançando assim um aumento médio em 15,3% no quadrimestre.

CEO da TAP diz que auditoria do TdC é "assunto de accionista" mas afirma-se "confiante" no futuro

20-06-2018 (14h56)

Antonoaldo Neves, CEO da TAP, escusou-se hoje a comentar a auditoria do Tribunal de Contas (TdC) que aponta uma acrescida "exposição" do Estado português a "contingências adversas" da companhia, mas dizendo estar "confiante" num bom desempenho financeiro da empresa.