Aeroportos portugueses atingiram 51,8 milhões de passageiros em 2017

09-01-2018 (00h24)

Lisboa concentrou 51,5% do total e ‘fez’ 57,5% do crescimento

Os aeroportos portugueses geridos pela ANA somaram 51,8 milhões de passageiros, com um aumento em 16,5% ou 7,3 milhões em relação a 2016, para o qual o maior contributo foi do Aeroporto de Lisboa, que teve um aumento em 18,8% ou 4,2 milhões, para 26,66 milhões.

A informação a que o PressTUR teve acesso refere-se aos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro, Madeira, Porto Santo, Ponta Delgada, Horta, Santa Maria e Flores, mas não o Aeroporto da Terceira.

De acordo com essa informação, Lisboa concentrou, assim, 51,5% do total de passageiros que viajaram em voos de/para Portugal em 2017 e o seu aumento em relação a 2016 equivaleu a 57,5% do aumento total dos aeroportos portugueses.

A segunda maior contribuição veio do segundo maior aeroporto, o Francisco Sá Carneiro, do Porto, que teve um aumento em 15% ou 1,4 milhões, para 10,787 milhões, alcançando uma quota de 15% do total de passageiros dos aeroportos portugueses em 2017 e tendo contribuído com 19,2% para o crescimento no ano.

Seguiu-se o Aeroporto de Faro, com +14,4% ou mais quase 1,1 milhões de passageiros, somando um 8,727 milhões, o que lhe dá uma quota de 16,8% do total do ano, com um contribuição de 15% para o crescimento.

Os aeroportos do continente somaram, assim 46,177 milhões de passageiros em 2017, com um aumento médio em 17% ou 6,7 milhões, e concentram 89,1% do total de passageiros dos aeroportos portugueses em 2017, tendo contribuído com 91,7% do crescimento no ano.

Os aeroportos da Madeira foram os que tiveram o crescimento mais fraco em 2017, ainda assim em 8% ou cerca de 251 mil passageiros, para 3,377 milhões.

Esse total compreende 3,2 milhões no Aeroporto da Madeira (+7,8% ou mais cerca de 230 mil que em 2016), que concentrou assim 6,2% do total de 2007, e 175,3 mil no Aeroporto de Porto Santo (+12,3% ou mais cerca de 19 mil), cuja quota foi de 0,3%.

Os aeroportos dos Açores, por sua vez, tiveram um aumento em 18,7% ou cerca de 355 mil, para 2,245 milhões, que equivale a 4,3% do total nacional, tendo contribuído com 4,8% do aumento total.

O Aeroporto João Paulo II, de Ponta Delgada, liderou, com 1,849 milhões de passageiros, seguido pela Horta, com 238,5 mil, Santa Maria, com 93,1 mil, e Flores, com quase 64 mil.

Relativamente a 2016, Ponta Delgada teve um aumento em 22,1% ou 334,8 mil, a Horta teve +7,7% ou mais 17 mil, Santa Maria teve -0,1% ou menos seis mil e o aeroporto das Flores teve ’15,8% ou mais 8,7 mil.

 

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Clique para mais notícias: Portugal

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Comentários
  • João Costa

    khjk

    11-01-2018 (10h52)


Escrever comentário

Outras Notícias

Antonoaldo Neves garante que TAP tem “fundações bem sólidas”

21-02-2020 (17h53)

Os resultados da TAP no segundo semestre “não foram suficientes para compensar” as quebras do primeiro, admitiu Antonoaldo Neves, CEO da transportadora, que acrescentou estar convicto, no entanto, que “as fundações estão bem sólidas para a gente continuar nessa trajectória de transformação da empresa e melhoria da sustentabilidade”.

Grupo TAP baixa prejuízos em 12,4 milhões para 105,6 milhões de euros em 2019

21-02-2020 (17h51)

O Grupo TAP registou prejuízos de 105,6 milhões de euros em 2019, uma melhoria de 12,4 milhões de euros face às perdas de 118 milhões registadas em 2018.

TAP fecha o ano com prejuízos de 95,6 milhões

21-02-2020 (17h51)

A companhia portuguesa de aviação TAP perdeu mais 95,6 milhões de euros no ano passado, com um agravamento de 37,6 milhões face a 2018, segundo os resultados da empresa comunicados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Não há possibilidade de a TAP ir para o Montijo”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (17h07)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, voltou a garantir que “não há possibilidade” da companhia aérea ir para o Montijo, apesar de considerar “importantíssimo” a sua construção.

Comissão Executiva da TAP “não comenta política de remuneração da empresa”, Antonoaldo Neves

21-02-2020 (16h59)

O CEO da TAP, Antonoaldo Neves, declarou que “não comenta política de remuneração da empresa” que foi trazida para a ‘praça pública’ pelo accionista David Neeleman que o escolheu para liderar a gestão executiva da companhia.

Noticias mais lidas