Air France vai reduzir pessoal e rede doméstica em que perdeu 189 milhões em 2018

14-05-2019 (16h17)

Foto Air France
Foto Air France

A Air France, uma das maiores companhias de aviação europeias, informou que vai pôr em prática um plano de rescisões voluntárias de até 465 postos de trabalho em terra em França e reduzir em 15% a sua capacidade em voos domésticos, para estancar perdas que estima em 717 milhões desde 2013.

A companhia, que revelou ter perdido na rede doméstica 189 milhões de euros em 2018, quase o dobro da perda de 2017 (96 milhões), aponta como causas da ‘sangria’ na rede doméstica o desenvolvimento dos caminhos de ferro e das low costs, reclamando que em ambos os casos é penalizada por factores não concorrenciais.

No caso dos comboios, pelos apoios que a ferrovia tem do Governo, nomeadamente pela isenção de taxas e impostos, e no segundo porque podem reduzir custos de pessoal baseado em mercados onde os custos são mais baixos, enquanto a Air France tem toda a gente baseada em França.

A Air France garante que ainda assim não vai ‘forçar’ saídas e que novos talentos, incluindo pilotos, tripulantes de cabina, técnicos de manutenção e engenheiros, vão entrar este ano para a companhia para suportar o seu crescimento, acrescentando que simultaneamente tem que garantir “equilíbrio” em alguns sectores “para garantir a sua viabilidade a longo prazo”.

E o CEO do grupo Air France KLM, Benjamin Smith, citado no comunicado sobre as medidas a implementar, garante o empenho da Air France na sua rede doméstica, salientando que assegura a ligação das regiões francesas com o mundo.

“Num mercado fortemente competitivo, estamos totalmente empenhados em defender um mercado doméstico que é vital para a Air France e também, mais globalmente, para o Grupo Air France KLM”, diz uma declaração de Benjamin Smith citada no comunicado.

A imprensa francesa realça no entanto o facto de o comunicado não fazer referência à low cost do grupo, a Transavia, que alegadamente tem sido desenvolvida para ‘dar luta’ às low cost, nos mercados de voos de curto e médio cursos.

 

Clique para mais notícias: Air France

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Balanço do LATAM evidencia recuperação ‘explosiva’ da aviação no Brasil

16-08-2019 (16h15)

O LATAM, maior grupo de aviação comercial da América Latina, cuja subsidiária brasileira, a LATAM Brasil (antiga TAM), é líder brasileira em voos internacionais, indicou que no segundo trimestre teve um aumento da receita unitária (por lugar voado um quilómetro) de 18,7%, atingindo 29,5% em reais.

Levantadas restrições ao abastecimento no aeroporto de Lisboa, ANA Aeroportos

16-08-2019 (12h35)

As restrições ao abastecimento de aviões no aeroporto de Lisboa, em vigor desde segunda-feira, foram hoje levantadas, disse à Lusa fonte oficial da ANA – Aeroportos de Portugal.

Grupo SATA transportou mais 8% de passageiros no primeiro semestre

16-08-2019 (11h59)

As companhias aéreas SATA Air Açores e Azores Airlines transportaram 705,7 mil passageiros no primeiro semestre, mais 8% ou mais 52,5 mil que no período homólogo do ano passado, anunciou o Grupo SATA.

Lauak vai produzir em Grândola peças para aviões A320

16-08-2019 (11h39)

A Lauak vai implementar uma unidade de produção de preças para aviões A320 em Grândola, com um investimento de 33 milhões de euros com apoio de fundos comunitários.

Trabalhadores da Grounforce realizam concentração para exigir estacionamento

16-08-2019 (11h24)

Os trabalhadores da Groundforce, reunidos na quinta-feira em plenário, aprovaram a realização de uma concentração no Ministério das Infraestruturas, com data a definir, para entrega de um abaixo-assinado a exigir estacionamento nas zonas limítrofes aos aeroportos e devolução das multas.

Noticias mais lidas