Air Europa avança para criação de companhia de aviação no Brasil

21-05-2019 (14h33)

Foto: Air Europa
Foto: Air Europa

A Air Europa, que é a companhia espanhola com mais rotas para o Brasil, está a avançar com a criação de uma subsidiária no Brasil, de acordo com a imprensa brasileira, que indica que já entregou à Junta Comercial de São Paulo um pedido para operar voos domésticos no Brasil.

As notícias citam a Autoridade Aeronáutica brasileira ANAC, que informou que “ao se constituir no Brasil, e após a autorização da ANAC, a empresa poderá operar rotas domésticas e seguirá a legislação brasileira, que inclui a obrigatoriedade de ter a tripulação brasileira, além do recolhimento de tributos”.

A informação surge poucos dias depois de a imprensa brasileira noticiar que o Ministério do Turismo informou que a Air Europa vai duplicar as operações para o Brasil (clique para ler: Ministro de Bolsonaro ‘cativa’ Air Europa para voar mais para o Brasil).

“Pouco mais de 10 dias após realizarmos um encontro em Madrid, com o presidente do Grupo Globalia, o Sr. Javier Hidalgo, ele cumpriu o compromisso firmado connosco e realizou nesta sexta-feira (17) um feito histórico, a abertura, na junta comercial de São Paulo, da Air Europa, primeira empresa aérea internacional se tornando brasileira para operar voos dentro do Brasil. Uma conquista importante para aumentarmos a concorrência entre as aéreas e reduzirmos o custo das viagens em nosso país”, diz uma declaração do ministro brasileiro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, citada pelo portal de notícias de turismo “Mercado & Eventos”.

A mesma publicação noticiou ontem que o Ministério brasileiro do Turismo “comemora chegada da Air Europa no transporte aéreo no Brasil”, dizendo que, “pela primeira vez na história, uma companhia aérea internacional solicitou, no Brasil, registo de empresa brasileira com sede administrativa em território nacional”, especificando que a Air Europa cadastrou-se na última sexta-feira (17) na Junta Comercial de São Paulo.

A notícias do “Mercado & Eventos” refere que “em março, plenário da Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projecto de lei 2724/15, que elimina o tecto de participação do capital estrangeiro em empresas aéreas nacionais”.

A informação acrescenta que “o texto também altera dispositivos da Lei Geral do Turismo, uma das bandeiras do Ministério do Turismo para promover a desburocratização e a modernização do sector”, o qual “sfoi aprovado por 329 votos contra 44” e que actualmente aguarda apreciação no Senado Federal.

 

Clique para mais notícias: Air Europa

Clique para mais notícias: Brasil

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

IAG declara quebra de lucros em 2019 em 39,6%

28-02-2020 (18h40)

O IAG, grupo a que pertencem British Airways, Aer Lingus, Iberia, Vueling e Level, declarou um lucro de 1.715 milhões de euros para o ano de 2019, que é 39,6% ou 1.123 milhões menor que o declarado para o ano de 2018.

easyJet diz que voos Portugal-Itália não serão afectados por enquanto

28-02-2020 (18h39)

A easyJet disse à Lusa que por enquanto os seus voos entre Portugal e Itália não estão afectados e que está a acompanhar o evoluir da situação no Norte de Itália, onde o Covid-19 já matou 14 pessoas e infectou pelo menos 400.

CVA oferece reembolso ou alteração de reserva a passageiros com voos de/para Itália

28-02-2020 (18h31)

A Cabo Verde Airlines (CVA) anunciou que está a oferecer aos passageiros com reservas para voos entre Cabo Verde e Itália o reembolso total ou a remarcação dos seus bilhetes sem penalizações.

Cabo Verde interdita voos de Itália para conter surto do novo coronavírus

27-02-2020 (18h10)

O Governo de Cabo Verde interditou hoje, durante um período de três semanas, todos os voos com origem em Itália para aeroportos cabo-verdianos, devido ao alastrar do surto do novo coronavírus naquele país europeu.

Aeroporto de Lisboa atenua queda do tráfego aéreo de/para Portugal este Janeiro

27-02-2020 (15h32)

Os aeroportos portugueses começaram este ano com um ligeiro decréscimo do número de voos, mas não por culpa de Lisboa estar esgotado, pelo contrário, até foi o aeroporto da capital que atenuou a quebra de 3,3% para 0,2%, por ter registado o maior aumento do mês.

Noticias mais lidas