Aeroportos portugueses somam 6,4 milhões de passageiros no primeiro bimestre

13-03-2018 (16h43)

Lisboa concentra 58,8% e é o que tem o crescimento mais forte

Os dez aeroportos de Portugal Continental e das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores somaram 6,41 milhões de passageiros nos primeiros dois meses deste ano, com Lisboa a concentrar a maioria e a reforçar a sua liderança por um crescimento mais forte que todos os outros.

Dados de tráfego a que o PressTUR teve acesso indicam que Lisboa, que é o hub da TAP, somou 3,768 milhões de passageiros nos primeiros dois meses deste ano, o equivale a 58,8% do total dos aeroportos portugueses neste período, quando há um ano estava com 56,6%.

Lisboa teve nos primeiros dois meses um aumento médio do número de passageiros em 15,1%, impulsionado por um crescimento em 16,6% do movimento em voos internacionais, que somaram 3,28 milhões de passageiros, enquanto em voos domésticos o aumento foi em 5,7%, para 480,8 mil.

O Porto, segundo maior aeroporto português, foi também o que teve o segundo crescimento mais forte dos primeiros dois meses, com um aumento em 10,2%, para 1,495 milhões, e também proporcionado pelas rotas internacionais, cujo crescimento atingiu 12,6%, somando 1,23 milhões de passageiros, enquanto em voos domésticos a tendência foi de estagnação, com um aumento pela margem mínima, em 0,1%, para 264,1 mil.

Faro, terceiro maior aeroporto português, regista no fim de Fevereiro uma queda de passageiros em 3,4%, para 480,1 mil, com quedas ligações com as maiores origens/destinos internacionais, como o Reino Unido, com -12,2%, para 203,1 mil, Alemanha, em 1,7%, para 51,6 mil, e Holanda, em 11-8%, para 55,7 mil.

O Funchal, 4º maior aeroporto português, regista um crescimento do número de passageiros em 1,6%, para 425,7 mil, apesar de um aumento em 18% nas ligações com Portugal Continental, que somaram 197,5 mil passageiros, e aumentos em 61,6% nas ligações com a Suíça, para 11,5 mil, em 80,4% nas rotas da Suécia, para 11,4 mil, e em 36,5% nas rotas da Finlândia, para 10,4 mil, pelas quedas nas rotas do Reino Unido, em 17,7% para 87 mil, da Alemanha, em 25,4%, para 49,3 mil, e da Dinamarca, em 8,4%, para 12,6 mil.

O Aeroporto de Ponta Delgada, que esteve até recentemente com crescimentos ‘explosivos’, pela entrada das low cost Ryanair e easyJet, nos primeiros dois meses deste ano está com um aumento de passageiros em 3,1%, para 191,4 mil, nomeadamente pela estagnação nas ligações com Portugal, em que viajaram 167,7 mil passageiros, contrariada pelo aumento em 38,6% nas ligações com os Estados Unidos e em 11,7% nos voos do Canadá, em que viajaram respectivamente 9,2 mil e 8,2 mil passageiros, e a introdução de voos para o Reino Unido (2,4 mil passageiros) e Cabo Verde (dois mil passageiros).

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP reforça liderança em voos Portugal - Espanha até Setembro, embora com perda de quota no Verão

22-10-2018 (18h02)

A TAP foi a companhia de aviação em que viajaram 39,7% dos passageiros que voaram entre Espanha e Portugal nos primeiros nove meses deste ano, a ganhar assim 0,2 pontos em relação ao período homólogo de 2017, embora no Verão (Junho a Setembro) tenha ficado em 37,6%, a baixar 0,6 pontos.

Voos entre Espanha e Portugal crescem 14,1% até Setembro e atingem 3,7 milhões passageiros

22-10-2018 (17h30)

Os aeroportos espanhóis contabilizaram 3,7 milhões de passageiros em voos de/para Portugal nos primeiros nove meses deste ano, com um aumento em 14,1% ou quase 459 mil, de acordo com os dados da empresa gestora, a AENA, consultados pelo PressTUR.

Tráfego aéreo Espanha-Brasil volta a crescer, e a dois dígitos

22-10-2018 (17h02)

Depois de em 2017 ter caído 8%, o número de passageiros a voarem entre Espanha e o Brasil está a subir este ano a 10,8% e com o aumento nos meses de Verão na Europa (Junho a Setembro) a atingir 19,2%, de acordo com dados da gestora dos aeroportos espanhóis, AENA, recolhidos pelo PressTUR.

Ryanair aposta em mais falências de concorrentes e na recepção dos Boeing B737-MAX

22-10-2018 (13h42)

Custos de voo mais competitivos e aeroportos mais dispostos a baixar preços são duas das tendências com que a Ryanair conta para contrariar nos próximos tempos a descida de lucros que contabilizou no semestre terminado a 30 de Setembro em que o seu lucro, incluindo encargos de lançamento da Laudamotion, caiu 11% ou 141,8 milhões de euros, para 1.150,7 milhões.

Ryanair lucrou menos 53,9 milhões de euros este Verão

22-10-2018 (12h52)

A low cost Ryanair, uma das companhias de aviação mais lucrativas do mundo, teve este Verão uma quebra do lucro de 53,9 milhões de euros, embora os impostos sobre lucros tivessem baixado 30 milhões de euros, porque o resultado operacional caiu 82,2 milhões, incluindo encargos de início da nova subsidiária austríaca Laudamotion.