Embraer e Boeing aprovam acordo para criar nova empresa que absorve a brasileira

17-12-2018 (16h33)

Foto: Embraer
Foto: Embraer

As fabricantes de aeronaves brasileira Embraer e norte-americana Boeing anunciaram hoje que aprovaram os termos da parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial, cuja execução depende de aprovação do Governo brasileiro.

"De acordo com a parceria proposta, a Boeing deterá 80% de participação na joint venture pelo valor de 4,2 mil milhões de dólares [3,7 mil milhões de euros]. A expectativa é que a parceria não terá impacto no lucro por acção da Boeing em 2020, passando a ter impacto positivo nos anos seguintes", diz um comunicado conjunto da Embraer e da Boeing divulgado para investidores.

As duas empresas informaram que a joint venture criada para a fabricação de aviões comerciais, que deve absorver toda a operação actual da Embraer voltada para este segmento incluindo a fábrica localizada na cidade portuguesa de Évora, deve gerar sinergias anuais de cerca de 150 milhões de dólares [132,2 milhões de euros] - antes de impostos - até o terceiro ano de operação (ver também: Fábrica da Embraer em Évora deve passar para nova empresa anunciada com a Boeing).

"Após concluída a transação, a joint venture da aviação comercial será liderada por uma equipa de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO. A Boeing terá o controlo operacional e de gestão da nova empresa", acrescentou o comunicado.

Além disso, a Embraer terá poder de decisão para alguns temas estratégicos, como a transferência das operações do Brasil.

O acordo foi divulgado uma semana depois de o Tribunal Regional Federal da 3ª região (TRF3) do Brasil ter revogado uma decisão provisória que impedia a negociação (clique para ler: Tribunal brasileiro reabre caminho para acordo entre Boeing e Embraer).

A Embraer foi privatizada em 1994, mas o Governo brasileiro detém uma acção especial chamada "golden share" que permite vetar quaisquer negócios firmados pela empresa.

O Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, já se manifestou publicamente a favor do acordo que vem sendo discutido há meses pelas duas empresas.

Se as autoridades do poder executivo do Brasil aprovarem o acordo, este será submetido aos accionistas e às autoridades reguladoras, "bem como a outras condições pertinentes à conclusão de uma transacção deste tipo", destacou o comunicado.

"A Boeing e a Embraer possuem um relacionamento estreito graças a mais de duas décadas de colaboração. O respeito mútuo e o valor que enxergamos nesta parceria só aumentou desde que iniciamos discussões conjuntas no começo deste ano", disse Dennis Muilenburg, presidente, chairman e CEO da Boeing.

"Estamos confiantes que esta parceria será de grande valor para o Brasil e para a indústria aeroespacial brasileira como um todo. Esta aliança fortalecerá ambas as empresas no mercado global e está alinhada à nossa estratégia de crescimento sustentável de longo prazo", acrescentou Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente e CEO da Embraer.

As empresas informaram também que chegaram a um acordo sobre os termos de uma segunda joint venture para promover e desenvolver novos mercados para o avião militar KC-390.

A parceria proposta indica que a Embraer poderá deter 51% de participação desta joint venture e a Boeing os 49% restantes. Esta transacção também está sujeita à aprovação do Governo brasileiro.

A expectativa da Embraer e da Boeing é de que a negociação destes acordos, se seguirem o cronograma previsto, deve ser concluída até o final de 2019.

A Embraer mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA (65%), em Alverca.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para ver mais: Aviação

Clique para ver mais: Embraer

Clique para ver mais: Boeing

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Angolana BestFly contrata dois ATR 72-600 para charters de negócios

18-06-2019 (13h58)

A companhia de aviação angolana BetFly anunciou no salão aeronáutico de Paris a contratação em leasing de dois ATR 72-600 para voos charter de negócios em Angola, de acordo com o seu CEO, Nuno Pereira, citado pela imprensa internacional.

Qatar Airways eleita melhor companhia de aviação do mundo nos prémios Skytrax

18-06-2019 (15h27)

A Qatar Airways, que na próxima semana começa a voar para Lisboa, foi eleita, pela quinta vez, “companhia de aviação do ano” dos prémios Skytrax, nos quais a TAP ficou no 76º lugar, quatro abaixo da votação de 2018, em que fora 72ª.

IAG anuncia “carta de intenções” de mega encomenda à Boeing

18-06-2019 (19h09)

O IAG, grupo de companhias de aviação de que fazem parte nomeadamente a British Airways, a Vueling e a Level, anunciou hoje ter apresentado uma “carta de intenções” de aquisição de 200 aviões Boeing B737-8 e B737-10.

IAG anuncia Iberia e Aer Lingus como companhias de lançamento do novo Airbus A321XLR

18-06-2019 (19h38)

O IAG, grupo de companhias aéreas iniciado com a fusão entre a British Airways e a Iberia, anunciou hoje estar a comprar 14 Airbus A321XLR para a Iberia e a Aer Lingus, que diz “estarão entre as companhias de lançamento” do novo avião narrowbody de maior alcance.

American Airlines introduz 6º voo diário Miami - Havana

18-06-2019 (16h34)

Apesar das mais recentes medidas do presidente dos Estados Unidos contra as viagens turísticas a Cuba, a American Airlines, maior companhia de aviação do mundo, vai aumentar para seis voos diários a sua oferta de ligações entre Miami, Florida, e a capital cubana, Havana.

Noticias mais lidas