Brexit é “uma ameaça real ao turismo português” – avisa CEO da Ryanair

21-02-2018 (16h39)

O CEO da Ryanair, Michael O’Leary, considera que havendo Brexit em Março do próximo ano, logo no dia 1 de Abril de 2019 “é possível que deixem de existir voos entre o Reino Unido e Portugal”, uma vez que ainda não existe nenhum acordo no domínio da aviação entre o Reino Unido e a União Europeia.

“Os voos são operados entre o Reino Unido e a Europa sob o acordo de open skies, mas se o Reino Unido sai da União Europeia automaticamente tem que sair do acordo do open skies”, afirmou o executivo hoje em Lisboa, alertando para a necessidade de “haver um novo acordo bilateral entre o Reino Unido e os 27 da União Europeia”.

O problema, enfatizou, é que “não há qualquer sinal do governo britânico de que tenham alguma pista sobre o que fazer acerca do Brexit e acerca de acordos comerciais que possam ter que fazer com a União Europeia depois do Brexit”.

“Há uma perigo real no caso de um ‘hard Brexit’, porque o governo britânico não tem planos e não tem ideias dos termos que quer”, reforçou Michael O’Leary.

Na sua perspectiva, a situação tornar-se-á mais clara apenas “quando chegarmos a Setembro de 2018 e os cidadãos britânicos se aperceberem que não têm voos baratos para Portugal, Espanha ou Itália no Verão de 2019”.

“O Brexit coloca uma ameaça real ao turismo português, ao turismo espanhol, se os voos pararem no Verão de 2019”, enfatiza o CEO da Ryanair.

Dados publicados hoje pelo Banco de Portugal mostram que o Reino Unido é o maior emissor nas receitas turísticas portuguesas, com 2.591,39 milhões de euros (clique para ler: Espanha foi o país que mais contribuiu para Portugal alcançar novo recorde de receitas turísticas em 2017).

Na hotelaria portuguesa, os dados do INE publicados há uma semana mostram que o Reino Unido, apesar de um crescimento de apenas 1,1%, é também o maior emissor, com 9,28 milhões de dormidas (clique para ler: Maiores emissores penalizam evolução da hotelaria portuguesa em 2017).

 

Ver também:

Ryanair vai chegar este ano às 104 rotas em aeroportos portugueses

ANA e TAP beneficiam de “restrição artificial” da capacidade aeroportuária em Lisboa – Michael O’Leary, Ryanair

 

Clique para mais notícias: Ryanair

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Europa

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP vai ter a partir de Junho um novo simulador de voo em Cascais

24-04-2019 (16h08)

A TAP anunciou que vai ter a partir de Junho um novo simulador de voo para treino de pilotos no Aeródromo de Tires, criado em parceria com a Câmara Municipal de Cascais.

Presidente da NAV cessa funções no final do mês

24-04-2019 (16h02)

O presidente da NAV – Navegação Aérea de Portugal, Jorge Ponce de Leão, disse hoje na apresentação do novo sistema de tráfego aéreo que terminará funções no final do mês, mas o Governo ainda não escolheu o seu sucessor.

NAV investe 103,8 milhões de euros em novo sistema de tráfego aéreo até 2023

24-04-2019 (15h57)

A NAV – Navegação Aérea de Portugal vai investir 103,8 milhões de euros no novo sistema de tráfego aéreo até 2023, num projecto que inclui a construção de uma nova torre de controlo em Lisboa.

Governo português tem trabalhado para “criar condições” para a retoma dos voos Lisboa – Panamá

24-04-2019 (15h27)

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que o Governo português tem trabalhado para “criar condições” para que sejam retomados os voos entre Lisboa e a Cidade do Panamá, que a TAP suspendeu em finais de Março de 2016.

App da Ryanair tem nova ferramenta para medir a bagagem de mão

24-04-2019 (14h56)

A Ryanair tem uma nova ferramenta na sua aplicação para dispositivos móveis que possibilita medir a bagagem de mão e saber se será necessário pagar pelo seu transporte a bordo.

Ultimas Noticias