Binter é favorita no concurso para os voos entre a Madeira e o Porto Santo

23-04-2018 (16h06)

Foto: Binter
Foto: Binter

A companhia aérea espanhola Binter está à frente no concurso público internacional para a concessão, por três anos, da exploração dos serviços aéreos regulares na rota Porto Santo - Funchal - Porto Santo, noticiou a Lusa, que cita fonte ligada ao processo.

Essa fonte indicou que as três concorrentes, a LFAS - Lease Fly Aviation Services SA, a Binter Canárias SA e a a Aero Vip - Companhia de Transporte e Serviços Aéreos SA (Sevenair), foram informadas da decisão preliminar que opta pela proposta da companhia regional espanhola, decorrendo agora um período de audiência antes da decisão final.

A concessão, de acordo com o “Diário da República” de 3 de Março de 2017, será pelo período de três anos, no valor de cerca de 5,6 milhões de euros.

A Binter, que opera desde 1989, começou por ser uma companhia aérea regional espanhola, primeiro ligando as Canárias e mais tarde aquele arquipélago a destinos internacionais.

A transportadora tem ligações entre as Canárias e Funchal e Lisboa e, em 2016, começou a operar em Cabo Verde, através da Binter Cabo Verde, que assegura em exclusividade, desde Agosto de 2017, os voos entre ilhas.

A portuguesa Sevenair, que detém actualmente esta concessão, anunciou hoje que vai contestar o resultado do concurso público internacional, realçando que ao longo dos últimos três anos, o serviço público de transporte aéreo entre o Porto Santo e Funchal "tem sido prestado cumprindo escrupulosamente o caderno de encargos que esteve na sua origem".

“Em toda a duração de tempo da concessão não existiu um único incidente que possa ser apontado”, salienta, anunciando que a empresa, que foi notificada na sexta-feira, tem cinco dias para se pronunciar.

Contactado pela Lusa o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, que lidera este processo, escusou comentários, remetendo-os para o final do concurso internacional.

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Binter

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CEO da TAP defende direito a sonhar com liderar tráfego entre a Europa e a América do Norte

20-06-2018 (17h57)

Embora tenha pela frente concorrentes como a British Airways, que ainda em 4 de Maio começou a voar de Londres-Heathrow para Nashville, sua 26ª cidade nos Estados Unidos, o CEO da TAP reivindicou hoje no Porto o direito a da companhia a “sonhar grande em relação a ser a principal companhia aérea que liga a Europa à América do Norte”.

CEO da TAP garante aposta no Porto e ironiza: “a concorrência que se cuide”

20-06-2018 (17h51)

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro "é historicamente um dos alicerces da TAP", que tem um "compromisso total e absoluto" com o Porto, garantiu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, que rematou com um: "Queremos ter uma posição dominante no Porto, e a concorrência que se cuide".

Antonoaldo Neves reconhece pontualidade como “problema gravíssimo” da TAP

20-06-2018 (17h48)

"Temos um problema gravíssimo de pontualidade na ponte aérea e na TAP em geral", reconheceu hoje o CEO da companhia, Antonoaldo Neves, na sessão de balanço da operação da companhia aérea no Porto admitiu, que assegurou tratar-se de um "desafio" a superar nos próximos tempos.

Exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros voltam a crescer acima de 20% em Abril

20-06-2018 (16h28)

As empresas portuguesas de transporte aéreo de passageiros, as maiores das quais a TAP, a Azores Airlines, a euroAtlantic e a Hi Fly, aumentaram em Abril as vendas ao estrangeiro em 23,2%, alcançando assim um aumento médio em 15,3% no quadrimestre.

CEO da TAP diz que auditoria do TdC é "assunto de accionista" mas afirma-se "confiante" no futuro

20-06-2018 (14h56)

Antonoaldo Neves, CEO da TAP, escusou-se hoje a comentar a auditoria do Tribunal de Contas (TdC) que aponta uma acrescida "exposição" do Estado português a "contingências adversas" da companhia, mas dizendo estar "confiante" num bom desempenho financeiro da empresa.